Liga dos Campeões e a História dos “nossos” rivais: Ajax, Bayern e AEK


Liga dos Campeões e a História dos “nossos” rivais: Ajax, Bayern e AEK

Neste 2º artigo de recordar alguns episódios e histórias dos adversários europeus dos clubes portugueses, vamos ao Grupo E da Liga dos Campeões do SL Benfica.

Bayern Munique, Ajax e AEK Atenas são os adversários do Sport Lisboa e Benfica, nesta edição da Liga dos Campeões. Promete ser um grupo equilibrado na luta pela passagem à próxima fase. Mas não sobre as equipas que irem falar neste artigo, mas sim de três histórias dos adversários do Benfica.

BAYERN MUNIQUE

Em 1932 nas vésperas de Adolf Hitler se tornar chanceler da Alemanhã. O Bayern Munique venceu o seu primeiro Campeonato Alemão de futebol, na final os bávaros derrotaram o Eintracht Frankfurt por 2-0.

O Bayern Munique na época era presidido e treinador por Kurt Landauer, que era judeu alemão, esta situação não caiu bem nas autoridades nazis e obrigaram o treinador/presidente a demitir-se do Bayern Munique. E o clube foi catalogado pelo governo nazi como “Judenklub” (clube judeu), o mesmo aconteceu com o FK Austria Wien, Eintracht Frankfurt e FSV Frankfurt.

O Bayern Munique foi quase destruído pelo III Reich que o transformou num clube campeão nacional a um clube de relativo sucesso regional. Foram precisos passar 37 anos para o Bayern Munique voltar a ser campeão da Alemanha, em 68/69 foi o vencedor da recém criada Bundesliga.

AEK ATENAS

O AEK de Atenas conquistou esta época o décimo segundo título da sua história, esta conquista do AEK colocou fim a uma espera de 24 anos pela vitória no campeonato da Grécia, o ultimo título havia sido conquistado em 1994.

AEK, significa Athlitiki Enosis Konstantinoupoleos, em português, União Atlética de Constantinopla. O AEK de Atenas foi fundado em 1924 por refugiados da Guerra Turco-Grega, vindos da cidade de Constantinopla, hoje Istambul.

Após o conflito entre as forças gregas e turcas, foi assinado um acordo de paz, a Convenção de Lausanne, ficou também decidido nesta convenção que iria haver transferência de população entre os dois países.

Nesta transferência de população foram envolvidas cerca de 2 milhões de pessoas, 500 mil muçulmanos deixaram a Grécia ,e aproximadamente 1.5 milhões de gregos foram expulsos da atual República da Turquia.

AJAX

Jack Reynolds, apesar de ser inglês e ter nascido em Manchester, não está na história do futebol pelos feitos alcançados nos clubes ingleses, mas sim por ser o pioneiro no sucesso do Ajax de Amesterdão.

Reynolds, foi jogador de futebol em Inglaterra no inicio do século XX. Mas a carreira de futebolista esteve a quilómetros de distância da sua carreira de treinador. Enquanto jogador jogou em sete clubes mas sem especial sucesso em qualquer um deles, talvez o maior destaque foi ter jogado na segunda divisão em 1904/05 no Grimsby Town.

Foi no FC St. Gallen, em 1912, na Suíça que começou a carreira de treinador de futebol, muito longe de Inglaterra. Na primeira época termina no terceiro lugar no “Grupo Este”, nas épocas seguintes consegue levar o St. Gallen até ao segundo lugar da fase regional. Mas nunca conseguiu superar o FC Aarau, uma das equipas mais fortes da época, foi vencedor da fase final em 1912 e 1914.

Em 1914, deixa a Suíça para treinar a seleção alemã de futebol, mas o início da I Guerra Mundial, impede de Reynolds de prosseguir na Alemanha e muda-se Amesterdão. Nesse mesmo ano começou a treinar o Ajax, e por lá permaneceu durante 27 épocas. Foi o primeiro treinador a ser campeão da Holanda ao serviço do Ajax em 1918.

Em 1947 despediu-se do clube com a conquista do oitavo título, conquistou os oito primeiros títulos nacionais do Ajax. O legado de Jack Reynolds, foi difícil de superar, o Ajax só voltou a ser coroado de campeão da Holanda, em 1957, dez anos depois da saída de Jack Reynolds do clube.

Durante a II Guerra Mundial, esteve detido num campo de internamento, na Alta Silésia, atualmente território da Polónia.

O fundador do Ajax, Jack Reynolds (Foto: Google Images)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter