La Liga Scouting #2 – Youssef En-Nesyri

Bruno DiasMarço 10, 20195min0

La Liga Scouting #2 – Youssef En-Nesyri

Bruno DiasMarço 10, 20195min0
No Leganés, actua um dos mais talentosos jovens avançados da liga. Este é o “La Liga Scouting”.

Segunda edição do “La Liga Scouting”, espaço que servirá para dar a conhecer alguns dos maiores e não muito conhecidos talentos que espalham a sua qualidade pelos relvados de Espanha. Desta vez, este espaço viaja até Leganés, um pequena província em Madrid, para conhecer um marroquino que começa a dar cartas no principal campeonato espanhol.

Youssef En-Nesyri nasceu em Fez, Marrocos, há 21 anos, e despontou pela primeira vez em Espanha ao serviço do Málaga, clube pelo qual se estreou na La Liga com apenas 19 anos. Altamente cotado pela forma como surgiu na equipa “malagueña” (após uma pré-temporada em que apontou 6 golos com a equipa principal), En-Nesyri foi sendo aposta intermitente na sua primeira época, terminando a mesma com 4 golos em 25 jogos. No entanto, foi a sua convocatória e respectiva boa prestação no Mundial 2018, realizado na Rússia, que levou a que o Leganés – um “estreante” na La Liga – pagasse ao Málaga cerca de 6M€ pela sua contratação.

 

Como joga En-Nesyri?

En-Nesyri é um “9” puro. Um daqueles avançados que “massacra” defesas, que luta por todas as bolas como se fossem a última bola das suas vidas e que corre quilómetros semana sim, semana sim. Para isto, muito contribui a sua resiliência e capacidade física, aliadas a uma morfologia muito vantajosa para um jogador do seu perfil (falamos de um avançado com 1,88m, com uma capacidade de explosão e de reacção muito apreciáveis, bem como uma impulsão que o leva a ganhar muitas bolas em duelos aéreos). De certa forma, o marroquino faz lembrar Islam Slimani (bem conhecido dos adeptos portugueses, sobretudo entre os adeptos do Sporting), pela postura que apresenta em campo.

No entanto, as semelhanças com o argelino terminam imediatamente aí pois, às capacidades atléticas e à capacidade de trabalho, En-Nesyri alia qualidades técnicas de algum requinte, bem como recursos técnicos variados, tanto na finalização (principalmente com o pé esquerdo (apesar de também apresentar qualidade com o direito), possui um remate potente e uma meia distância com potencial para causar estragos) como em momentos de ligação com os restantes colegas.

Bastante móvel, é um jogador que não se esconde dos momentos de construção e criação, oferecendo inúmeras soluções aos seus companheiros de equipa. Tanto revela eficácia na forma como serve de referência para bolas mais directas, como pede regularmente a bola nas costas dos laterais adversários, através de diagonais do corredor central para os corredores laterais.

O seu “calcanhar de Aquiles” será, porventura, a forma precipitada como define. Como avançado que é, o seu primeiro instinto em muitas acções é o de visar a baliza, e isso leva a que não vislumbre outras opções que não a finalização, estragando assim algumas oportunidades de golo. No entanto, trabalhar com um bom treinador e num bom contexto em termos da decisão poderá ajudá-lo a evoluir substancialmente neste aspecto.

 

E se não jogasse no Leganés?

Aos 21 anos, e com grande margem de progressão, En-Nesyri promete atingir patamares mais altos do que aquele onde se encontra actualmente, no Leganés. Sendo certo que, tecnicamente e mesmo em termos de rendimento imediato (o marroquino leva 8 golos em 23 jogos na La Liga, um registo que, não sendo de todo negativo, não é também extraordinário), haverão talvez avançados na Europa mais atractivos para os maiores clubes das principais ligas, a constante evolução e capacidade de superação de En-Nesyri podem fazer a diferença entre o sucesso ou o insucesso do jogador num patamar mais elevado.

No entanto, o passo mais seguro será a continuação da sua afirmação em Espanha, contexto que já conhece bem e no qual tem ainda margem para crescer. Nesse sentido, o Real Bétis seria um contexto perfeito para o marroquino, que ofereceria aos “verdiblancos” presença e agressividade em zonas de finalização, bem como uma forte reacção à perda da bola. Aspectos que têm, muitas vezes, impedido a equipa comandada por Quique Sétien de somar vitórias e sucessos, tanto a nível doméstico como nas competições europeias. Por outro lado, nesse contexto, En-Nesyri receberia um maior volume de bolas para golo em zonas próximas da baliza adversária, o que poderia contribuir para um aumento significativo do seu registo goleador e da sua valorização no mercado.

Certo mesmo é que, se não sofrer nenhum infortúnio, Youssef En-Nesyri será certamente um nome de relevo nos principais campeonatos europeus, ao longo dos próximos anos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter