Olho de Olheiro: as 4 “armas” que o Manchester United precisa

José NascimentoSetembro 28, 20206min0

Olho de Olheiro: as 4 “armas” que o Manchester United precisa

José NascimentoSetembro 28, 20206min0
Os Red Devils continuam a apresentar falhas em algumas posições e é tempo de recrutarem os jogadores necessários para atacarem a "prata" inglesa e europeia de outra forma!

Neste defeso o Manchester United apenas apresentarou uma contratação, Donny van de Beek. Sendo uma equipa que apresenta algumas fragilidades em diversas posições, o Fair Play sugere potenciais reforços para tentar singrar ainda nesta época 2020/2021.

Defesa Central: Pau Torres

Apesar de não ter feito uma boa época e estando recentemente envolvido em polémicas, Harry Maguire parece ter lugar cativo no 11 de Ole Solskjaer sobretudo devido ao investimento que foi feito na compra do seu passe, recorde-se que é o defesa mais caro da história. Já Lindelof realizou uma época de altos e baixos e não revelou ser uma opção muito consistente para o eixo da defesa. Assim o técnico norueguês anda no mercado à procura de um central canhoto. Pau Torres, central espanhol de 23 anos foi um titular indiscutível na excelente campanha que o Villarreal protagonizou na época anterior, época essa em que o submarino amarelo acabou no 5º lugar o que lhe permitiu ter acesso direto à fase de grupos da Liga Europa.

Pau Torres tem uma fantástica leitura de jogo, quer no passe longo ou passe curto o que lhe permite ser um porto seguro na primeira fase de construção de jogo. É um central que joga bem com os pés mesmo sob pressão da equipa adversária. Em termos defensivos revela um alto nível no que toca a fazer cortes e a recuperar a bola e o comprovativo disso mesmo é a média 0.1 jogadores por jogo que o conseguiram ultrapassar no um contra um, no entanto necessita de melhorar o seu jogo aéreo pois na época passada apenas ganhou 50,8% dos duelos aéreos. Mas não há dúvidas que seria um reforço de bom calibre para os Red Devils.

Defesa Esquerdo: Alex Telles

Com Luke Shaw a ser o titular na época passada, o Manchester United precisa claramente de conseguir contratar um lateral de classe mundial. Alex Telles revela-se a melhor opção quer em termos financeiros, quer em termos desportivos. Em fim de contrato com o FC Porto e não mostrando intenção em renovar, Alex Telles poderá rumar a Old Trafford por um preço abaixo dos praticados no mercado de transferências cerca de 20M€ pois o Porto está “obrigado” a vendê-lo neste mercado caso pretenda fazer um encaixe financeiro.

Alex Telles é um lateral com grande propensão ofensiva, ostenta excelente qualidade a progredir com a bola e é dono e senhor de uma capacidade de passe de grande impacto. Em termos defensivos o brasileiro tem uma boa capacidade de leitura de jogo o que lhe permite fazer múltiplas intercepções por jogo e cobrir muito bem os espaços. No último terço do campo o carioca mostra uma excelente capacidade para fazer cruzamentos como podemos ver pelas inúmeras assistências que realizou  nas últimas temporadas. O único problema que poderá dificultar a sua adaptação em terras de sua majestade é o facto de o jogo ser muito mais físico e intenso em comparação com o campeonato português e não sendo um jogador robusto fisicamente terá que trabalhar mais neste campo.

Médio Defensivo: Eduardo Camavinga

Com Pogba e Bruno Fernandes no miolo, o Manchester United necessita claramente de um médio defensivo completo, que recupere bolas e que seja dinâmico a iniciar o processo de construção de jogo. Matic e McTominay não apresentam a qualidade requerida para um ataque aos troféus. Assim o nome do médio francês, já internacional, com ascendência angolana de apenas 17 anos encaixa que nem uma luva para a posição 6 no meio campo dos Red Devils. O preço da sua transferência pode ser elevado, mas este investimento que o Man United teria que realizar era claramente uma aposta de futuro para além de ser um reforço de peso para o meio campo do United.

Com um potencial imenso, Camavinga tem tudo para ser um dos melhores na sua posição. Uma das características do seu jogo é o facto de baixar muitas vezes para o meio dos centrais para iniciar a construção de jogo, em termos defensivos é também um médio que destrói tudo o que acontece à frente dos seus centrais. Quando sobe no terreno é para pressionar ou para criar linhas de passe para os seus companheiros. Camavinga oferece uma qualidade de passe soberba com uma média de 90% de passes corretos na última época, tem também um ótimo drible o que lhe permite sair das zonas de pressão sempre com a bola controlada e muitas vezes bater o seu marcador direto no ínicio do processo de construção. O francês é um médio box to box muito completo oferece muito à equipa quer em termos ofensivo quer em termos defensivos, era uma contratação chave para o meio campo do Manchester United e com certeza que aumentaria a qualidade de jogo dos ingleses.

Extremo Direito: Jadon Sancho

Neste defeso muito se tem falado na transferência do inglês Jadon Sancho para o United. Com Daniel James a fazer exibições inconstantes – neste momento Solskjaer nem o considera como titular -, o United necessita claramente de mais uma estrela no lado ofensivo direito. Sancho pode ser mais um jovem, recorde-se que tem apenas 20 anos, a juntar-se ao irreverente ataque do Manchester United.

O inglês tem que ser claramente uma prioridade, teve 29 contribuições para golo na época anterior ao serviço do Dortmund, tendo sido o terceiro jogador com mais contribuições de golo. A sua veia goleadora também veio ao de cima com uma taxa de 31% de ocasiões aproveitadas. Um extremo criativo de classe mundial que tem a capacidade de encontra os seus colegas de equipa dentro ou à entrada da área mesmo em equipas com o bloco mais compacto. É um dos extremos da europa com maior qualidade de passe, e exemplo disso foi a taxa de passes completos de 84,59% em 2019/2020. No contra-ataque é uma flecha apontada à baliza contrária onde a sua velocidade e o seu drible são uma ameaça para as defesas contrárias. O único aspecto que tem que melhorar é o seu posicionamento defensivo, quer quando é para pressionar quer para acompanhar o lateral adversário. Sancho ia ser mais uma estrela a juntar à constelação que brilha no teatro dos sonhos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter