Que futuro para o plantel do Sporting Clube de Portugal?

José Nuno QueirósFevereiro 27, 20205min0

Que futuro para o plantel do Sporting Clube de Portugal?

José Nuno QueirósFevereiro 27, 20205min0
Que futuro para o Sporting? Quem pode vestir a verde e branca e quem já chegou ao fim da linha no plantel leonino? Sabe tudo aqui

Com a eliminação da Liga Europa, o Sporting fica oficialmente a lutar apenas pela melhor qualificação possível na Liga Portuguesa, algo que apenas parece ser o 3º lugar numa disputa com o SC Braga, que não se adivinha nada fácil.

Depois da vitória na primeira mão por 3-1, era natural a expectativa dos sportinguistas em sonhar com a passagem na Liga Europa e alimentar a ideia de que se podia fazer “uma gracinha” na segunda maior prova de clubes da Europa.

No entanto uma derrota, inesperada, por 4-1 na Turquia após Prolongamento ditou o afastamento da prova e o adeus do Sporting a todas as provas a eliminar.

Recordando que a equipa leonina foi afastada da Taça de Portugal logo na 3ª eliminatória aos pés do Alverca e perdeu na meia final da taça da liga onde chegou pela 3ª vez consecutiva frente ao vencedor SC Braga.

Quem têm, de facto, qualidade para envergar a verde e branca?

Neste momento, apesar de já parecer hábito há duas décadas, o Sporting tem que começar a pensar, a sério, na próxima época.

Com jogadores que já provaram que não tem qualidade para envergar a camisola do leão, é importante otimizar recursos e procurar reforços em posições críticas e nas quais não se tenha já jogadores de nível no plantel.

Na baliza parece-me que pode ser a situação onde o Sporting pode otimizar mais o seu plantel, poupando bastante dinheiro para ser utilizado em posições deficitárias. Com Luís Maximiano a afirmar-se no plantel, seria injusto contratar um guarda-redes para a baliza verde e branca podendo o Sporting com Max e Diogo Sousa ter a sua baliza fechada para a próxima temporada.

Max é uma aposta ganha e para continuar. (Fonte: Record)

Na lateral direita, os problemas parecem não acabar para os leões. Com Ristovski e Rosier longe do exigido para jogar no clube de Alvalade é importante que se tome uma decisão. Um destes atletas terá que ser vendido no final da temporada para abrir espaço a um reforço de peso. Depois de fracassadas as expectativas dos sportinguistas em Thierry Correia, que foi sempre péssimo em momento defensivo, o Sporting precisa urgentemente de encontrar um jogador que devolva o nível que Piccini e Cédric deram ao plantel.

Na defesa há uma grande incógnita na continuidade de Mathieu no plantel, mas atendendo à forte possibilidade da sua saída, seria útil contrata um central de qualidade para acompanhar Coates, mantendo Neto como alternativa, dispensando Ilori e subindo Quaresma para 4º central (deixando o jogador a jogar nos sub-23 ou na equipa B). Não faz sentido apostar em 4 centrais de raiz quando o plantel se quer curto e competitivo, e numa altura em que o dinheiro não estica. Basta ver a abordagem do Benfica nesta posição.

Mathieu deverá fazer a última época de leão ao peito e da carreira. (Fonte: Record)

Na lateral esquerda, o Sporting possui Acuna, um dos seus maiores ativos, mas neste momento parece mais provável a sua renovação do que a sua saída. Borja não é uma solução viável, mas face à ausência de soluções na academia (Nuno Mendes parece longe do exigido ainda) e face à necessidade de contratar para outras posições parece-me que Borja acabará por continuar, a não ser que a própria venda de Borja chegue para trazer alguém melhor de mercados periféricos.

No meio campo, Battaglia e Wendel são neste momento os dois titulares do meio campo leonino e, a não ser que Wendel tenha uma proposta avultada, a sua continuidade parece estar assegurada. Eduardo, Doumbia e Miguel Luís não tem qualidade para continuar a vestir a verde e branca e tem que ser emprestados/vendidos rapidamente. Palhinha terá que ser a aposta para a posição de Battaglia e será aqui que o Sporting terá que investir mais a sério o dinheiro de Bruno Fernandes, na contratação de um bom médio (ou 2 se sair o Wendel).

João Palhinha aproveitou em grande o empréstimo ao SC Braga e vai regressar a Alvalade. (Fonte: Record)

Para as alas o Sporting parece bem servido com Jovane, Plata e Camacho, faltando apenas um extremo mais experiente para ajudar tanta juventude, numa altura em que Bolasie parece que irá seguir o mesmo caminho de Fernando e não irá continuar de leão ao peito no final do empréstimo. Recorde-se que a venda de Matheus Pereira significará um encaixe de 10M, muito interessante para investir aqui.

Para o ataque, Sporar é uma aposta firme, Vietto prova que rende mais nas costas do Ponta de Lança ficando a faltar, pelo menos, outro nome sonante no ataque leonino, com Jesé a ter guia de marcha e Phellype a ter que ser vendido rapidamente.

Nesta ótica o plantel seria:

GR: Max; Diogo Sousa

Lateral Direito: Ristovski/Rosier; REFORÇO
Defesa Central: Coates; Neto; Mathieu/REFORÇO; Quaresma
Lateral Esquerdo: Acuna; Borja

Médio Defensivo: Battaglia; Palhinha
Médio centro: Wendel; REFORÇO

Extremos: Plata; Jovane; Camacho; REFORÇO

Avançados: Sporar; Vietto; REFORÇO

Quanto a Silas, a explicação é simples. Ou o departamento de futebol aparece com um nome sonante como Bruno de Carvalho quando trouxe Jesus para suceder a Marco Silva, ou então Silas deverá mesmo continuar no comando da equipa por questões de estabilidade.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter