FC Dallas Academy – Um passo mais próximo da MLS

Diogo MatosMaio 16, 20186min0

FC Dallas Academy – Um passo mais próximo da MLS

Diogo MatosMaio 16, 20186min0
Os reis da MLS são os craques que voam da Europa para os USA ou há espaço para os jogadores das canteras americanas? Descobre o caso do FC Dallas, um caso de sucesso na formação de talentos!

Se, até há uns anos, a Major League Soccer era apenas conhecida como o exótico destino de fim de carreira de grandes estrelas mundiais, a verdade é que esse mesmo paradigma tem vindo a alterar-se nas últimas temporadas. Fazendo-se uma análise não muito profunda aos planteis de quase todos os clubes da MLS, é facilmente percetível que a aposta em jovens é cada vez mais uma constante.

Um dos casos mais “flagrantes” de aposta na juventude e, mais concretamente, na “prata da casa” é o dos FC Dallas. O emblema do estado do Texas sempre se manteve um pouco à margem do investimento em jogadores europeus em fim de carreira, dando preferência à valorização de jogadores da sua academia. Mas como se explica a constante chegada de jovens das camadas de formação à equipa principal dos FC Dallas?

17 campos de futebol no Toyota Soccer Center (academia oficial do FC Dallas que se situa mesmo ao lado do estádio da equipa principal) mais 19 campos no MoneyGram Soccer Camp (espaço detido pela cidade de Dallas, mas gerido pelo clube). No total são quase 40 o número de terrenos de jogo que os jovens dos FC Dallas têm à sua disposição. Para além de tudo isto, os jogadores das camadas de formação dos FC Dallas têm os seus próprios cacifos/armários no balneário e têm acesso ao balneário, ao ginásio e a todo o tipo de espaços de recuperação usado pela equipa profissional. Se as condições de trabalho, em termos logísticos, já parecem fantásticas, o clube vai ainda mais além na tentativa de proporcionar aos atletas das camadas de formação a melhor experiência possível.

As condições da academia do clube são propícias ao desenvolvimento de jovens talentos (Foto: FC Dallas)

Tal como explica Luchi González, diretor da academia dos FC Dallas, o aspeto que diferencia o clube dos demais é a forma como o emblema texano tenta integrar os jovens na equipa principal. O também técnico dos sub-17 acrescenta que o clube tem uma cultura implementada na qual todas as equipas de formação partilham as ideias em termos de estilo de jogo, de forma de trabalhar, de conceitos técnico-táticos e de trabalho mental com a equipa principal, aspeto que facilita a chegada dos jovens à Major League Soccer.

Apesar de tudo isto, Chris Hayden vice-presidente do departamento de formação dos FC Dallas, esclarece que o clube não forma jogadores apenas com o intuito de os fazer chegar à equipa principal. Destacando o facto de haver uma noção muito clara que existem dois tipos de crianças/jovens: aqueles que efetivamente querem chegar a profissionais e aqueles que apenas jogam por diversão. Hayden afirma que a academia consegue criar ambientes propícios para o desenvolvimento dos jogadores em cada uma das vertentes anteriormente referidas.

Importa ainda referir que o facto de Óscar Pareja ser o treinador dos FC Dallas foi/é fundamental para a implementação deste modelo. O ex-internacional colombiano trabalhou vários anos na academia, sendo perfeitamente natural que aposte com mais frequência em jovens. Profundo conhecedor das potencialidades dos jovens da formação, Pareja afirma que o seu objetivo (e o do clube em geral) passa por mostrar a cada jogador da academia que o próximo a “subir” à equipa principal pode ser o atleta em questão.

Óscar Pareja encaixa que nem uma luva no projeto dos FC Dallas (Foto: SportsDay)

Casos de sucesso na academia dos FC Dallas

Se dúvidas ainda existirem da qualidade do trabalho da academia dos FC Dallas, basta referir que o emblema do estado do Texas já assinou contrato profissional com 22 “Homegrown Players” (Bryan Leyva, Ruben Luna, Moises Hernandez, Victor Ulloa, Richard Sanchez, Bradlee Baladez, London Woodberry, Kellyn Acosta, Danny Garcia, Jesse Gonzalez, Coy Craft, Jonathan Top, Alejandro Zendejas, Aaron Guillen, Paxton Pomykal, Jesús Ferreira, Bryan Reynolds, Reggie Cannon, Brandon Servania, Kris Reaves, Jordan Cano e Chris Richards) para se perceber a dimensão do que tem sido feito em Dallas. Destes 22 jogadores, o Fair Play optou por destacar cinco:

Kellyn Acosta: O expoente máximo do trabalho da academia dos FC Dallas. Médio defensivo de 22 anos, Acosta já representou a seleção dos Estados Unidos da América por 17 ocasiões. Jogador polivalente e com um registo interessante de golos para um médio de características defensivas, Kellyn Acosta tem tudo para ser o sucessor de Michael Bradley na seleção dos EUA.

Acosta é o exemplo perfeito do trabalho fantástico feito pela academia em Dallas (Foto: Big D Soccer)

Víctor Ulloa: Depois de um início complicado, Ulloa aproveitou da melhor forma a oportunidade concedida por Oscar Pareja para se cimentar como um dos jogadores mais importantes no plantel do FC Dallas. Médio de 26 anos, faz da intensidade da capacidade com que disputa cada lance e da inteligência tática as suas melhores características. O mexicano assinou contrato em 2011 e tornou-se no primeiro “Homegrown Player” dos FC Dallas a fazer mais de 2 mil minutos pela equipa principal numa temporada.

Jesse Gonzalez: Guarda-redes de 23 anos. Jesse Gonzalez faz da elasticidade e da capacidade de reação duas das suas maiores qualidades. Assumiu-se na temporada passada como titular absoluto da equipa, mas uma lesão no início desta temporada acabou por relegá-lo para o banco de suplentes.

Jesús Ferreira: Jovem de apenas 17 anos, Jesús Ferreira tornou-se o segundo jogador mais jovem de sempre a marcar na MLS (só superado por Freddy Adu) ao apontar um golo na temporada passada. Na época em curso, foi emprestado aos Tusla Roughnecks da USL com o objetivo de somar mais minutos.

Reggie Cannon: A mais recente “pérola” da formação do clube texano. Lateral-direito de apenas 19 anos, Cannon tem-se assumido como titular indiscutível dos FC Dallas na presente temporada.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter