La Liga Scouting #14 – Marc Cucurella (Getafe)

Bruno DiasMaio 12, 20204min0

La Liga Scouting #14 – Marc Cucurella (Getafe)

Bruno DiasMaio 12, 20204min0
A edição desta semana do "La Liga Scouting" leva-nos até Madrid, ao fantástico Getafe de "Pepe" Bordalás, para conhecermos uma das suas principais figuras individuais.

Nascido e criado em Barcelona, começa a dar nas vistas na “La Liga” em Madrid. Marc Cucurella tem 21 anos e, apesar da juventude, assume-se como um dos principais destaques individuais do Getafe de José “Pepe” Bordalás, equipa que tem quebrado barreiras históricas nas últimas duas temporadas pelos seus resultados e por um altíssimo rendimento, dentro de um estilo pragmático e pouco dado a espectáculos, mas altamente eficaz.

Com bases de futsal que ainda hoje sobressaem no seu jogo, Cucurella cedo foi considerado uma promessa de elevado valor em “La Masia“, a aclamada academia de formação do FC Barcelona. Efectuou a sua estreia sénior ainda com idade de júnior (pela equipa B), e não mais parou de escalar patamares na sua ainda curta carreira.

A cumprir a sua segunda temporada na “La Liga”, o lateral espanhol tem já inclusive um percurso curioso no mercado de transferências: em Julho do ano passado e após ter brilhado com a camisola do Eibar, o clube basco accionou a opção de compra que constava do seu empréstimo (de 2M€). Apenas 16 dias depois, o Barcelona accionou uma cláusula de recompra – no valor de 4M€ – apenas para o emprestar de seguida ao Getafe com uma opção de compra de… 6M€. Opção essa que, em Março deste ano, foi então accionada pelo clube madrileno.

Resta agora saber – com tantas trocas e mudanças de clube – por onde passará o seu futuro para a temporada 2020/21.

(Foto: desporto.sapo.pt)

Como joga Cucurella

Cucurella sempre se apresentou como um lateral-esquerdo moderno. De elevada propensão ofensiva, o jovem espanhol possui um vasto leque de recursos técnicos que lhe permitem oferecer diversas e variadas soluções quando avança para o meio-campo adversário.

O seu carácter aguerrido e a forma como nunca dá um lance por perdido – mesmo que isso exija uma disputa de bola com poucas probabilidades de sucesso – são traços que de imediato encantaram, primeiro, José Luis Mendilibar em Eibar e, agora, “Pepe” Bordalás no Getafe, técnicos conhecidos por preconizarem uma postura activa e agressiva das suas equipas no momento defensivo e de reacção à perda da bola. Apesar da sua altura (1,75m) e de uma morfologia franzina, Cucurella tem vindo a demonstrar ser cada vez mais fiável nos duelos defensivos e na forma como defende o seu flanco.

É, no fundo, da fusão destes dois perfis – o de Cucurella em termos individuais e o das ideias de Bordalás para o colectivo – que nasce uma adaptação de grande sucesso esta temporada. Bordalás adianta o lateral espanhol no terreno, passando a utilizá-lo regularmente como médio-esquerdo no seu 4x4x2, e este encaixa desde logo na perfeição no “11”.

Mantendo as suas qualidades ofensivas intactas, sobretudo ao nível da capacidade de cruzamento e da variedade de opções que oferece a nível técnico e da tomada de decisão, o “lateral Cucurella” transforma-se no “médio Cucurella” e cresce cada vez mais na sua preponderância para o sucesso do colectivo. As suas características permitem a Bordalás ganhar solidez defensiva no flanco esquerdo e utilizá-lo, ofensivamente, da forma que mais se adequa às suas ideias, jogando directo para os avançados e utilizando Cucurella para ganhar as segundas bolas na sua zona, aproveitando de seguida a sua qualidade no passe e na decisão para lançar a profundidade dos homens mais adiantados ou para ele próprio quebrar linhas através do drible.

Faltando talvez ainda alguma acutilância ofensiva e capacidade de ameaçar a baliza adversária (que poderá adquirir com o continuar da sua evolução num contexto que não lhe limite esse papel), a verdade é que Cucurella se assume como um lateral completo e de grande futuro para o futebol espanhol. Não é por isso de estranhar que, em Barcelona, já existam intenções de pagar cerca de 15M€ ao Getafe para se corrigir o erro que foi tê-lo deixado abandonar Camp Nou de forma tão ligeira.

Nas últimas semanas, e para além do regresso a Barcelona, são ainda vários os rumores sobre o futuro de Cucurella. Os concorrentes são muitos e acumulam-se pela Europa (sendo o FC Porto um dos emblemas conhecidos, possivelmente para cobrir uma possível saída de Alex Telles). Garantido é que, tendo em conta o seu rendimento e a sua evolução nos últimos meses, em Cucurella qualquer treinador encontrará um lateral de qualidade assegurada para a próxima década do futebol mundial.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter