Club Nacional de Football – O primeiro clube “criollo” da América

João Ricardo PedroFevereiro 6, 20195min0

Club Nacional de Football – O primeiro clube “criollo” da América

João Ricardo PedroFevereiro 6, 20195min0
Os uruguaios do Club Nacional de Football de Montevideo têm uma história rica e recheada de ultrapassem de obstáculos. Conhecias este clube lendário da América do Sul?

No final do século XIX o futebol no Uruguai era dominado pela comunidade inglesa a residir no país. Para colocar um fim a este domínio britânico, um grupo de estudantes uruguaios resolveu dar os primeiros passos para a criação de um clube genuinamente uruguaio, é neste contexto que se deu a fusão entre o Uruguay Athletic (La Union) e o Montevideo Football Club no qual resultou a fundação do Club Nacional de Football.

Desde a sua fundação que o Nacional ostenta as cores do movimento de José Artigas no seu uniforme. Artigas é uma figura heróica e das mais importantes da história da independência do Uruguai, e ficou conhecido pelo nome de “Protector dos povos livres”, inclusive a “Bandeira de José Artigas” é hoje um símbolo nacional do Uruguai.

Em 1900 foi organizada a primeira edição da primeira divisão do Uruguai, composta por apenas quatro equipas – Central Uruguay Railway Cricket Club, Albion Football Club (C.U.R.C.C.), Deutscher Fussball Klub e Uruguay Athletic Club, todos clubes fundados por imigrantes europeus.

A participação do Nacional no primeiro campeonato do Uruguai foi boicotada pelos outros clubes pela simples razão de ser uma equipa com jogadores “não brancos”, considerados jogadores inferiores aos jogadores de ascendência europeia. No ano seguinte o erro foi corrigido e o Nacional foi aceite como membro da liga, anteriormente foi convidado para cruzar o Rio da Prata e jogar na Liga da Argentina.

Os irmãos “Céspedes” – Amílcar, Bolívar e Carlos.

Conhecidos como jogadores fortes, ágeis e valentes. Amílcar era guarda-redes, Bolívar jogava no meio campo e Carlos no ataque. A história da família Céspedes estará para sempre ligada a história do Club Nacional e da seleção do Uruguai.

No dia 13 de Setembro de 1903 a seleção do Uruguai obteve a sua primeira vitória na história, derrotou a Argentina por 3-2 em Buenos Aires com dois golos de Carlos e outro de Bolívar Céspedes. A equipa vitoriosa era composta exclusivamente por jogadores do Nacional.

Um celebre episódio que ficou na história do clube, foi o campeonato uruguaio de 1903, terminou com o Nacional e o C.U.R.C.C empatados na primeira posição, o desempate foi agendado para o dia 24 de Agosto de 1904. Entretanto durante a guerra civil de 1904, os irmãos Céspedes exilaram-se em Buenos Aires.

Mas para surpresa de todos. os irmãos Céspedes apresentam-se no estádio com o uniforme do Nacional para jogar a finalíssima, e o jogo terminou com a vitória de 3-2 para “Tricolores”, os golos foram da autoria de Bolívar e Carlos Céspedes. O governo ofereceu um salvo-conduto aos irmãos Céspedes de 24 horas para jogar a final. No mês seguinte foi assinada a “Paz de Aceguá” que colocou às hostilidades no país.

A história dos irmãos Céspedes acabou em tragédia. Em 1905, Bolívar contraiu varíola, uma doença bastante moral no início do século XX e morreu no dia 9 de Junho. O irmãos Carlos também contraí riu o vírus, e morreu no final do mês de Junho. Apesar da tragédia o pai dos Céspedes, Dom Eusébio, continuou firme no Nacional e foi nomeado Presidente Honorário do Club Nacional em 1907.

O recorde de 1917 do Nacional (Foto: Getty Images)

Gira del 1925”

Após o sucesso dos uruguaios nos Jogos Olímpicos de 1924 em Paris – a base da seleção olímpica do Uruguai que venceu o ouro era composta por jogadores do Nacional. Em 1925, a equipa do Nacional embarcou numa digressão pela Europa que durou 160 dias e jogaram 38 partidas em 9 países.

França, Itália, Espanha, Holanda, Checoslováquia, Bélgica, Suíça, Áustria e Portugal, foram os países por onde os craques uruguaios passaram. A estreia aconteceu no Estádio Olímpico de Colombes, o mesmo estádio onde haviam derrotado a Suíça na final das Olimpíadas de 24, as primeiras vitimas foi a seleção de Paris que foi derrotada por 3-1.

Nos 38 jogos. o Nacional apenas perdeu 5 vezes, foi derrotado duas vezes pelo Club Esportiu Europa, as outras formações que derrotaram o Nacional foram as selecções da Bélgica e da Catalunha, e o Sparta de Praga, uma das equipas mais fortes da Europa na época.

Na passagem por Portugal, o Nacional derrotou o FC Porto por 7-2 do dia 16 de Julho de 1925, quatro dias mais tarde derrotou o Sporting em Lisboa por 5-0 e no dia 26 de Julho voltou a cidade do Porto para enfrentar a seleção do Porto e venceu por 5-2.

Pela Europa fora em 1925 (Foto: Nacional.uy)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter