La Liga Scouting #6 – Matías Vargas (Espanyol)

Bruno DiasSetembro 28, 20194min0

La Liga Scouting #6 – Matías Vargas (Espanyol)

Bruno DiasSetembro 28, 20194min0
Sexta edição do "La Liga Scouting", com um "artista" argentino em destaque.

O “scouting” de hoje foca-se num jogador que até chegou a ser fortemente associado ao FC Porto, neste mercado de Verão. Matías Vargas, ou “Monito” – como também é conhecido – chega à “La Liga” pela mão do RCD Espanyol, que o contratou aos argentinos do Vélez Sarsfield (clube onde se formou) por valores a rondar os 10M€.

Ainda um jovem (22 anos), Vargas impressionou pelo rendimento que atingiu no Vélez, onde apontou 14 golos e 11 assistências em 69 partidas. Terá sido esse aspecto – juntamente com o perfil do argentino, que entusiasma as bancadas e resolve jogos nos seus melhores dias – que levaram os responsáveis do clube de Barcelona a avançar para a sua contratação, batendo vários outros concorrentes de média/grande dimensão na Europa e/ou das principais ligas europeias (como o FC Porto que, curiosamente, acabou por trazer para a sua posição dois jogadores de perfis relativamente semelhantes, em Luis Díaz e Shoya Nakajima).

“Dá o salto” para a Europa, a meu ver, no timing perfeito para que continue a evoluir o seu jogo da melhor forma e para que possa atingir todo o seu potencial, enquanto elemento criativo, desequilibrador e finalizador.

 

Como joga Vargas?

Um “baixinho” (1,68m) que nasceu para o desequilíbrio. É uma curta descrição que assenta na perfeição em Vargas, extremo que tem na mudança de velocidade, na criatividade e na visão de jogo os seus maiores atributos. Destro, mas partindo sempre da ala esquerda, invade terrenos interiores com facilidade, sempre à procura da forma mais rápida e directa para chegar à baliza adversária.

Aí, é notória a forma como procura sempre uma de duas opções: ou aposta no seu remate forte (e os adeptos do Espanyol já sabem o que é festejar um grande golo do argentino, como poderão ver mais à frente), ou arrisca o último passe. De recursos técnicos variados e até pouco ortodoxos, é frequente vê-lo descobrir colegas em boas posições de finalização com passes artísticos e precisos.

Defensivamente, e apesar de ser algo natural que esse não seja um foco principal do seu jogo, Vargas é abnegado e comprometido com a equipa. Não se esconde da pressão ou dos duelos físicos e não foge ao suporte defensivo ao lateral. Poderia melhorar alguns aspectos, evidentemente, mas também aí o argentino é bastante competente para o expectável de um jogador do seu perfil. E certamente que as “ganas” argentinas também ajudarão nesta questão…

O seu estilo potente, vertical e com um baixo centro de gravidade faz lembrar, de certa forma, uma outra cara nova da “La Liga”: Eden Hazard. Tal como o belga, também Vargas faz do drible uma “forma de estar” dentro das quatro linhas. Apesar de explosivo, não é um jogador que aprecie particularmente que a bola seja metida no espaço para a sua corrida, preferindo recebê-la no pé, podendo assim desequilibrar através de uma combinação bastante eficaz de qualidade técnica no primeiro toque com uma mudança de velocidade complicada de antecipar e/ou travar.

Relativamente aos aspectos menos positivos do seu jogo, há que dizer que, apesar de toda a sua qualidade de remate, Vargas não é um extremo com muitos golos. O registo de 18 golos em 80 jogos oficiais não é mau, mas há margem para que “Monito” cresça substancialmente nesse campo e possa tornar-se mais objectivo e directamente decisivo para os sucessos da sua equipa.

 

Até onde pode chegar?

Para além de já ser um atleta de grande qualidade, a margem de progressão de Vargas é enorme. Já se estreou pela selecção principal argentina e, tendo em conta o panorama da selecção de Messi & Ca. e a trajectória ascendente que a carreira de “Monito” parece levar, é de esperar que venha a ser um nome regular nas convocatórias a curto/médio-prazo.

A sua adaptação à Europa e ao futebol espanhol (e às competições europeias, onde tem brilhado alto, com 4 golos e 2 assistências em apenas 5 jogos na Liga Europa) tem corrido “às mil maravilhas”. Vargas actua quase sempre pela ala esquerda do Espanyol (tendo actuado também, ocasionalmente, mais solto no corredor central, atrás do avançado), agarrou a titularidade com facilidade e é já o segundo melhor marcador da equipa, com os já referidos 4 golos na Liga Europa, apenas atrás do ex-Benfica Facundo Ferreyra, que leva já 7 golos na temporada.

Se é verdade que os 10M€ que custou lhe colocam alguma pressão em cima, também é verdade que Vargas não demorou muito a soltar-se dessa pressão e a impressionar as bancadas. Assim, “remato” este artigo com a mesma qualidade com que o argentino o faz…


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter