Afinal jogar em casa (com público) é ou não uma vantagem?

José Nuno QueirósMaio 27, 20203min1

Afinal jogar em casa (com público) é ou não uma vantagem?

José Nuno QueirósMaio 27, 20203min1
Jogar em casa afinal tem ou não tem importância? A história do futebol moderno parece ter tirado protagonismo ao fator casa, mas o regresso da Bundesliga traz-nos uma ideia contrária. Afinal como vai ser o futebol sem adeptos e quem vai beneficiar com isso?

Com o regresso da Bundesliga muito se tem falado sobre o peso do público e da importância que esse apoio tem ou não no resultado final da partida.

Se antigamente o fator casa parecia ter uma grande importância no desfecho dos campeonatos, hoje em dia esse peso parece ter caído perante a diferença de qualidade das equipas. Atualmente jogar no bonfim, bessa ou municipal de Braga não é um problema tão grande como o era nas décadas de 80 ou 90.

No entanto olhar para a Bundesliga no pós-Covid leva-nos a crer que as equipas da casa acusam, e muito, a falta do seu público e do seu apoio nas bancadas.

É que nos 22 jogos realizados na Bundesliga apenas em 3 deles a equipa da casa conseguiu vencer… E duas delas foram o Bayern e o Dortmund.

É assim que se encontra a bancada mais famosa do futebol alemão… (Fonte: DW)

Será que em Portugal isto irá ter algum impacto?

Com alguns jogos interessantes, nomeadamente as deslocações do Sporting a Guimarães, à Luz e ao Dragão e a ida do FC Porto ao Municipal de Braga, poderá ser um fator decisivo naquilo que é, nomeadamente, a luta pelo título.

Neste particular aspeto o FC Porto parece levar alguma vantagem sobre o Benfica, ao ter a possibilidade de jogar em Braga sem público na última jornada e também ao ter uma deslocação mais “facilitada” contra o Famalicão (que muito provavelmente nem será jogado em Famalicão).

Por sua vez o Benfica tem a mesma deslocação com o Famalicão, a que junta Marítimo e Rio Ave, apesar de estas serem casas tradicionalmente “fáceis” para os benfiquistas.

Mais interessante será observar como se vai comportar o Sporting no Dragão e na Luz e se esta novidade pode beneficiar os leões na luta pelo 3º lugar contra o Braga com possíveis resultados positivos nos 2 campos mais complicados para os leões.

É assim que vai estar a Luz na última jornada para receber o derby eterno (Fonte: SL Benfica)

Na Bundesliga também se verificou que as equipas visitantes cometem menos faltas e sao menos vezes admoestadas nesta nova realidade. Tudo isto no futebol latino como o português pode ser ainda mais gritante. Jogadores como o Acuna, podem melhorar o seu rendimento e cair menos vezes na tentação de entrar em conflitos na presença de ambientes mais frios como são os jogos sem público.

A juntar a todos estes fatores há ainda a notar o facto dos chamados 3 grandes terem sempre mais público quando jogam fora do que os adversários (salvo raras excepções), o que pode também indicar uma inversão desta tendência. Caso a tendência dos visitantes melhorarem as performances se verificar, com excepção dos jogos onde era esperado os grandes terem mais adeptos no estádio, ganha ainda mais força a teoria de que os adeptos tem uma grande influência no jogo.

Vai ser seguramente um dos aspetos mais interessantes a analisar no regresso do campeonato e que pode modificar de forma significativa a tabela classificativa.

Caso se confirme esta tendência também será claro que irão surgir as dúvidas sobre a verdade desportiva da competição que não terá público em 10 jornadas.

E para o leitor. Acha que o público consegue influenciar o desfecho da partida? Será um fator decisivo ou apenas uma mera coincidência o que se passa na Bundesliga?

 


One comment

  • Jorge

    Maio 27, 2020 at 11:29 pm

    O público é essencial, é por isso que existem duas voltas em cada campeonato. Quantas vezes é o público a empurrar a equipa adversária para trás..?
    Diria que vamos ter jogos mais equilibrados e, sobretudo, vamos perceber quem realmente faz a diferença.

    Reply

Responder a Jorge Cancelar resposta


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter