André Horta- Talento luso em terras de Tio Sam

Diogo MatosJulho 10, 20185min0

André Horta- Talento luso em terras de Tio Sam

Diogo MatosJulho 10, 20185min0
No dia em que abre o mercado de transferências na Major League Soccer, o Fair Play analisa a contratação de André Horta por parte dos Los Angeles FC. O que esperar do médio português nos EUA?

Se a transferência de Wayne Rooney para os DC United foi aquela que mais atenções atraiu até ao momento no mercado de transferências da Major League Soccer, a verdade é que nem só a chegada de estrelas internacionais ao principal campeonato de futebol dos Estados Unidos e do Canadá merece destaque. Para quem acompanha a competição (e para os adeptos portugueses), a transferência de André Horta do Benfica para os Los Angeles FC é uma das que mais interesse suscita, não só pelo excelente momento que o clube atravessa, mas também pela qualidade e pelo potencial do médio português.

 

Quem é André Horta?

 

Nascido em Almada em 1996, André Horta ingressou nas camadas jovens do Benfica com 9 anos. Fisicamente “frágil”, o jovem acabou por ser dispensado pelos encarnados, ingressando de seguida no Vitória FC. Reconhecido pela capacidade de formar jovens jogadores (Rúben Vezo, Frederico Venâncio, Ricardo Horta), o clube sadino possibilitou a estreia de André Horta na Primeira Divisão em Portugal com apenas 18 anos. Depois de ter somado alguns minutos em campo na temporada 2014/2015, o internacional jovem por Portugal assumiu-se como peça fundamental no esquema tático dos sadinos na temporada 2015/2016, terminando a época com dois golos e três assistências em 30 partidas.

André Horta esteve em destaque no Benfica no início da temporada 2016/2017 (Foto: Rádio Renascença)

As boas exibições ao serviço do Vitória de Setúbal valeram a André Horta a possibilidade de regressar ao clube do seu coração, o Benfica. Apesar de ter em cima dos ombros a responsabilidade de substituir Renato Sanches, André Horta não desiludiu e estabeleceu-se como titular das águias na primeira metade da temporada. As lesões e o surgimento de Pizzi na posição 8 acabaram por relegar André Horta para o banco de suplentes na segunda metade da época, acabando mesmo o médio por ser emprestado ao SC Braga na temporada 2017/2018. Nos minhotos, o jovem de 21 anos encontrou o espaço para se desenvolver como futebolista, finalizando a época com um golo e sete assistências em 30 jogos.

A boa prestação de André Horta no SC Braga convenceu os dirigentes dos Los Angeles FC a avançar para a sua contratação, tendo estes despendido cerca de 5,5 milhões de euros para assegurar a sua contratação. Para além de tudo isto, André Horta chega à Califórnia como jogador designado, facto que demonstra a confiança que a equipa técnica tem no jogador.

 

O que pode trazer André Horta aos Los Angeles FC?

 

O facto de André Horta ser um jogador designado “joga” a seu favor. Apesar de, à partida, este facto pouco ou nada querer dizer, as equipas da MLS não têm por hábito deixar os jogadores designados no banco ou na bancada. Além disso, este é o primeiro ano em que o conjunto dos Los Angeles FC atua na Major League Soccer e o plantel da equipa californiana ainda apresenta algumas lacunas.

O técnico Bob Bradley fez do 4-2-3-1 o seu modelo de jogo predileto nas primeiras jornadas do campeonato, mas, perante a chamada de alguns jogadores para o Mundial da Rússia, passou a jogar em 4-3-3. O meio-campo é, claramente, o setor do terreno onde os Los Angeles FC apresentam mais limitações (não em termos de qualidade, mas sim em termos de quantidade).

Se Mark-Anthony Kaye assume de forma exemplar o papel de médio-defensivo, cabe a Benny Feilhaber (mais como médio de transição) e a Lee Nguyen (mais como médio ofensivo) ocupar as duas vagas que “sobram” na zona intermediária do terreno. Se se tiver em conta que ambos os jogadores já apresentam alguma veterania- Feilhaber tem 33 anos e Nguyen faz 32 daqui a 3 meses-, é facilmente percetível que André Horta pode ser uma peça importante para Bob Bradley. A polivalência do jogador de 21 anos, que tanto atua como 8 ou como 10, é um dos aspetos que valoriza a sua contratação. A qualidade de passe do médio português, tanto curto como longo, aliada à sua capacidade de jogar sempre de cabeça levantada podem ser trunfos importantes para os Los Angeles FC, ainda para mais se se tiver em conta que, nas alas, atuam jogadores tão desequilibrastes como Blessing e Rossi.

Os Los Angeles FC enocntram-se no segundo lugar da Conferêcia Oeste (Foto: The Mane Land)

Com a MLS a entrar na fase decisiva (já se jogou mais de metade da fase regular da competição), as equipas aproveitam o mercado de verão para fazer o último esforço para chegar ao título. Conseguirão os Los Angeles FC e André Horta conquistar o troféu no primeiro ano na Major League Soccer?

Artigo escrito por Diogo Matos, administrador e fundador da página MLS Portugal.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter