Bem-vindo de Volta, Estádio de São Luís!

Francisco da SilvaJunho 15, 20204min0

Bem-vindo de Volta, Estádio de São Luís!

Francisco da SilvaJunho 15, 20204min0
O Estádio de São Luís está finalmente de regresso ao principal escalão do futebol português. Em mais um artigo da rubrica Futebol Popular, conheça com o Fair Play a história e a mística deste icónico recinto desportivo do Algarve e do país.

A cidade milenar de Faro há muito que se deu a conhecer aos quatro cantos do mundo. Fenícios, mouros e, finalmente, portugueses descobriram ao longo de vários séculos os inúmeros encantos que fazem de Faro um destino tão procurado por forasteiros. Contudo, há certamente um lugar mágico e simbólico, outrora localizado nos arrabaldes de Faro, que passa incógnito à maioria dos forasteiros, o Estádio de São Luís.

À boleia da ambição e do empreendedorismo de um emigrante regressado dos Estados Unidos da América, o Algarve viu nascer perto da Igreja de São Luís um recinto eclético, funcional e cómodo para a prática de desporto. O denominado “Santo Stadium”, referência explícita ao proprietário Manuel Santo, foi inaugurado em 1923 como um dos mais modernos e bem preparados estádios em Portugal.

O emblema mais antigo e mais triunfante do Algarve, o Sporting Clube Farense, viria a mudar-se de malas e bagagens para o “Santo Stadium” em 1924, substituindo os tradicionais Campo de São Francisco e Campo da Senhora da Saúde.

Nas décadas seguintes, o “Santo Stadium” mudaria de proprietário e de nome, até que a 1 de Abril de 1986, o então Estádio Municipal de São Luís seria cedido ao SC Farense no dia do 76º aniversário do clube, já depois deste ter sido palco da estreia do emblema algarvio no principal escalão do futebol português em 1970/1971.

Ao longo dos anos, o agora Estádio de São Luís estabeleceu uma relação umbilical e simbiótica com o SC Farense, o que contribuiu para criar uma aura muito especial à volta deste histórico recinto desportivo. Com bastante frequência, as bancadas enchiam-se de gente dos mais variados estratos sociais do Algarve, que partilhavam o mesmo amor e o mesmo entusiasmo e se vestiam religiosamente de preto e branco para apoiar os Leões de Faro.

Para os adversários do SC Farense, cada jogo no São Luís assemelhava-se a um safari na selva algarvia, mas sem qualquer equipamento de segurança ou guia turístico. À medida que os minutos se iam somando, a selva tornava-se num inferno e deixava os oponentes desnorteados.

Para gáudio dos deuses do Futebol, após o Estádio de São Luís transitar para a esfera do clube, o recinto adquiriu atributos fortuitos, metafísicos e celestiais que tornaram o São Luís invariavelmente o 12º jogador. Na irreverência do gaúcho Pitico, na segurança do nigeriano Peter Rufai, na liderança do conimbricense Carlos Costa, na magia do marroquino Hajry, na criatividade do paulista Helcinho, na solidez do algarvio Miguel Serôdio, na finalização do marroquino Hassan ou na paixão do catalão Paco Fortes existia umbilicalmente traços da influência do São Luís.

E assim, o SC Farense atingiu a final da Taça de Portugal em 1989/1990, conviveu mais de uma década seguida no principal escalão do futebol português e, merecidamente, viveu o sonho das competições europeias.

O início do século XXI foi penoso e prejudicial para os Leões de Faro que, após serem relegados para o segundo escalão, atravessaram o período mais negro e sombrio da sua história. No limbo da existência, esteve não só o emblema mas também o histórico Estádio de São Luís, colocado à venda para limpar o elevado passivo do clube algarvio.

Felizmente, os deuses do Futebol e da Economia deram uma segunda e derradeira oportunidade ao SC Farense e ao São Luís. Falhada a venda do recinto, o emblema algarvio encetou uma reestruturação organizacional profunda mas que, depois de uma longa e dolorosa travessia no deserto, recolocou o SC Farense no convívio dos “Grandes” do futebol português.

Em 2020/2021, o Estádio de São Luís voltará a receber as melhores formações do futebol português, volvidas quase duas décadas de ausência. O Desporto Rei já tinha saudades do SC Farense, porém, o maior elemento de saudade reside na selva e no inferno alvinegro do São Luís que tantas vezes alimentou o imaginário das gentes do Algarve.

Os amantes do Futebol Popular e os deuses do Futebol já suspiram pelo regresso dos Leões de Faro. Bem-vindo de volta, Estádio de São Luís!

Quando o Estádio de São Luís se enche para apoiar os Leões de Faro (Fonte: Algarve Press)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter