Dybala. Será a peça que falta ao Tottenham para chegar aos títulos?

Pedro SousaJulho 28, 20194min0

Dybala. Será a peça que falta ao Tottenham para chegar aos títulos?

Pedro SousaJulho 28, 20194min0
O Tottenham tem andado sempre perto dos títulos, ficando sempre à porta. Será que falta uma contratação de peso para dar o salto? Será Dybala o homem ideal? Descobre aqui!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


O plantel do Tottenham não sofreu alterações nas últimas duas janelas de transferências. Mauricio Pochettino conseguiu montar uma equipa forte e capaz de andar no topo da Premier League. Contudo, o maior feito do treinador argentino foi a chegada à final da Liga dos Campeões, na última época.

Os Spurs, talvez a “poupar” para pagar as despesas do estádio, não entraram em loucuras nos últimos mercados de transferências. Esta época, o cenário mudou. O emblema londrino já gastou 71 milhões euros e bateu o recorde de transferência pago por um jogador. Tanguy N’Dombélé custou 60 milhões e era um desejo expresso de Pochettino.

Porém, os adeptos do Tottenham estão a sonhar com outro jogador. Segundo a comunicação social inglesa e italiana, a Juventus recebeu uma proposta por Paulo Dybala, no valor de 90 milhões de euros.

Será a peça que falta ao clube do norte de Londres?

Sim. Paulo Dybala é a peça que falta para o Tottenham subir um degrau. O internacional argentino possui qualidades inquestionáveis. No entanto, perdeu espaço na Juventus com a chegada de Cristiano Ronaldo. A porta de saída entreabriu-se e Pochettino pode estar à espreita. Com a qualidade ofensiva que os Spurs já possuem, o argentino conseguia acrescentar mais qualidade.

Falta a Pochettino um homem diferenciador (Foto: The National)

Uma frente de ataque com Harry Kane, Son Heung-min, Dele Ali, Eriksen e Dybala faz inveja às melhores equipas europeias. Porém, a operação Dybala é complicada. A Juventus não vai querer perder o jogador ao desbarato, mas não recusava um bom encaixe financeiro. A primeira proposta – 90 milhões – foi recusada. O mercado inflacionado pode implicar um investimento maior ao clube inglês. Para além do dinheiro da transferência, Dybala vai querer receber à altura dos melhores jogadores da Premier League. Uma operação que pode envolver uma quantia enorme de dinheiro, mas que pode acrescentar muita qualidade ao plantel.

Mauricio Pochettino ia ter um novo desafio pela frente: conjugar os jogadores todos no mesmo onze. Essa tarefa, até pode ser simplificada porque Christian Eriksen tem muito mercado. A transferência do dinamarquês até pode beneficiar a entrada de Dybala.

A saída do criativo abria espaço para entrar um jogador de renome e Dybala encaixava bem nesse papel porque, no futebol inglês e com médios de cobertura fortes, o argentino joga melhor quando tem mais liberdade nas suas ações. Se Eriksen não sair e Dybala entrar, os problemas para Pochettino podem ainda aumentar, mas eram boas dores de cabeça. Satisfazia os adeptos, assustava a concorrência e, ter estes craques todos na mesma equipa, era um sinal de força de um clube que já não ganha um trofeu há muitos anos.

O 11 e o que falta

Vamos por partes. Hugo Lloris é indiscutível e ainda possui capacidades inegáveis para continuar na baliza. À frente do francês, Jan Vertonghen, Toby Alderweireld, Davinson Sánchez e Juan Foyth são centrais fortes e dão muitas garantias. Contudo, são nas laterais que os problemas são mais urgentes. Kieran Trippier saiu para o Atlético. Danny Rose parece não entrar nas contas do treinador.

Será Dybala o homem que falta para a festa ser total? (Foto: SAPO Desporto)

Por isso, o emblema londrino vai ter que ir ao mercado para colmatar essas brechas. No meio campo, Harry Winks, Dele Ali, Tanguy N’Dombélé, Moussa Sissoko, Christian Eriksen e Oliver Skipp são jogadores competentes e com muita qualidade. Na frente de ataque, e se juntarmos Dybala, Mauricio Pochettino tem muita matéria para trabalhar. Harry Kane, Son Heung-min, Lucas Moura Érik Lamela criam bastantes dificuldades às defesas contrárias. O treinador argentino disse que queria um homem para a frente. Tenho a certeza que Dybala era o homem que precisava.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter