Mundial da Rússia 2018: Harry Kane, o Príncipe de Terras de Sua Majestade

João NegreiraMaio 13, 20183min0

Mundial da Rússia 2018: Harry Kane, o Príncipe de Terras de Sua Majestade

João NegreiraMaio 13, 20183min0
Uma das grandes favoritas no grupo G, é a Inglaterra. Com novos talentos a surgir na seleção, Harry Kane destaca-se com a sua veia goleadora e promete fazer estragos às defesas, na Rússia.

HARRY KANE (TOTTENHAM)

Idade: 24
Clube: Tottenham (Inglaterra)
Posição: Avançado
Internacionalizações/golos: 23/12
Conquista mais importante na carreira: Mais golos num ano civil (2017): 56 golos
Avaliação de qualidade: 4,5 em 5 estrelas

Harry Kane vai participar pela primeira vez num Mundial e, logo como capitão. O avançado de 24 anos segue o caminho de antigas glórias dos spurs como Gary Lineker, Sol Campbell ou Scott Parker como capitães da seleção dos Três Leões.

Depois de ter participado em apenas 6 jogos na qualificação, o jogador dos spurs vai comandar os seus compatriotas na Rússia. Destaque para a importância na qualificação, tendo em conta os jogos que fez. Foram 5 golos nas 6 partidas, marcando os golos decisivos nos últimos 2 jogos contra a Eslovénia e a Lituânia.

A Inglaterra fez uma fase de qualificação para o Mundial quase perfeita. Foram 8 vitórias e 2 empates em 10 jogos, não dando qualquer hipótese ou esperanças aos seus adversários, terminando com mais 8 pontos que a 2ª classificada, a Eslováquia.

Não obstante, Kane ainda não pode ser considerado como alguém que chega à seleção e resolve. A verdade é que a turma de Terras de Sua Majestade, tem estado uns quantos furos abaixo do esperado nos últimos anos e isso pode prejudicar várias pérolas, como por exemplo, o avançado de 24 anos.

Falamos de um vergonhoso 4º lugar na fase de grupos do Mundial 2014, de uns modestos oitavos de final no Mundial 2010 e no Euro 2016, e os quartos de final no Euro 2012 – ainda se jogava com 4 grupos. É algo abaixo das expectativas, de facto, não há como negar. A esperança está nesta nova fornada que se estreia em Mundiais como Kane, Delle Ali, Rashford, Sterling, Lingard, Dier ou Stones.

Munido de um poder físico incrível (1,88m e 80kg), juntamente com um remate poderosíssimo e um grande trabalho tático, Kane consegue fazer com os colegas joguem para si e para eles próprios. É um verdadeiro homem-alvo; arrasta os defesas numa luta intensa, para que os médios possam avançar e quando a bola lhe chega aos pés, poucas vezes facilita.

Depois de dois anos seguidos a ser o melhor marcador da Premier League, o homem do Tottenham perdeu este ano para o Faraó dos Tempos Modernos, Mohamed Salah, esse título. O egípcio chegou aos 32 golos, enquanto que o britânico chegou apenas aos 30.

Harry Kane ainda tem uma longa carreira pela frente e, certamente, cheia de sucesso. Com 24 anos já alcançou imenso individualmente, seja no Tottenham, com os recordes e títulos em golos, ou na seleção, já com a braçadeira de capitão. Mas isso, não o pode fazer descansar. Com o respeito que já tem, é importante querer e lutar por mais. O avançado precisa de títulos em clube ou na seleção; a sua qualidade é inegável e é um jogador de topo, mas sem títulos conquistados, vai ser difícil ser relembrado, já que são poucos que atingem esse feito.

A sua veia goleadora e a sua capacidade trabalho e luta lá na frente estão prontas para ajudar a seleção dos Três Leões a triunfar na Rússia, mas será que chega?

 

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter