Raio-X Tático: Bayer 04 Leverkusen do técnico Peter Bosz

Gonçalo FariaAbril 14, 20204min0

Raio-X Tático: Bayer 04 Leverkusen do técnico Peter Bosz

Gonçalo FariaAbril 14, 20204min0
A equipa Alemã do Bayer 04 Leverkusen, liderada pelo técnico Holandês Peter Bosz tem realizado excelentes exibições, bem como, encontra-se no quinto lugar da tabela classificativa da Bundesliga. Desta forma, o treinador trouxe consigo alguns reforços de grande importância para levar o clube a palcos europeus.

O treinador Holandês Peter Bosz estreou-se na temporada de 2018/2019 ao comando técnico do clube alemão Bayer 04 Leverkusen. O técnico de 56 anos, abandonou o Borussia Dortmund da primeira liga Alemã na época de 2017/2018, clube onde disputou vinte e quatro encontros, e obteve oito vitórias, seis empates e dez derrotas. O atual técnico teve passagem em vários clubes europeus tais como: Feyenoord, Vitesse, Ajax, Borussia Dortmund.

Mas se por um lado, a recém-chegada do técnico trouxe inúmeros reforços de grande qualidade e importância que aprimoram os setores, tais como: Kerem Demirbay, proveniente do Hoffenheim, Exequiel Palacios do River Plate, e ainda, Edmond Tapsoba, do Vitória SC. Por outro lado, o mesmo viu sair do seu clube peças importantes no meio-campo, como podemos verificar os nomes de Julian Brandt e Dominik .

Subordinadamente à experiência e qualidade deste treinador, concilia-se algumas características que estão inerentes nos sistemas táticos tais como: a pressão alta que impõe na primeira fase de construção, o fecho do corredor central de modo a obrigar o adversário a jogar pelos flancos bem como, a procura constante da largura dos laterais que se encontram sempre projetados.

Mas afinal, como atua a equipa liderada pelo técnico Peter Bosz ?

Foto: 24.sapo.pt

Analisando primeiramente a organização defensiva da equipa alemã, podemos observar que a formação tática utilizada designa-se por 4x4x2,  porém, um dos erros mais frequentes que ocorre neste momento é o espaço que fornecem ao adversário entre linhas, mais concretamente, entre os setores defesa e meio-campo. Em contrapartida, podemos analisar que a equipa liderada por Peter Bosz, impõem uma pressão alta na primeira fase de construção do adversário, bem como, o fecho do corredor central, e por consequente, obrigando-o a jogar pelos corredores laterais ou bater longa. Desta forma, a coesão do núcleo central é uma das preferências da equipa alemã, além disso, tende a pressionar sempre com a equipa junta com o intuito não só de  encurtar os espaços do adversário, como também, a rápida reação à perda da bola. Deste modo, podemos referenciar que a marcação é realizada homem a homem, não permitindo espaço ao jogador contrário.

Seguidamente, podemos analisar a organização ofensiva do Bayer 04 Leverkusen e desta forma, a equipa atua em sistemas táticos variados, ora um 4x4x2, ora um 4x2x3x1, e ainda o sistema mais utilizado o 3x4x3. Deste modo, podemos referir que o técnico Holandês varia não só com o número de médios defensivos utilizados, como também com as características de cada jogador do meio-campo. Consoante a dificuldade dos encontros e os diferentes adversários, o treinador alterna com os nomes: Kerem Demirbay, Julian Baumgartlinger, Lars Bender e ainda Exequiel Palacios. Deste modo, na primeira fase de construção a formação do Bayer 04 atua de duas formas distintas, isto é, ora procura rapidamente a projeção e a largura dos laterais, ora explora as linhas de passe fornecidas pelos médios defensivos.

Em suma, as transformações táticas de Peter Bosz tiveram efeito imediato, e deste modo o Bayer 04 Leverkusen ocupa o quinto lugar na tabela classificativa da Bundesliga a apenas quatro pontos do segundo lugar, Borussia Dortmund. Desta forma, as modificações que o técnico Holandês tem realizado, levando a cabo a ambição dos adeptos juntamente com os bons resultados, levará o clube a alcançar palcos Europeus na próxima temporada?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter