Vasas FC e as peripécias de uma viagem de comboio a Nice

João FreitasAbril 4, 20213min0

Vasas FC e as peripécias de uma viagem de comboio a Nice

João FreitasAbril 4, 20213min0
Uma viagem que envolveu conhecerem um artista revolucionário, um clube com história na Mitropa... fica a conhecer este episódio do Vasas FC nos anos 60

O futebol húngaro encontra-se longe dos esplendor de tempos passados, mas as suas contribuições para o desenvolvimento da modalidade nas suas vertentes tecnicas e táticas deixaram uma marca bem vincada no futebol mundial – mas sobretudo no português se rememorarmos os vários “mestres magiares” que passaram pelo nosso futebol.

Este artigo passará por um episódio que se passou no início da década de 1960, quando o histórico Vasas FC viajou para França para realizar uma tourné no Verão para angariar fundos para o clube – muito embalados pela conquista do titulo de campeão húngaro de 1961.

O Vasas FC talvez seja o menos conhecido dos clubes de Budapeste, os seus vizinhos Ferencvaros, MTK, Ujpest ou Honved colhem de longe um maior espaço no imaginário dos amantes do futebol.

O clube foi fundado em 1911 por membros do Sindicato dos Metalúrgicos de Budapeste, sendo o seu nome original Vas-és Fémmunkások Sport Clubja – Clube Desportivo dos Trabalhadores do Ferro e do Aço. Apenas em 1916 disputaria a primeira divisão Hungara e o primeiro título nacional só surgiria na década de 1950, mais precisamente em 1955 com a Taça da Hungria e em 1957 o primeiro campeonato. Feitos absolutamente fantásticos se considerarmos a qualidade do futebol magiar nas décadas de 1950 e 1960.

Também nessa mesma década obteve os primeiros sucessos internacionais: a Taça Mitropa (1956,1657,1962) e a chegada as meias finais da Taça dos Campeões Europeus em 1957/58 aonde cairia aos pés do colossal Real Madrid. Embalados por todo esse sucesso, o modesto Vasas FC chega a França para disputar uma série de jogos. Ficaram alojados na região da Cote d´Azur, deslocando-se e disputando partidas entre Nice e Cannes.

O clube fazia parte da Republica Socialista Húngara e o governo decidiu acompanhar a viagem bem de perto e ocupar-se de tratar da agenda social dos desportistas magiares.

Num dos dias livres, marcou para a equipa uma visita a um senhor idoso que vivia em Mougins. Passaram o dia a conviver com o proprietário da casa, conversaram sobre socialismo e futebol – duas das grandes paixões do senhor. Contente pela visita a sua casa, decidiu presentear cada um dos atletas do Vasas com um vasos pintados à mão.

A equipa do Vasas FC passado poucos dias embarcou na estação de comboio de Nice para uma longa viagem até Budapeste. As várias horas de viagem fizeram o tédio assolar-se do plantel que encontrou como diversão ver quem atirava mais longe os vasos com os quais foram presenteados. Apenas um dos atletas, Jozsef Raduly, se recusou a participar na brincadeira pois queria oferecer o seu presente à sua esposa – sendo o único a chegar com o vaso intacto a Budapeste.

Quanto ao senhor que vivia Mougins, o seu nome era Pablo Picasso.

O Vasas seguiria o seu período dourado conquistando os títulos nacionais de 1962,1965 e 1966 e as Mitropas de 1962 e 1965, sendo o plantel de 1960 um dos mais míticos do clube de Budapeste.

Selo a celebrar a conquista do Vasas FC (Foto: Getty Images)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter