“Fim da linha” para Cristiano Ronaldo?

Daniel FariaFevereiro 8, 20185min0

“Fim da linha” para Cristiano Ronaldo?

Daniel FariaFevereiro 8, 20185min0
“Eclipse” temporário ou definitivo para o craque português nascido na Madeira? Cristiano Ronaldo tem estado abaixo do habitual, principalmente em termos de golos na Liga Espanhola esta temporada.

Longe do fulgor físico que já demonstrou e até mesmo técnico, CR7 tem estado com a “mira” desafinada no campeonato espanhol. Se excluirmos a Liga dos Campeões, onde é o melhor marcador desta edição com 9 golos, os registos do internacional português são baixos para um jogador que já habituou o mundo do futebol a vê-lo concretizar uma média de 50/60 golos por temporada.

Realmente, a Liga dos Campeões representa uma competição importante para Cristiano Ronaldo e para o Real Madrid. Praticamente arredados de tudo, vêm na “Champions” a tábua de salvação para a temporada. Cristiano Ronaldo, vê também o troféu como de máxima importância, quer a nível individual como colectivo, mas a tarefa não será fácil, pois o Real enfrenta o PSG nos oitavos-de-final.

Mas voltemos ao foco deste artigo. Esta tem sido uma época atípica para o Real e por acréscimo, para Cristiano Ronaldo. Apenas com oito golos apontados na Liga Espanhola, em 17 jogos, o madeirense está claramente a perder gás. Na época passada, o português terminou com 25 golos no campeonato, no terceiro lugar da lista de marcadores.

Este ano, está longe disso. Olhando para os melhores marcadores, o seu rival Messi lidera a lista com 20 golos, seguindo-se Suarez, com 16. A fechar o “top-3”, está Iago Aspas, do Celta de Vigo, com 16 golos.

Decisivo em alguns momentos, como na conquista do mundial de clubes, em que marcou o golo da vitória frente ao Grémio, Cristiano Ronaldo está sem poder de fogo.

Habituado a grandes registos, esta tem sido uma época atípica para CR7 e Real Madrid. (Foto: MF)

Apesar de ter marcado recentemente, frente ao Deportivo e Valência, onde fez dois golos em cada partida, o internacional português tem sido frequentemente mencionado numa possível transferência. Cristiano desmente tudo, mas como se diz, onde há fumo, há fogo…

Mas falando em golos, o que mais caracteriza CR7 no seu perfil como jogador, o português “exibe” 20 golos marcados no total da temporada. O que estes números representam? Falta de eficácia, claro, poder de fogo e talvez perda de influência no seio do Real Madrid. Um dos exemplos dessa perda de influência: Cristiano Ronaldo foi substituído no último encontro do Real Madrid, frente ao Levante, algo que raramente acontecia.

Em suma, o período menos bom de Cristiano Ronaldo está indubitavelmente relacionado com o mau momento do Real Madrid. São duas partes que obviamente são indissociáveis. Mas o que se via antes, era Cristiano Ronaldo a “carregar” a equipa com os seus golos e outros “apontamentos”, mas agora nem isso consegue fazer.

Aos 33 anos, cumpridos recentemente, importa repetir a pergunta feita no início deste texto: é um “eclipse” temporário ou definitivo? Só o tempo o dirá.

O período de ‘pólvora seca’ de Cristiano Ronaldo arrasta, naturalmente, o Real Madrid para um dos piores arranques de sempre no campeonato, sendo praticamente impossível revalidar o título espanhol…

Resta a Liga dos Campeões, onde o “rei” Cristiano Ronaldo, terá que “puxar” dos galões, para benefício próprio e obviamente benefício do Real Madrid.

Como se diz na gíria, nada dura para sempre. Cristiano Ronaldo já nos habituou a recordes, marcas históricas, que nenhum jogador português ou de outra nacionalidade sonhou alcançar. Tem cinco bolas de ouro no currículo, merece respeito e se for verificado o “eclipse” total e definitivo o mesmo deverá ser encarado com normalidade e naturalidade, respeitando e guardando na memória os momentos incríveis que o português proporcionou ao longo da sua carreira.

Não há que ter medo do final. Ele sempre chega um dia. No futebol principalmente, quando as coisas correm bem, é fácil elogiar e colocar num pedestal. Quando correm mal, desce rapidamente do pedestal e é um “alvo” a abater ou rebaixar. Cristiano Ronaldo, ombreia praticamente a uma década com Lionel Messi pelo título de melhor do mundo. Cada um detém cinco bolas de ouro. Não é fácil estar sempre na ribalta. O mérito tem que ser dado a quem o merece.

Por outro lado, num período menos bom da carreira, é fácil deitar a toalha ao chão. Mas Cristiano Ronaldo não é assim. Resta-nos aguardar e ver se o madeirense saberá reagir ao mau momento, surgindo pelo menos como a “máquina de fazer golos” que tem mostrado ser. Um jogador tem que saber reinventar-se, sob pena de “morrer” para o futebol. Sendo assim, aguardamos o reinventar do atual melhor jogador do mundo. Resta saber se será para melhor ou para pior.

Para terminar, recorde-se que na última época Cristiano Ronaldo apontou ao todo 56 golos. Esta temporada, vai com 20. Nem metade do que fez em 2016/17. Conseguirá mesmo assim “redimir-se”?

Saberá Cristiano Ronaldo dar um novo rumo à carreira, passando por cima do momento menos bom? (Foto: NM)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter