Pochettino: o treinador que gosta de jogar bonito

Pedro SousaSetembro 28, 20185min0

Pochettino: o treinador que gosta de jogar bonito

Pedro SousaSetembro 28, 20185min0
Com passagens pelo Espanyol, Southampton e, agora, Tottenham, Pochettino manteve sempre a sua forma de trabalhar e jogar! Um futebol atrativo em terras de Sua Magestade!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


Mauricio Pochettino percebe muito de bola. O Argentino já era um líder em campo quando calçava as chuteiras. Agora, de fato vestido e do lado de fora das quatro linhas, Mauricio transmite a liderança que adquiriu nos anos de jogador. Espanyol, Southampton e Tottenham são três equipas que tiveram e têm mão de Pochettino.

Formado no Newell’s Old Boys, rapidamente deu nas vistas e deu o salto para a Europa. O Espanyol foi o clube que recebeu o defesa central. Foi internacional argentino por 20 vezes e marcou 37 golos nos clubes por onde passou. Depois de tornar-se ídolo no clube da cidade de Barcelona, Pochettino iniciou a carreira de treinador no Espanyol.

Duas equipas bem oleadas, antes de chegar a White Hart Lane

O futebol de Espanyol e Southampton encantou os seus adeptos. Com Pochettino ao leme, ambas as formações apresentaram sempre um futebol ofensivo e bastante agradável. Conseguiu estabilizar o clube espanhol na La Liga e, quando chegou a Inglaterra, subiu o nível do emblema do sul.

Chegou a terras de Sua Majestade a meio da temporada de 2012/2013. Salvou o clube da descida e, na época seguinte, alcançou um oitavo lugar na Premier League. Mas o que fica dessa época é o futebol atrativo que os Saints praticaram.  Vários jogadores valorizaram-se graças ao trabalho do argentino. O Liverpool que o diga!

(Foto: DownTheFlank)

De Adam Lallana a Nathaniel Clyne e por fim Harry Kane

Uma época e meia no Saint Mary’s bastou para potenciar vários jogadores. O futebol positivo apresentado pelos pupilos de Pochettino ajudou vários atletas a elevarem as suas capacidades. Adam Lallana foi o caso mais flagrante. O jogador era um extremo razoável. Sabia centrar bem, tinha boa técnica, mas com o treinador argentino “explodiu”. Mauricio Pochettino tirou o melhor do internacional inglês e, agora a jogar no Liverpool, Lallana é um dos melhores médios ingleses.

Nathaniel Clyne também beneficiou muito pela passagem de Pochettino pelo sul de Inglaterra. O defesa direito, agora companheiro de Lallana nos Reds, conseguiu crescer e tornar-se num elemento crucial nas equipas onde joga. Agora, devido a lesões, não tem conseguido mostrar toda a sua valia. Mas a maior criação do argentino é Harry Kane. O jogador é capaz de ser o melhor avançado da Europa. É um autêntico atleta e Pochettino potenciou tudo isso. Tornou-o num homem mortífero dentro da área – bota de ouro do Mundial 2018 – e um jogador muito inteligente a jogar fora dela.

Harry Kane é o melhor diamente de Pochettino (Foto: Marca)

Chegou o maior desafio de Pochettino: Tottenham Hotspur

O clube de Londres, quando o argentino chegou, vivia na sombra de Arsenal e Chelsea. Na época 2014/2015, Pochettino colocou os londrinos no quinto lugar da Premier League. Já com um bom plantel, o Tottenham conseguiu fazer melhor na segunda época de Mauricio no clube. O terceiro lugar e a qualificação direta para a Liga dos Campeões foi o primeiro marco importante do treinador em terras de Sua Majestade.

Quem pensou que na época seguinte o clube do norte de Londres ia derrapar na tabela, enganou-se. Nessa época alcançou o segundo lugar, mas o maior prémio para os adeptos dos Spurs foi terem ficado à frente do rival, Arsenal. A primeira vez que isso aconteceu. A quem se deve esse feito? A Pochettino. Na temporada seguinte acabou em terceiro, mas novamente à frente do rival. Para muita gente, o Tottenham é, nesta altura, o melhor clube londrino.

As campanhas regulares que realizou nas últimas temporadas, levaram o nome do clube aos palcos da Europa. Considerados das equipas que praticam melhor futebol na Europa, os Spurs têm um núcleo duro que foi criado pelo treinador argentino.

Só falta o título ao técnico argentino (Foto: The Irish Times)

 O clique para agarrar a Premier League

Para muitas pessoas, a falta de títulos é a única condicionante para não considerar o Tottenham como um dos melhores clubes europeus. Mas com Mauricio Pochettino ao leme, nunca tiveram tão perto de conquistar a Premier League.

Os adversários estão mais fortes, mas o treinador aposta na continuidade e no treino para agarrar troféus. De renovação em renovação, o argentino viu o seu contrato renovado em maio por mais cinco anos. Apesar desse prémio, o verão não foi fácil. Homem de gastar pouco em transferências, Pochettino não quis reforços. Só quis que Harry Kane e Dele Ali ficassem no plantel. O avançado é o capitão e peça crucial no esquema de Pochettino. A estratégia parece arriscada – não contratar e apostar na continuidade -, mas Mauricio tem um objetivo: agarrar a Premier League seguindo a sua filosofia de treino.

Toda a gente pensa que os Spurs precisam de investir forte no mercado e apontam esse fator como sendo o “clique” que precisam para conquistar o tão desejoso troféu. Mas o “mister” argentino não pensa assim. Fiel ao seu trabalho e acreditando muito nas suas valências, os adeptos podem esperar por mais uma grande época. Se chega para chegar ao topo? Vamos ter de esperar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter