Os estranhos casos das Academias de jovens em decadência

João NegreiraNovembro 8, 20185min0

Os estranhos casos das Academias de jovens em decadência

João NegreiraNovembro 8, 20185min0
Muito se tem falado do crescimento das academias de jovens, como a do SL Benfica, mas e se virmos o reverso da medalha? Quais as academias que têm estado num nível abaixo ao que nos habituaram e porquê?

Aquela que podemos considerar uma boa academia de jovens, é a que os sabe formar, desportiva e socialmente, e, na altura certa, os eleva ao patamar que certo.

Quais as realidades atuais das melhores academias do Mundo?

Um recomeço em Amesterdão?

Este sub-título pode parecer um pouco estranho e até contraditório com a legenda da imagem. Passamos a explicar: o Ajax, e o próprio país, neste paradigma, parecem ter estagnado um pouco.

Em termos de seleção, a Laranja Mecânica falhou as 2 últimas grandes competições (Euro2016 e Mundial 2018) e nas suas últimas participações, teve fracas prestações que pareciam adivinhar o que aconteceu.

O próprio Ajax já não ganha um campeonato há 4 temporadas, tendo sido estes os anos de crise no país das Tulipas.

Os De Joden, desde sempre conhecidos pela sua política de formação de jovens e catapultá-los para a equipa principal, parecem ter falhado nisso nesses anos.

Para alguém que formou e lançou para o mundo do futebol, Johan Cruyff, Van Basten, Rijkaard, Bergkamp, Davids, Kluivert, os irmãos de Boer, entre outros, esta mentalidade tem que ser o pilar do clube.

Há que aproveitar esse passado glamoroso e transportá-lo e mantê-lo no presente.

Apesar dessa estagnação, o Ajax parece voltar em força, tendo várias pérolas da sua academia, já a jogar na equipa principal.

Há que ter em conta nomes como, Matthijs de Ligt ou Donny van de Beek que vieram diretos das camadas jovens do clube, mas a prospeção do Ajax também tem estado a funcionar, garantindo jovens como, Frenkie de Jong, André Onana, Maximilian Wober, David Neres ou Kasper Dolberg.

E é exatamente por isto que podemos afirmar que o Ajax parece estar a conseguir voltar ao que nos habituou. Neste momento, em 2º na Eredevise e no seu grupo da Liga dos Campeões, parecem estar a voltar à órbita dos títulos.

O Ajax foi e sempre será uma referência na formação. (heuff.nl)

O que se passa com a La Masia?

Se no sub-título anterior, olhámos para uma academia de jovens que estagnou e ressuscitou, há que olhar, agora, para 2 que parecem ter estagnado e não saído de lá.

Ambas são também mundialmente conhecidas pelo seu belíssimo trabalho com os jovens, mas há alguns anos que já não são destaque neste aspeto.

Falamos da academia de jovens do FC Barcelona e do Sporting CP.

A começar primeiro com os catalães, de referir um dado estatístico importante e que comprova este ponto de vista.

Em abril do corrente, o Barça foi a Vigo jogar com o Celta. Resultados à parte, o que chama mais à atenção foi que os culès jogaram praticamente o jogo todo sem nenhum jogador formado na La Masia. Algo que já não acontecia há 16 anos.

Por outro lado, no ano de 2012, o Barcelona jogava com 11 jogadores formados na Catalunha: Valdés; Montoya, Puyol, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Messi, Pedro e Fàbregas.

Com isto, podemos mencionar que deixou de haver uma aposta tão forte na formação. O tempo foi passando e o clube teve que se adaptar à realidade de uma instituição que quer ganhar tudo: comprar os melhores.

Quanto ao Sporting CP, que formou Figo, Cristiano Ronaldo, Nani, Quaresma, João Moutinho, Rui Patrício, entre outros, também parece ter descurado, nesse aspeto, mais recentemente.

Nos últimos anos, saíram João Mário e Adrien, que deram bom lucro aos cofres dos leões, mas as saídas pela porta pequena de William Carvalho, Gelson Martins e Rui Patrício deram má imagem ao clube.

A somar a isso, são poucos os jovens que saem da academia para a equipa principal. Ou sendo emprestados ou sendo relegados para as equipas secundárias, o Sporting têm regredido nesse aspeto.

Para estas 2 equipas, parece claro o que têm a fazer, depois de olharmos para o exemplo do Ajax!

A entrada do centro de formação, La Masia. (Foto: Na Gaveta)

Um aviso para as águias?

Depois de vermos alguns maus exemplos, há que elogiar quem merece. A academia de jovens do SL Benfica parece estar a funcionar muito bem, dando vários milhões aos cofres do clube, mas também com alguns jogadores a atuarem pela equipa principal.

Os encarnados já rechearam os cofres como nomes como: Renato Sanches, Bernardo Silva, André Gomes, Ivan Cavaleiro, João Cancelo, Ederson Moraes, Lindelöf ou Gonçalo Guedes, tendo sido transferidos para os melhores clubes europeus.

Não obstante, é também importante aludir para aqueles que neste momento, já subiram à equipa principal e por ela atuam. São eles: Rúben Dias, Gedson Fernandes, João Félix ou Jota, o futuro do SL Benfica!

As águias, também com boa reputação na sua academia de jovens, têm que estar atentas aos casos apresentados anteriormente para não caírem no mesmo erro.

Está claro que a aposta na formação dá resultados e descurar isso mesmo, pode ser um “tiro no pé” de qualquer clube.

O complexo de treino e formação do SL Benfica, no Seixal. (Foto: Câmara Municipal do Seixal)

É importante referir que existem, pelo mundo fora, muitas mais academias que merecem destaque. Porém, para uma análise atual às várias realidades, estas são as que melhor se encaixam.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter