Como estão organizadas as novas II e III Divisões Nacionais Femininas?

João NegreiraNovembro 19, 20204min0

Como estão organizadas as novas II e III Divisões Nacionais Femininas?

João NegreiraNovembro 19, 20204min0
A FPF remodelou todos os quadros competitivos no futebol feminino. Sabes como estão estruturadas a II e III Divisões Femininas? Descobre tudo no artigo!

Como já tínhamos dado referência, a Federação Portuguesa de Futebol mudou por completo os quadros competitivos do futebol feminino em Portugal.

Neste artigo, apresentaremos as estruturas da II e III divisões femininas, esclarecendo esses contextos e fazendo ainda uma atualização às classificações.

Começando pela Liga BPI, que foi alargada de 12 para 20 equipas e divida em 2 séries, por todas as questões que envolviam as subidas de divisões, os investimentos feitos e claro está, a COVID-19. Foram ainda faladas algumas alterações aos tetos salariais, mas depois de muita contestação, o órgão máximo do futebol português, recuou com a sua iniciativa.

II Divisão

Logo abaixo da Liga BPI, temos o Campeonato Nacional II Divisão Feminino. Na temporada passada, este campeonato era composto por 8 séries de 7 e 8 clubes. Como não foi possível terminar esta competição, a FPF decidiu que subiriam à Liga BPI os 1ºs classificados das 8 séries. Assim foi.

Nesta temporada, o campeonato ficou organizado em 2 séries (norte e sul) de 8 clubes cada. Os 16 clubes participantes são os segundos e terceiros classificados desta II Divisão na temporada 2019/2020. Assim como na Liga BPI, teremos uma 1ª fase, em que os clubes jogam entre si apenas uma vez e por pontos. Os 4 melhores classificados de cada série apuram-se para a 2ª Fase – Subida e os 4 piores classificados de cada série apuram-se para a 2ª Fase  – Manutenção e Descida.

Na 2ª Fase, o formato já é diferente, já que sobem à Liga BPI os 2 melhores classificados da fase de subida e os restantes 6 asseguram a manutenção na II Divisão na época seguinte. Na Fase de Manutenção e Descida, dos 8 clubes que se apuraram 4 asseguram a manutenção e 4 descem à III Divisão. Há ainda uma final, onde jogam entre si, duas vezes, as 2 equipas que foram promovidas à Liga BPI, para o apuramento de campeão.

Como referido anteriormente, as duas séries distribuem os clubes de acordo com a sua localização geográfica. Posto isto, na série Norte, participam a AD Grijó, o Berço SC, o Feirense, o Lusitano Vildemoinhos, o Romariz Lousada, o Valadares Gaia B, o Varzim e o Vilaverdense. Já com 5 jornadas (apenas 1 jogo em atraso), vai havendo alguma diferença na classificação. O Varzim e o Vilaverdense ainda não perderam e o Grijó e o Romariz Lousada já estão distantes dos últimos 4.

No que diz respeito à série Sul, participam a AD Pastéis, o Atlético CP, a Escola Fut. Fem. Setúbal, o FC Alverca, o Guia, o Lordemão FC, o Seia FC e o Sporting CP B. Também com 5 jornadas, mas com 3 jogos em atraso, a série sul mostra-se ainda mais desequilibrada. As jovens leoas e a equipa algarvia estão 100% vitoriosas e o Atlético perdeu apenas 1 jogo. Parece restar apenas a luta pelo 4º lugar, podendo todas as outras chegar lá.

III Divisão

O recém criado (e já há muito esperado) Campeonato Nacional da III Divisão Feminino, vulgo III Divisão Feminina, é disputado por um total de 57 clubes que são divididos em 7 séries de 8 e 9 equipas. Na 1ª fase todas as equipas jogam entre si 2 vezes e apuram-se para a 2ª fase os 1ºs classificados de cada série e os 5 melhores classificados.

Na 2ª fase, os 12 clubes são divididos em 2 séries de 6 equipas que vão jogar entre si apenas 1 vez. Sobem à II Divisão o 1º e 2º classificados de cada série. Há também uma final disputada por 2 equipas que jogam entre si duas vezes, para decidir o campeão.

Entre os muitos participantes, destacam-se o Famalicão B, Vitória SC, o Rio Ave FC, o Fiães SC B, o SCU Torreense B, o Racing Power FC e o SL Benfica B.

É o Futebol Feminino a crescer em Portugal, clubes a apostar em equipas, jogadoras, novas organizações a aparecer e uma maior visibilidade para as mulheres que querem jogar futebol!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter