Solskjaer chegou mas é necessário mais para erguer este Manchester

Pedro SousaAbril 28, 20194min0

Solskjaer chegou mas é necessário mais para erguer este Manchester

Pedro SousaAbril 28, 20194min0
A chegada de Solskjaer animou o United mas não chega para lutar pelo título da Premier. O que precisam os Red Devils para voltar ao topo?

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


No currículo como jogador, Ole Gunnar Solskjaer conta com muitos títulos. Quando passou a comandar equipas a partir do banco de suplentes, o herói de Barcelona conquistou duas ligas norueguesas e uma taça da Noruega pelo Molde.

Depois da saída de José Mourinho, os responsáveis do Manchester United ofereceram o banco do Teatro dos Sonhos ao norueguês. Primeiro de forma interina, mas agora já tem contrato assinado com os Reds Devils.

(Foto: Getty Images)

Ole Gunnar Solskjaer, no início da sua aventura, conseguiu levar o Manchester United ao top 4 e qualificar a equipa do norte de Inglaterra para os quartos-de-final da Liga dos Campeões. Contudo, desde que assinou contrato, a equipa de Manchester tem perdido fulgor ofensivo e defensivo. Sofrem golos em 12 jogos consecutivos e não marcam qualquer golo há mais de quatro horas de jogo. Muito para uma das maiores equipas do mundo.

O que necessita este Manchester de Solskjaer?

Habituados a ter uma defesa de betão, o atual plantel do Manchester United não tem soluções fortes neste setor. Os centrais cometem muitos erros, os laterais não sabem defender e os médios mais recuados não são capazes de, por vezes, serem os tampões à frente da defesa. Até De Gea, talvez a espreitar as balizas de Madrid, está a léguas da muralha que já provou ser. Por isso, a renovação desta equipa tem de começar na defesa.

Para defender as redes da baliza de Old Traford, o guarda-redes do Dinamo de Zagreb, recentemente mencionado por Iker Casillas na sua conta de Twitter, Dominik Livaković pode ser uma boa solução e mais barata. Varane já foi apontado muitas vezes ao centro da defesa e daria outra segurança. Lindelöf ia subir uns furos se tivesse o internacional francês a seu lado e podiam formar uma boa dupla de centrais. Nas laterais, Dalot é o futuro do clube e já é capaz de segurar bem o lado direito da defesa. Na esquerda, Luke Shaw e Ashley Young (muitas vezes utilizado nesta posição) são soluções muito curtas para uma formação como o Manchester United. Alex Sandro encaixava como uma luva na equipa de Old Trafford.

(Foto: MCETV)

No meio campo, para mim, e não tirando o mérito a um jogador que já foi o mais caro do mundo e é campeão mundial pela França, mas Paul Pogba é o principal problema do United. Quando está em forma, é imparável. Contudo, são poucos os jogos em que ele é “fora de série”. Matic está quase sempre lesionado e Fred não encaixou na equipa. Declan Rice – conhecido como sendo o novo Roy Keane – e Ruben Neves seriam boas soluções para a zona intermédia dos Red Devils. Olhando para a perspetiva de três unidades no meio campo, Saul Ñiguez podia ser um elemento importante.

Para a frente, Rashford é indiscutível. O jovem inglês é um dos melhores jogadores do United e tem muito potencial para se afirmar, de uma vez por todas, em Old Traford. Alexis Sanchez foi um flop em Manchester e Lukaku, apesar de ser um craque, não é um avançado com faro de golo muito consistente. Ousmane Dembélé ou Jadon Sancho podiam ser os companheiros perfeitos para o Marcus Rashford. Para jogar mais fixo na frente, Mauro Icardi pode ser o avançado de 30 golos por época que o Manchester United precisa. Tem tanto de goleador como de problemático. Porém, se conseguirem com que se concentrasse só no futebol, os Red Devils passavam a ter uma máquina de golos.

(Foto: Br.OneFootball)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter