Sheffield United. Os ‘Blades’ estão de regresso à Premier League

Pedro SousaJunho 1, 20194min0

Sheffield United. Os ‘Blades’ estão de regresso à Premier League

Pedro SousaJunho 1, 20194min0
O Sheffield United é um dos promovidos à Premier League! Descobre como conseguiram este feito e algumas curiosidades sobre a equipa!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


O futebol de primeira está de regresso ao condado de South Yorkshire. O Sheffield United, que foi campeão inglês em 1897/98, garantiu a subida à Premier League, depois de ter ficado em segundo lugar no Championship. A equipa do norte de Inglaterra volta à primeira divisão após 12 anos de ausência. Um regresso saudado de um clube com 130 anos de história.

(Foto: SapoDesporto)

Um título muito distante, um investimento polémico e a festa no sofá

O título inglês já vai longe. Foi no ano de 1897/98 que o Sheffield United subiu ao topo do futebol inglês. Depois deste feito, o emblema de Yorkshire somou ainda a conquista de quatro FA Cups e mais três títulos de divisões inferiores. Sem competir no principal escalão desde da época de 2006/2007, o clube de Sheffield passou por dificuldades financeiras nos anos seguintes. A descida ao segundo escalão e, passados dois anos, a descida à terceira divisão, colocaram o clube em “cheque”.

A chegada de Abdullah Bin Mosaad Bin Abdulaziz Al Saud tirou os problemas financeiros do clube. Desde da sua entrada, o Sheffield United voltou a respirar financeiramente. Contudo, nos últimos tempos, veio ao de cima a origem de parte desse financiamento. Na atual disputa entre os dois proprietários do clube, Kevin McCabe e o príncipe saudita, descobriu-se que 3 milhões e 500 mil euros estão ligados a Osama Bin Laden. Uma guerra que promete dar que falar. Voltando à história do clube, o emblema inglês fez uma campanha sólida e muito eficaz no Championship. Terminou na segunda posição e, desde do início da temporada, deu a ideia que era candidato a subir.

STOKE ON TRENT, ENGLAND – MAY 05: Chris Wilder the head / coach of Sheffield United during the Sky Bet Championship match between Stoke City and Sheffield United at Bet365 Stadium on May 5, 2019 in Stoke on Trent, England. (Photo by Molly Darlington – AMA/Getty Images)

Conseguiu e festejou de forma caricata. A confirmação da subida aconteceu graças ao empate entre o Leeds United e o Aston Villa e ao gesto de fair play de Marcelo Bielsa. O treinador argentino, nessa partida, obrigou os jogadores da sua equipa a deixarem o adversário marcar um golo. Isto porquê? Porque o Leeds marcou um tento em superioridade numérica, devido ao facto de um atleta do Aston Villa estar com queixas no relvado. Os homens de Bielsa não atiraram a bola para fora e fizeram um golo.

O técnico, visto isto, obrigou os seus pupilos a consentirem um de propósito. Quem ficou a ganhar? Os jogadores do Sheffield United que festejaram o empate e a consequente subida automática no sofá.

Os onze guerreiros de Sheffield

Todos os elementos do plantel, à sua maneira, contribuíram para este feito histórico do clube. No entanto, foram onze jogadores que tiveram uma maior importância na equipa comandada por Chris Wilder. O guarda-redes Dean Henderson, emprestado pelo Manchester United, foi uma muralha. O jovem inglês realizou 46 jogos no Championship e consentiu apenas 41 golos. Uma média bastante interessante do guardião de 22 anos.

A par do Middlesbrough, o Sheffield United foi a melhor defesa do campeonato. À frente de Henderson, o técnico do clube optou, na maior parte da temporada, por colocar três centrais e dois laterais. George Baldock, Enda Stevens, John Egan, Chris Basham e Jack O’Connell foram os jogadores mais utilizados. Os cinco contribuíram e muito para a bela temporada a nível defensivo. Depois deste quinteto, destacaram-se John Fleck e Oliver Norwood. Os dois médios, no total, falharam quatro jogos. Fleck falhou apenas um e Norwood falhou três.

(Foto: Independent)

Experiência e muita qualidade, quer defensivamente e ofensivamente, foram elementos importantes para dar equilíbrio à equipa. Mark Duffy, David McGoldrick e o goleador Billy Sharp foram as setas apontadas às balizas adversárias. Ao nível de ataque, a formação do South Yorkshire foi a quarta equipa com mais golos (78).

Juntando estes jogadores todos, o Sheffield protagonizou uma temporada bastante equilibrada e, em algumas partes da época, com muita qualidade. Como será este regresso à Premier League? Vão ter de investir. Isso é certo.

(Foto: BBC)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter