Qual o futuro dos jogadores experientes no Brasileirão?

Rafael RibeiroFevereiro 16, 20207min0

Qual o futuro dos jogadores experientes no Brasileirão?

Rafael RibeiroFevereiro 16, 20207min0
A época de 2020 do Brasileirão marcará a chance de redenção ou de declínio de muitos jogadores experientes. Seja por estarem em baixa em suas equipas ou por estrearem novas camisolas, terão sucesso na competição?

Nos preparativos para o início da época 2020 do Campeonato Brasileiro, teremos destaque para treinadores estrangeiros, jovens treinadores em destaque, grandes plantéis, mas também para jogadores experientes sendo colocados a prova nos passos finais de suas carreiras.

Muito por característica de como funciona o mercado no futebol brasileiro, sempre teremos jovens em ascensão que, em um curto período, tentam fazer jus à grandes expectativas de suas vendas ao mercado europeu, mas também jogadores experientes que, antes de terminarem suas carreiras, retornam ao Brasil para mostrarem do que ainda são capazes. E o Fair Play conta em qual situação muitos dos experientes estão vivendo neste novo ano.

Alguns, sem muitos holofotes, continuam na ativa, como Luis Fabiano (39), que se recupera de graves lesões no joelho para tentar jogar uma última época, e Léo Moura (41), lateral direito ex-Flamengo e Grêmio, que acertou recentemente com o Botafogo da Paraíba para disputar a Série C do Brasileirão. Outros ainda com relevância se mantém seguros quanto a seus contratos e também suas exibições, sendo importantes para suas atuais equipas, como a dupla Dani Alves (36) e Hernanes (34) no São Paulo, D’Alessandro (38) no Internacional e Lucho González (39) no Athletico Paranaense. Vejamos outros nomes:

Fred (Cruzeiro)

Fred está tentando rescindir seu contrato com o Cruzeiro, e o Fluminense pode ser um dos destinos (Foto: Reprodução/Fluminense)

A situação de Fred ainda está indefinida, e o jogador ainda não estreou em 2020. Isso porque ele tenta rescindir seu contrato com a atual equipa, o Cruzeiro, que foi rebaixado para a 2ª divisão brasileira e adotou uma política de retenção de gastos. Dessa forma, o salário de Fred se tornou um problema para a equipa mineira, e a falta de um acordo fez com que o jogador tentasse até medidas na justiça para obter a liberação de seu contrato, o que até agora não foi permitido. Fred é o maior artilheiro brasileiro em atividade, com 393 golos na carreira.

Sem pensar em aposentadoria, Fred completou 36 anos e ainda pode figurar entre os jogadores experientes da Série A do Brasileirão. Avançados como ele não apareceram em abundância nos últimos tempos, e um treinador com gosto pelo uso de um camisola 9 centralizado na área adversária pode querer um jogador como Fred. O Fluminense pode ser um destino, já que o jogador passou por bons momentos na equipa carioca, mas ele teria que adequar seu salário para voltar ao tricolor.

Diego Souza e Thiago Neves (Grêmio)

Assim como Thiago Neves (foto da capa), Diego Souza é reforço do Grêmio para esta época (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

Thiago Neves foi um dos pilares de grandes polêmicas no Cruzeiro, que acabaram culminando na queda da equipa para a Série B do Brasileirão. Com o contrato rescindido, o jogador foi bancado pelo treinador Renato Gaúcho na equipa porto alegrense. Além dele, Diego Souza também foi contratado, depois de um período de dúvidas em sua passagem por São Paulo e Botafogo. O médio ofensivo Neves completará 35 anos agora em Fevereiro, enquanto o agora avançado Diego Souza também completa 35, porém em Junho de 2020.  Ambos também não pensam em aposentadoria, mas terão que provar que ainda tem muito valor no mercado brasileiro. Thiago Neves ainda é reserva, enquanto Diego Souza tem sido titular, inclusive em jogo válido pela semifinal do 1º turno do Gaúcho, onde marcou golo contra o Internacional e classificou a equipa para a finalíssima.

Nene (Fluminense)

Nene já atuou pelo Vasco, São Paulo e agora Fluminense, desde seu retorno da Europa ao Brasil (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Apesar do histórico recente de alguns problemas fora do relvado no São Paulo, a posição de Nene ainda é de prestígio. Desde que voltou da Europa, Nene tem sido importante em campanhas de Vasco, de São Paulo e agora do Fluminense (é um dos artilheiros da competição). Com 38 anos, é um dos jogadores desta lista que tem o aspecto físico como ponto positivo e não negativo, já que se machuca muito pouco, e se mantém em forma mesmo em períodos sem campeonatos. No entanto, sua vontade e persistência de sempre estar entre os titulares pode causar desconforto por onde passa, já que não está mais em seu auge físico e técnico.

Ricardo Oliveira (Atlético Mineiro)

De camisola 9 incontestável a desacreditado, Ricardo Oliveira tenta provar seu valor em 2020 (Foto: Fotoarena)

O avançado já teve tempos melhores no Brasileirão. Foi destaque em passagens por São Paulo, Santos e fez carreira internacional em equipas como Milan e Betis, além da Seleção Brasileira. Mas em épocas recentes, no Atlético Mineiro, suas exibições deixaram a desejar a ponto de Ricardo não ser mais unanimidade nos titulares do Galo. Com a chegada de Dudamel, o jogador terá de provar que merece uma posição na equipa e até mesmo uma renovação de contrato (que acaba ao fim de 2020). Com 39 anos, também tem o aspecto físico a seu favor, já que também se mantém em forma, fazendo com que este tópico não seja um problema. Ainda assim, é o segundo maior artilheiro brasileiro em atividade, com 377 golos, atrás apenas de Fred.

Fernando Prass (Ceará)

Prass chateou-se com a postura dos dirigentes do Palmeiras, não renovou o contrato e acabou acertando com o Ceará (Foto: Wilton Hoots/cearasc.com)

O desafio do guarda-redes é um pouco diferente dos demais. Aos 41 anos, depois de passar mais de 4 anos no Vasco da Gama e mais de 6 no Palmeiras, Prass aceitou um novo desafio no Ceará, para liderar a equipa cearense na busca pela permanência na Série A. 16º colocado em 2019, uma posição acima da zona de rebaixamento, o Ceará aposta na experiência de Prass para que a equipa tenha melhores dias em 2020. Ao contrário dos outros jogadores da lista, Prass citou que este pode ser seu último ano como jogador profissional, a depender de como continuará a render embaixo da baliza.

De fato o Brasileirão terá concorrências fortes para os jogadores experientes. Equipas com poder financeiro como Flamengo e Palmeiras já estão conseguindo fazer o caminho contrário do mercado que citamos acima, e trazendo jogadores ainda em forma da Europa. Além disso, jovens promessas estão em grande momento (a contar pela equipe de aspirantes que irá às Olimpíadas em Tóquio).O Fair Play certamente acompanhará a época de cada um deles e trará novidades ao longo do ano, para detalhar quais deles terão êxito nos novos desafios, e quais aqueles que poderão dar adeus ao relvado em um futuro breve.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter