5 melhores Vendas de Inverno da Premier League 2018

João NegreiraFevereiro 6, 20185min0

5 melhores Vendas de Inverno da Premier League 2018

João NegreiraFevereiro 6, 20185min0
Se a comprar, a Premier League não tem mãos a medir, a vender (tanto para fora como para dentro) não fica muito atrás. O FairPlay preparou para si uma galeria onde apresentamos-lhe as melhores vendas da última janela em Inglaterra.

São vendas que envolvem muitos números, mas como no artigo das Melhores Compras algumas boas Vendas, não se fazem apenas de dinheiro. Há que falar da falta que farão ao seu clube e também da maneira como de lá saíram. Numa galeria onde as vendas nacionais são mais do que as internacionais, há que adorar a Premier League nestas alturas.

Diego Costa

Chateado com Conte desde o início da época e, por conseguinte, sem jogar desde lá, Costa sai finalmente e para o clube requerido. Esta é talvez o tipo de venda que agrada ao clube de origem pois conseguem libertar-se de um jogador inativo e por uma quantia exorbitante. E, por isso, referir que não fará grande falta ao Chelsea, que lucra bastante com esta venda. Foram 66 milhões de euros pagos pelos rojiblancos e o hispano-brasileiro já mostra serviço, tendo já marcado 3 golos em 6 jogos.

Como o avançado de 29 anos não jogava há imenso tempo teria que haver um cuidado maior pois poderia não ter a condição física ideal e as rotinas de jogo mas mal chegou, jogou e marcou, sendo que no jogo seguinte, foi titular, marcou outra vez, mas foi expulso, passando a ser uma estreia agridoce com a expulsão nos festejos do seu golo. O jogador vem para lutar pela titularidade com Fernando Torres e Kevin Gameiro, numa esperança de ainda chegar à Rússia no verão.

Diego Costa volta a onde já foi feliz. (Foto: Diário do Nordeste)

Philippe Coutinho

Nesta venda, falamos de valores ainda mais desmedidos. São 120 milhões sendo que ainda poderão ser mais, consoante objetivos. O mercado está altamente inflacionado e já não há grande poder sobre os mesmos, e por isso é questionável se algum jogador, se não Ronaldo e Messi, valerão esse valor. O médio brasileiro era peça importantíssima para a turma de Klopp, conseguindo ser o orientador de jogo da equipa no meio-campo.

Apesar da falta que aparentava fazer, os reds não parecem sentir muito a sua falta, chegando a um 3º lugar e mantendo a sua forma ofensiva. Para juntar a isso, o valor que recebem é excelente e podem assim gastar em algo que lhes faz mais falta, que são defesas. No Barcelona, tem uma nova vida, tentando entrar no meio dos melhores do mundo, ganhando o seu espaço a pouco e pouco e com 25 anos pode muito bem ser muito feliz na Catalunha.

Philippe Coutinho está a viver um sonho ao lado de Messi e Suárez. (Foto: dailystar.co.uk)

Alexis Sánchez

Ao contrário das últimas vendas, nesta não falamos em dinheiro. Falamos sim, no quão boa foi esta venda para o Arsenal, desportivamente. Ora, com o jogador em final de contrato e aborrecido, esta foi uma troca de grande quilate para os gunners. A perda é, obviamente, gigante e Alexis é dos melhores do mundo na sua posição, mas o retorno que tiveram, tendo em conta a situação do jogador apresentado, é muito bom.

Assim, chega-lhes alguém com uma nova ambição e carácter, o que só por isso já é bom, e ganham mais do que se tivessem deixado o jogador sair a custo zero. Contudo, sai para um rival e isso também nunca é bom, mas lembremos-nos de quem chega ao Arsenal e de onde vem. O extremo de 29 anos mantém-se na Premier e vai ajudar Mourinho na sua caminhada.

Alexis Sánchez passa a ser o jogador mais bem pago da Premier League. (Foto: 101GreatGoals)

Virgil van Dijk

De um Southampton medíocre para um Liverpool adormecido, van Dijk chega por cerca de 79 milhões de euros. A compra para o Liverpool também foi ótima tendo em conta as suas lacunas, mas falámos se o valor não seria muito elevado já que o holandês é o novo defesa mais caro da história.

Por isso quem recebe o dinheiro, fica a ganhar imenso, pois apesar do defesa de 26 anos ser peça importante nos saints não era insubstituível, tendo jogado apenas 12 jogos esta época pelos mesmos. Um clube como o Southampton com o que recebe pode comprar jogadores de um nível mais baixo mas por menos dinheiro que, depois podem evoluir e dar mais retorno.

Van Dijk foi uma excelente venda por parte dos saints. (Foto: Site – Liverpool)

Henrik Mkhitaryan

Voltamos a esta troca e se tinha sido uma boa compra para o Arsenal, também foi uma boa compra para o United. E se Alexis foi uma boa venda por parte do Arsenal, Mkhitaryan também foi uma boa venda por parte do United. Podemos concluir, portanto, que este negócio beneficiou as duas partes, tendo talvez maior pendor para os gunners que receberam algo em troca de um jogador em final de contrato.

Ora, neste caso, podemos afirmar que, com esta venda, os red devils não perderam muito. Não receberam qualquer montante monetário por um grande jogador, mas receberam outro alguém que lhes fornece algo muito bom desportivamente. O jogador de 29 anos, tem uma nova vida e seguem todos felizes com este negócio.

Mkhitaryan não fará muita falta ao United tendo em conta quem para lá foi. (Fot: SkySports)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter