Sarabia, perdoa-os que eles não sabem o que fazem!

José Nuno QueirósJunho 28, 20223min0

Sarabia, perdoa-os que eles não sabem o que fazem!

José Nuno QueirósJunho 28, 20223min0
Sarabia merecia estar no onze do ano da Liga, mas estranhamente esse lugar foi-lhe retirado, mostrando que não merecemos a sua qualidade.

A liga oficializou o onze do ano e não deixa de ser, no mínimo, estranho a ausência de Pablo Sarabia do mesmo. De facto a nossa liga não merece receber jogadores da craveira de Sarabia, porque nem sequer sabemos reconhecer toda a qualidade que depositaram no futebol português, quando não conseguimos, sequer, arranjar um lugar num onze, para um dos 3 melhores jogadores do campeonato.

Numa época onde Sarabia encantou os campos por onde passou, espalhando qualidade e sendo absolutamente determinante no processo ofensivo do Sporting, tendo brindado ainda os adeptos de futebol com golos absolutamente excecionais, como o golo na Luz ou em Alvalade frente ao Estoril, sem esquecer a finalização frente ao Santa Clara, tal qualidade não chegou para figurar entre os melhores da Liga BWIN.

Olhando apenas a cru para os números, Sarabia jogou como extremo/médio interior e marcou 15 golos e fez 7 assistências em 2088 minutos.

Para comparar Horta fez 18 golos e 8 assistências em 2793 minutos. Sarabia marcou a cada 140 minutos contra os 156 minutos que Horta precisou. Mas nem foi tanto a inclusão de Horta que me incomodou, o que mais estranhou acabou por ser a forma como a Liga, querendo também reconhecer os ótimos números de Taremi (que sendo ponta de lança marcou golo a cada 122 minutos, números que quase parecem fracos comparados aos 77 minutos que Darwin precisou), acabou por criar um onze “forçado” onde Darwin é empurrado para a ala porque de outra forma não caberiam os homens que desejavam.

No entanto, e numa votação de capitães e treinadores esperava-se uma escolha para lá da estatística. E aí percebe-se a inclusão de Horta, de Darwin, mas não a de Taremi que nunca atingiu a qualidade futebolística do melhor ponta de lança da liga, sendo que nas alas apenas uma menção honrosa à meia época lendária de Luis Diaz podia tirar o lugar a Horta e Sarabia.

Se no restante onze também nos tivéssemos esquecido daquilo que é a leitura tática do jogo e nos focássemos apenas em números, víamos um jogador como Vitinha com 2 golos e 4 assistências e não reconhecíamos aquilo que de facto vimos em campo: que a par de Darwin e Sarabia, Vitinha foi um dos melhores deste campeonato por ser o cérebro da primeira fase de construção do Porto, tal e qual Sarabia era o cérebro por trás de todo o ataque do Sporting, jogasse em que posição jogasse.

Pedrinho no Gil vicente acaba a época com 1 golo e 14 assistências e não usamos isto como justificação para mandar Vitinha ou Matheus Nunes para fora do onze porque de facto foram dos melhores na leitura tática do jogo, sem demérito ao Pedrinho que foi absolutamente decisivo na campanha do Gil Vicente.

Era interessante sabermos se de facto a votação dos treinadores e capitães foi mais baseada nos números ou é mesmo o entendimento relativo à qualidade que viram nos relvados da Liga BWIN.

O comandante que falta ao onze do ano. (Fonte: O Jogo)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter