Gigante adormecido ou morto: Lyon, um supercampeão desaparecido

João NegreiraJunho 14, 20203min0

Gigante adormecido ou morto: Lyon, um supercampeão desaparecido

João NegreiraJunho 14, 20203min0
O Lyon foi o grande campeão francês do início do século XXI. Contudo, deixou de aparecer e nunca mais esteve na ribalta. Lembras-te dos tempos áureos da equipa francesa?

A rubrica Gigante Adormecido ou Morto está de volta! Estamos em França para recordar os grandes tempos do Olympique Lyonnais.

Um passado recente a valer por uma história inteira!

A história do Lyon não é muito grande. O seu palmarés não é assim tão extenso e os seus feitos ficam-se apenas a nível interno. Não obstante, fizeram história no início do século XXI. E isso vai ficar marcado. Desde a temporada 2001/2002 até à temporada 2007/2008 que França não conheceu outro campeão.

A cidade de Lyon foi dona e senhora de França. 7 campeonatos consecutivos sem qualquer contestação. Pelo meio ainda venceram 7 Super Taças de França e 1 Coupe de France.

Mas há algo que necessita de ser relembrado. Antes deste sucesso, o OL tinha ganho muito pouco. 3 Coupe de France (63/64, 66/67, 72/73) e 1 Taça da Liga de França (00/01). E apesar deste insucesso, há que realçar 2 treinadores que seguraram o clube em alturas difíceis: Raymond Domenech e Jean Tigana.

E quando a glória chegou para os adeptos de Lyon, a história parecia estar a mudar. Pensava-se que o sucesso iria continuar e que o Olympique Lyonnais iria ficar na ribalta por mais anos. Naturalmente, seria difícil manter a hegemonia durante muitos mais anos, mas havia a possibilidade se manterem entre os melhores em França.

Ainda conseguiram manter-se no pódio francês durante alguns anos, mas foram descendo e esquecidos na história. Já não conseguiram voltar a ser campeões.

Mas há que falar dos grandes nomes que contribuíram para o sucesso dos Les Gones: Começando pelo melhor e mais saudososo, Juninho Pernanbucano, foi a haste do sucesso do Lyon e guiou o clube à glória. Será adorado para sempre pelos adeptos de Lyon e muito se deve a ele.

E que outros nomes? Sidney Gouvou e Anthony Réveillère foram 2 dos nomes fundamentais para o sucesso de uma equipa que a nível europeu só conseguiu chegar às meias-finais de uma Champions League.

(Foto: Gazeta Esportiva)

Um presente que precisa de mais!

Como já referido anteriormente, o OL nunca mais conseguiu alcançar o sucesso. Acabou por vencer uma Coupe de France (11/12) e uma Super Taça de França (12/13).

Para além disso, há que sublinhar alguns dos nomes que passaram por lá, mas que nunca conseguiram devolver o sucesso: Maxime Gonalons, Bafétimbi Gomis, Lisandro López, Alexandre Lacazette, entre outros.

Aos dias de hoje, a história continua na mesma. Vão tentando aproximar-se de um PSG imbatível, mas a hegemonia está agora do lado da capital. Com alguns nomes interessantes no seu plantel e uma base de jogadores a chegar da formação, o objetivo passará por destronar a super equipa de Paris.

Alcançaram os 1/8 de final da Champions League deste ano, mas até à suspensão (e cancelamento) da Ligue 1 estavam em 7º lugar, o que os coloca fora de qualquer competição europeia na temporada 20/21.

Vai conseguir o Olympique Lyon voltar aos dias áureos de Juninho Pernanbucano e companhia?

A pergunta, é a mesma de sempre: estará o Gigante, Morto ou Adormecido?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter