Gigante Adormecido ou Morto: O Saint-Étienne está de volta?

João NegreiraOutubro 18, 20183min0

Gigante Adormecido ou Morto: O Saint-Étienne está de volta?

João NegreiraOutubro 18, 20183min0
O histórico gaulês, Saint-Étienne é alvo de análise na nossa rubrica. Depois de largos anos a fazerem parte da elite francesa, nunca mais se viram por lá. O Fair Play explica-lhe o que se passou e que se tem passado com este gigante.

Voltamos para mais um episódio da rubrica Gigante Adormecido ou Morto! Desta feita, expandimo-nos para França, para analisarmos a vida do Saint-Étienne. Um histórico que já deu muito ao futebol francês, mas que tem estado muito longe da órbita dos títulos.

Um passado de vitórias

Apesar de desconhecido nestes termos para alguns, o Saint-Étienne, é um nome incontornável na história do futebol francês. Não só pelo vasto palmarés, a nível nacional, como também, pela qualidade dos jogadores que por lá passaram.

Importa referir os nomes do Bola d’Ouro, Michel Platini, de Laurent Blanc, o maior goleador da história da Ligue 1, Hervé Revelli, tendo ainda tido Rudi Garcia ou Alain Perrin como treinadores.

Não obstante, o destaque máximo vai para os títulos conquistados. O Saint-Étienne é o clube francês com mais campeonatos ganhos, totalizando 10.

Os verts tiveram o seu auge nas décadas de 60 e 70, onde fizeram o “tetra” (1966–67, 1967–68, 1968–69, 1969–70) e depois o “tri” (1973–74, 1974–75, 1975–76).

Foi também nestes tempos que o clube conquistou as 6 Taças de França que tem no seu palmarés.

De referir que o Saint-Étienne chegou a estar perto dos melhores clubes europeus, chegando à final da Liga dos Campeões, em 1976 (ver foto), e à meia-final no ano antes.

Porém, nunca mais voltaram ao topo e a ganhar títulos como na 2ª metade do século XX.

A equipa que jogou a final da Liga dos Campeões em 1976. (Fonte: Wikipédia)

Um presente cinzento a querer clarear

O Saint-Étienne já passou até 2 vezes pela 2ª divisão francesa nos últimos 20 anos. Algo incrível para um clube com uma história tão vitoriosa e com uns adeptos tão fervorosos e conhecidos.

Voltaram ao principal escalão, mas como já dito acima, não conseguiram voltar a conquistar títulos e a dar as alegrias que já deram no passado.

Contudo, este artigo sai também em destaque para o início de temporada que os verts estão a fazer.

Com um início de calendário, diga-se, difícil, parecem estar a mostrar algo mais do que nos anos anteriores, alcançando já a 5ª posição.

Com apenas 2 derrotas (PSG e Lille) o clube de Saint-Étienne parece ser capaz de lutar por um lugar na Europa este ano, contando com Rémy Cabella, como estrela da equipa para fazer a diferença.

Este ano, treinados pelo experiente, Jean-Louis Gasset, o Étienne conta com uma defesa, também, experiente – Loic Perrin, Neven Subotic e Mathieu Debuchy – e um ataque bastante técnico – Wahbi Khazri e Cabella.

A equipa mostra-se ser muito móvel na frente e lutadora atrás. Com um estilo de jogo ofensivo, podem fazer um brilharete e alcançar a Europa.

No entanto, é preciso aludir para o facto de estarem ainda muito abaixo dos clubes que lutam pelo título. É preciso que ganhem o seu espaço, pouco a pouco, e que não queiram mais do que podem.

Rémy Cabella é a estrela desta equipa do Saint-Étienne. (Foto: Homme Du Match)

A pergunta, é a mesma de sempre: estará o Gigante, Adormecido ou Morto?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter