Cinco equipas que melhor mexeram até ao momento na Premier League

Pedro SousaSetembro 12, 20208min0

Cinco equipas que melhor mexeram até ao momento na Premier League

Pedro SousaSetembro 12, 20208min0
A Premier League sempre foi o grande destino das maiores transferências e este ano não é exceção. O Pedro Sousa do Bola na Relva mostra as 5 equipas que melhor se reforçaram!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


A Premier League está a começar, mas o mercado de transferências vai continuar aberto por mais umas semanas. No dia 16 de outubro a janela fecha-se e as equipas não podem fazer mais alterações até ao mercado de inverno.

Conhecido por ser o país das grandes e muitas mudanças, o campeonato inglês tem sempre uma equipa que mexe mais do que as outras. Neste artigo, destaco as cinco equipas que, para já, na minha opinião, mexeram melhor no plantel.

Chelsea

A equipa de Londres tinha de ser a primeira da lista. Roman Abramovich decidiu abrir os cordões à bolsa e ofereceu a Frank Lampard uma quantia avultada para gastar. Depois da suspensão de uma temporada sem conseguir contratar, os Blues já gastaram mais de 200 milhões de euros, até ao momento. No entanto, apesar destes valores astronómicos, o presidente russo quer afiar, ainda mais, as garras do leão.

No topo da lista surge o nome de Kai Havertz. O jovem alemão esvaziou os cofres londrinos em 80 milhões. Um valor que pode subir até aos 100 milhões. Logo atrás, Timo Werner é a nova esperança do ataque do Chelsea. O germânico chegou a Londres após a passagem de um cheque com o valor de 53 milhões de euros.

Se os dois reforços mais caros, até ao momento, são alemães, o terceiro pertence à terra de Sua Majestade. Ben Chilwell chega do Leicester por uma quantia a rondar os 50 milhões de euros. O defesa esquerdo inglês foi um pedido expresso de Frank Lampard para compor o setor mais recuado. Já com a transferência garantida há uns meses, Hakin Ziyech transferiu-se do Ajax para o Chelsea, com um valor de 40 milhões de euros. A custo zero chegaram à capital inglesa Thiago Silva e Malang Sarr. São atletas de valor, mas que colocam mais pressão em Lampard. O ex-jogador do clube vai para a segunda temporada e vai ter um teste de fogo, porque o investimento foi forte.

Kai Havertz é uma das grandes contratações deste mercado (Foto: Getty Images)

Wolverhampton

É uma armada portuguesa que joga em Inglaterra. A alcateia dos lobos está cada vez mais lusa e este mercado de transferências trouxe mais conterrâneos para Rúben Neves e companhia. São apenas três contratações, para já, mas são aquisições que entram na filosofia dos Wolves. Fábio Silva é a maior transferência de sempre do clube (40 milhões de euros) e o jovem de 18 anos chega a Inglaterra com uma margem de progressão imensa. Apesar dos poucos minutos de utilização de dragão ao peito na última época, o avançado conseguiu sair para terras de Sua Majestade por um valor assinalável. Claro que o fator Jorge Mendes foi decisivo para atingir esse montante, mas é conversa para outras discussões.

Após a chegada do avançado, Marçal assinou pelo Wolverhampton e enquadra-se no típico estilo de jogo do Nuno Espírito Santo. Um jogador que passou de defesa esquerdo para central do lado canhoto, num sistema de três defesas centrais. Uma forma de jogo adotada por NES desde o início da sua experiência em Inglaterra. Mais recentemente, Vitinha rubricou um contrato com os Wolves. O jovem médio chega por empréstimo do FC Porto, com uma opção de compra de 20 milhões de euros. Com características que o podem aproximar de Rúben Neves, o técnico do emblema inglês ganha mais uma solução fiável para acrescentar qualidade. São três aquisições e os lobos prometem não ficar por aqui.

Sheffield United

Os Blades vão para a segunda temporada seguida na Premier League e tem sido uma das equipas que melhor tem sabido jogar no mercado. Chris Wilder tem um sistema enraizado na equipa que surpreendeu muita gente na época de regresso ao principal escalão inglês e contrata de acordo com as suas ideias. Neste momento, o Sheffield United tem cinco contratações cirúrgicas.

Após o término do empréstimo de Dean Henderson, Aaron Ramsdale regressou a uma casa que bem conhece. Formado no clube e considerado um dos melhores guarda-redes da última temporada, apesar da sua equipa, o AFC Bournemouth, ter descido de divisão, o novo dono da baliza chega para preencher a vaga deixada pelo guardião do Manchester United. Para garantir o reforço, os cofres dos Blades ficaram sem 20 milhões de euros.

A seguir, o Sheffield United apresentou três reforços de uma assentada. Ethan Ampadu, promessa das escolas do Chelsea, chega emprestado pelos londrinos. Bom na condução de bola, o galês acrescenta qualidade ao setor defensivo e também pode atuar no meio campo. Juntamente com Ampadu, Jayden Bogle e Max Lowe foram apresentados. Chegam ambos do Derby County e a transferência dos dois atletas rondou os oito milhões de euros. Bogle é defesa direito e tem uma margem de progressão enorme. Com 20 anos, provavelmente, vai ser alternativa a George Baldock, mas pode aprender e crescer. Potencial há.

Max Lowe joga no lado aposto da defesa e tem Enda Stevens como concorrente. Possivelmente vai ter de sujeitar-se a jogador de segundo plano, mas com 23 anos é um jovem com grande potencial e pode retirar o melhor de Enda Stevens para evoluir.

Por fim, chegou Oliver Burke. O escocês já foi apelidado como uma das maiores promessas do seu país, mas a rebeldia falou mais alto. Agora, na cidade do aço, o atleta tem mais uma oportunidade de renascer. Tem apenas 23 anos e Wilder pode ter um papel decisivo na afirmação do escocês.

Newcastle

Os magpies parecem estar a construir uma equipa para lutar por algo mais do que o meio da tabela. Falhada a aquisição do clube por parte de um investidor saudita, os adeptos do Newcastle viram os sonhos irem por água abaixo e vão continuar com o muito contestado Mike Ashley. Não perdoam a má gestão por parte do dono, mas esta época parece que as coisas podem tomar outro rumo. Pelo menos as contratações, até ao momento, prometam.

À cabeça aparece Callum Wilson. O avançado inglês de 28 anos é sinónimo de golos e, se a condição física o permitir, vai ser um dos destaques da equipa. Chegou do AFC Bournemouth por um valor a rondar os 23 milhões de euros e é a grande promessa da equipa para a nova temporada. Ryan Fraser também chega ao Newcastle proveniente do sul de Inglaterra. O antigo extremo dos Cherries não renovou o vínculo e aterra no Norte a custo zero. Jeff Hendrick também assina pelos Magpies, depois de não ter continuado no Burnley. A transferência do irlandês não custou nada aos cofres do Newcastle.

Por último, Jamal Lewis é o novo defesa esquerdo. Proveniente do Norwich, o norte irlandês custou cerca de 17 milhões e já é uma certeza apesar da juventude. Foi desejado pelo Liverpool, mas os Reds não quiseram pagar tanto e optaram por adquirir Kostas Tsimikas.

Callum Wilson será um dos jogadores a ter atenção (Foto: Getty Images)

Everton

Uma das contratações mais sonantes deste mercado chegou a Liverpool e não foi para o lado dos Reds. James Rodriguez viaja até Goodison Park proveniente de Madrid e chega a custo zero. O colombiano não renovou o contrato com os merengues e volta a ser contratado por Carlo Ancelotti. Já é a terceira vez que isso acontece. Com muita magia no pé esquerdo, James tem tudo para singrar em Merseyside. Uma contratação que acrescenta muita qualidade ao plantel do Everton e que promete subir as prestações da equipa na próxima época.

Para além do ex-Real Madrid, Allan também rubricou contrato com os Toffees. O brasileiro também já foi treinado por Carletto, quando os dois estavam em Nápoles. Médio robusto fisicamente e com um enorme pulmão. Um médio que pode encaixar perfeitamente no futebol inglês. A transferência ficou nos 25 milhões de euros.

E como o meio campo é considerada por muitos a posição mais importante, o técnico italiano pediu a contratação de Abdoulaye Doucouré. O francês chega do Watford por um valor a rondar os 23 milhões de euros. Também robusto fisicamente, o médio de 27 anos assina pelo Everton em plena fase de maturidade. Excelente em cavalgar metros de terreno com a bola nos pés, Doucouré é mais uma excelente aquisição para o centro do terreno.

O Everton foi outros dos clubes que se mexeu bem (Foto: Everton)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter