Rodrigo Ribeiro: A mais recente pérola de Rúben Amorim

José Nuno QueirósOutubro 20, 20213min0

Rodrigo Ribeiro: A mais recente pérola de Rúben Amorim

José Nuno QueirósOutubro 20, 20213min0
Foi muito elogiado por Rúben Amorim e fomos ver afinal o que pode Rodrigo Ribeiro fazer e o que se pode esperar no futuro do jovem leão.

Rodrigo Ribeiro foi muito elogiado por Rúben Amorim e imediatamente saltou para os olhares dos adeptos mais atentos, que já anseiam por mais uma estreia de um menino de Alcochete. Mas afinal como joga este avançado?

Rodrigo Ribeiro é um avançado alto com 1,85m, apesar de só ter 16 anos e ainda estar em processo de crescimento devendo ficar muito perto do 1,90m quando chegar a idade de sénior, mas que ainda assim é dotado de uma enorme mobilidade (a característica que mais terá agradado a Rúben Amorim).

Olhando para o exemplo de Paulinho é natural que o técnico leonino procure nas camadas jovens, atletas que podem replicar aquilo que o internacional português faz jogo após jogo. Alguém que sirva de apoio frontal para deixar os médios de frente para o jogo, que consiga arrastar a marcação dos centrais adversários para abrir espaços nas costas para os alas e que consiga progredir com bola e ter qualidade no último passe.

E Rodrigo mostra muito destas características no seu jogo. A jogar atualmente nos juniores leoninos, o jovem atleta usa muito bem a sua presença física nos duelos (muitos deles contra atletas 3 anos mais velhos), para ganhar posição e permitir à equipa ganhar metros no terreno de jogo.

Com boa capacidade física o atleta consegue pressionar muito alto e condicionar a saída do adversário, obrigando muitas vezes a que percam a bola ou a joguem “sem nexo” para o meio campo adversário.

É ainda dotado de uma técnica acima da média que lhe permite driblar, assistir, mas também finalizar com enorme classe e ser muito mais do que apenas um homem de área, mas alguém que participa ativamente em todo o processo de construção no último terço, sendo que por vezes chega a trabalhar em zonas perto do meio campo, quase como um médio que se junta aos restantes para segurara bola e procurar soluções para ficar com a posse de frente para a baliza adversária.

Acaba por destacar-se também nas bolas paradas defensivas e ofensivas, mesmo não sendo o alvo principal para o jogo aéreo, usa muito bem a sua estatura para ganhar alguns duelos importantes. Tem vindo cada vez mais a treinar com a equipa principal e já se nota no seu jogo muitos movimentos que são característicos da formação de Rúben Amorim.

Esta paragem também fez com que fosse chamado e utilizado 17 minutos no jogo da Youth League frente ao Besiktas, sendo mais um passo importante na sua evolução enquanto atleta. Ainda é muito cedo para alguém de 16 anos, mas com o passar do tempo e com experiência adquirida nos sub-23 e equipa B, rodrigo tem tudo para poder chegar à equipa principal dentro de 2/3 anos, sensivelmente na mesma idade com que Nuno Mendes, Tiago Tomás e Eduardo Quaresma apareceram.

No entanto, no futebol tudo muda muito rapidamente, e por isso cabe ao Rodrigo continuar a dar o seu melhor para provar que pode ser aposta da equipa principal e assim cumprir com o desejo que têm todos os atletas que passam pela academia de Alcochete, que é vestir a listada verde e branca.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter