Da luta pela manutenção à luta pela Europa: o Getafe de Bordalás

Bruno DiasFevereiro 15, 20205min0

Da luta pela manutenção à luta pela Europa: o Getafe de Bordalás

Bruno DiasFevereiro 15, 20205min0
De Getafe chega-nos um dos melhores projectos dos últimos anos na "La Liga". Uma equipa que se supera constantemente, e que vive e morre pelas ideias do seu treinador.

Quando José Bordalás chegou ao Getafe, a 27 de Setembro de 2016, o estado do clube era desolador. O talento no plantel escasseava, a descrença era generalizada e a equipa encontrava-se em lugares de despromoção na Liga espanhola. Mas o técnico espanhol, de 55 anos, revolucionou por completo este modesto clube de Madrid.

Os resultados positivos começaram a surgir, a equipa começou a escalar posições na tabela classificativa e acabou por terminar a temporada na posição, um lugar que deu acesso ao play-off de promoção, onde o Getafe acabou mesmo por conquistar a subida à La Liga.

Seguiu-se a estreia no principal escalão espanhol, onde voltaram a surpreender pela positiva. O lugar, em 2017/18, superou todas as expectativas criadas para a temporada de regresso do clube a este patamar, e provou que este era um projecto com pernas para andar. O mesmo pensou a direcção do clube, que apresentou a renovação de contrato ao técnico espanhol.

Assim, a época seguinte traria mais uma subida de patamar. Com uma equipa cada vez mais rotinada e unida em torno de uma forma de jogar, o Getafe iguala a sua melhor classificação de sempre em 2018/19 e termina a La Liga em lugar, qualificando-se assim para a Liga Europa, tendo estado ainda durante grande parte da temporada no top-3 da tabela, na companhia dos “colossos” espanhóis.

E depois de uma performance fabulosa… o Getafe fez ainda melhor. À 24ª jornada da presente temporada, ocupam a posição, estão a caminho de uma classificação histórica para a Champions League e são hoje uma equipa temida por qualquer adversário a nível interno, pela forma inegociável como jogam e criam dificuldades a quem defrontam.

É, portanto, de ressalvar que há mais de 3 anos que Bordalás e este Getafe superam obstáculo atrás de obstáculo e demonstram que, acreditando numa filosofia de jogo, a probabilidade de boas coisas surgirem aumenta exponencialmente.

(Foto: football-espana.net)

Fortaleza defensiva

Bastam alguns minutos de observação para se perceber claramente a génese do Getafe de Bordalás: uma equipa aguerrida, organizada, muito bem orientada e, sobretudo, dotada de uma estrutura mental absolutamente extraordinária. Bordalás incutiu nos seus jogadores uma mentalidade competitiva e vencedora que impressiona pela consistência e pela forma como se encontra presente do primeiro ao último minuto de jogo.

O Getafe é a equipa com menor posse de bola na liga, e também aquela que menor acerto possui no passe. E se estes, em teoria, parecem dois dados estatísticos negativos, a verdade é que dizem muito daquilo que é a forma de jogar desta equipa.

Bordalás acredita num futebol que atinge o sucesso pela forma como a equipa reage quando não tem a bola, e não pelos meios que utiliza para chegar à baliza adversária quando a tem na sua posse. É na pressão alta e organizada, e numa reacção à perda automática, colectiva e já instituída na mente de todos os jogadores que compõem a equipa, que se encontra a grande qualidade deste Getafe.

Jogar directo e para zonas estrategicamente definidas em função da situação de jogo, vencer as disputas individuais decorrentes dessa forma e, em seguida, sufocar o adversário nas segundas bolas e nos momentos imediatamente seguintes a este recuperar a bola. É a “fórmula mágica” de um treinador que, tal como referido acima, tem derrubado barreiras atrás de barreiras para o clube, e superado objectivos atrás de objectivos.

Assim, é com base numa tremenda organização e capacidade de pressão sincronizada e agressiva que o Getafe se revela uma autêntica “fortaleza defensiva”. Com a melhor defesa da La Liga, marcar na baliza habitualmente defendida por David Soria pode ser um sério desafio.

(Foto: bleacherreport.com)

A figura

Mais do que individualmente, o Getafe vale sobretudo pela sua força colectiva. No entanto, qualquer equipa tem uma figura principal, que representa na plenitude as intenções do colectivo ou que se destaca um pouco mais pelo seu rendimento estatístico.

Aqui, essa figura é Jaime Mata. Contratado ao Real Valladolid a custo zero, depois de uma temporada fantástica na Liga espanhola (onde apontou 33 golos em 39 jornadas), tornou-se de imediato peça fundamental na equipa de Bordalás desde o primeiro dia. Com uma estampa física considerável (1,86m), Mata já apontou 22 golos pelo Getafe em época e meia na La Liga, e promete não ficar por aqui.

Porém, nem serão tanto os golos que fazem de Mata imprescindível para o seu treinador. O avançado espanhol é incansável na reacção à perda da bola, pressiona com grande energia e intensidade durante os 90 minutos e nunca foge de uma disputa individual, seja junto ao relvado ou pelo ar. Tem o perfil ideal para o futebol vertical e longilíneo do Getafe, sendo também móvel o suficiente para cair com qualidade nos flancos e procurar atacar as costas da defensiva adversária.

É inteligente e sagaz nas suas movimentações na área adversária, e oportunista na forma como encontra com facilidade o local certo para surgir a finalizar os cruzamentos dos seus companheiros. Já com 31 anos, Jaime Mata personifica o Getafe de Bordalás.

(Foto: mundodeportivo.com)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter