Arsenal FC: erros atrás de erros provocaram o declínio dos gunners

Pedro SousaJunho 27, 20206min0

Arsenal FC: erros atrás de erros provocaram o declínio dos gunners

Pedro SousaJunho 27, 20206min0
O Arsenal é considerado um dos grandes da Premier League, mas tem tomado más decisões atrás de más decisões. O Pedro Sousa do Bola na Relva explica o insucesso dos Gunners nos anos recentes!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


O Arsenal FC é a equipa pertencente aos Big-Six ingleses que está a passar por maiores dificuldades. São anos sem títulos e futebol que, por muitas vezes, vai do perfeito ao medíocre. Contudo, esta temporada, está a ser a pior dos últimos anos e, a equipa que nunca ficava fora das competições europeias, pode ficar sem futebol europeu na próxima temporada. Encontra-se na 9ª posição da Premier League.

Onde está o problema dos gunners?

Desde da saída de Arséne Wenger, que já estava a ser criticado há anos, o Arsenal FC teve dois treinadores. Unai Emery foi o escolhido para substituir o mítico técnico francês e, no momento do anúncio, parecia que era a escolha certa para o lugar certo. Porém, as coisas não saíram de feição ao espanhol. Depois do belo trabalho ao comando do Valência e do cargo no Paris Saint Germain, Emery agarrou os gunners e os adeptos acreditaram que o legado de Wenger estava bem entregue. Mas não. Levou o Arsenal FC à final da Liga Europa, mas as prestações na Liga Inglesa não foram as desejadas. Segue-se Mikel Arteta, que está a ter a missão de juntar as peças do puzzle deixado por Emery.

Contudo, o problema da formação do norte de Londres vem de longe. Toda a gente recorda-se dos “Invencíveis”. Aquela equipa que foi campeã inglesa, em 2003/2004, sem nenhuma derrota, deu crédito a Wenger e o francês só saiu em 2017/2018. O técnico ainda levou os londrinos a uma final da Liga Campeões, em 2005/2006, mas nos últimos anos, o Arsenal FC andou longe do principal palco europeu.

O rosto maior dos tempos de glória do Arsenal (Foto: Goal)

A forma como os responsáveis dos gunners geriram a equipa, principalmente, nos últimos anos, fez cair de qualidade a formação inglesa. Os erros de casting nas contratações, a incapacidade de segurar os melhores jogadores e a insistência em Wenger, custaram títulos nacionais e internacionais. Num futuro próximo, pode custar o futebol europeu ao Arsenal FC.

Os tiros ao lado dos gunners

Se olharmos para as últimas contratações do Arsenal FC, percebemos que há algumas aquisições difíceis de explicar. Porém, se consultarmos os jogadores que abandonaram os gunners, ficamos ainda mais perplexos. Esta temporada, os cofres da equipa londrina ficaram 80 milhões de euros mais vazios. Pépé, extremo que realizou uma excelente temporada de 2018/2019 no Lille, chegou à capital inglesa como reforço sonante. Mas não era isso que o Arsenal FC precisava. Ao longos dos últimos anos, os gunners conseguem, em alguns momentos da temporada, jogarem de forma atacante e atrativa, mas conjugam esses momentos com erros clamorosos na defesa.

O dinheiro gasto no extremo costa marfinense podia ter sido investido na restruturação defensiva. Uma equipa para ter sucesso, tem de ser pensada a partir de trás e esse foi o erro que Emery cometeu. O Arsenal FC tem um Ferrari na frente de ataque, mas o setor defensivo não acompanha o poderio atacante. Ainda no jogo frente ao City, David Luiz, outra contratação incompreensível, cometeu dois erros clamorosos que ditaram a derrota dos gunners. Mas um dos maiores erros da formação londrina no passado recente foi a venda de Serge Gnabry.

Um dos muitos erros de casting do Arsenal (Foto: The Telegraph)

O extremo alemão está a brilhar no Bayern de Munique e, se pensarmos que saiu dos gunners por apenas cinco milhões de euros para ingressar, na altura, no Werder Bremen, percebemos que o problema do Arsenal FC não está, apenas, no banco de suplentes, mas também nos escritórios dos londrinos.

Porém, há saídas que marcaram a história recente do clube e indicam o declínio do clube do norte de Londres no panorama do futebol inglês. Apontei apenas quatro, algumas já há algum tempo, mas comprovam que o Arsenal FC já viveu melhores tempos.

Samir Nasri

Na altura em que o jogador saiu dos Gunners, Nasri era um dos melhores jogadores franceses. A venda ao para o rival milionário, Manchester City, enfraqueceu os gunners e deu poder de fogo à formação do norte de Inglaterra. Foram quase 28 milhões pagos pelos citizens.

Emmanuel Adebayor

Neste momento, é o jogador mais odiado pelos adeptos londrinos. O avançado do Togo brilhou no norte de Inglaterra e o Manchester City passou o cheque e tirou-o da capital londrina. Tal como Nasri, foi um sinal de perda de força do Arsenal FC.

Robin van Persie

A par de Alexis Sánchez, o holandês também se destacou ao serviço dos gunners, de tal forma, que muitos o colocam no top-3 de melhores jogadores do século do clube. Contudo, a saída também esteve envolta em muita polémica porque viajou para o rival de Manchester. O United contratou-o e foi mais uma forma de mostrar que o clube londrino estava em declínio na capacidade de conseguir manter os melhores jogadores.

Um ídolo em Londres que saiu para um rival direto (Foto: Evening Standard)

Alexis Sánchez

A seguir a Henry, o chileno foi o melhor jogador que o Arsenal FC teve no leque desde 2000. Foi com alguma surpresa que chegou ao norte de Londres, mas foi maior o espanto quando forçou a saída para o Manchester United. A perda de força no campeonato inglês e o falhanço consecutivo na conquista de títulos precipitaram a saída do internacional pelo Chile.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter