FP Scouting – Luís Esteves (Vitória SC)

João NegreiraJaneiro 26, 20194min0

FP Scouting – Luís Esteves (Vitória SC)

João NegreiraJaneiro 26, 20194min0
Mais um artigo da rubrica "FP Scouting", onde analisamos os melhores jovens da Liga Revelação! Desta feita, observámos, Luís Esteves, médio-ofensivo do Vitória SC.

Em mais um artigo da rubrica FP Scouting, da parceria entre o Fair Play e a Talent Spy, analisamos mais um jovem a quem a Liga Revelação deu a oportunidade de evoluir. Falamos de Luís Esteves, médio-ofensivo do Vitória Sport Clube.

Luís Esteves, natural de Ovar, começou a sua jogar futebol no Arada, pequeno clube da sua cidade. Não obstante, desde os primeiros escalões que dava nas vistas e foi então que com 9 anos ingressou no Sporting CP e por lá ficou, fazendo toda a sua formação nos leões.

Nesta passagem pela formação leonina ganhou 3 títulos. 2 campeonatos como Iniciado (sub-15) e 1 campeonato como Juvenil (sub-17). Sempre pareceu ser uma pérola da Academia de Alcochete, mas quando chega aos Juniores é logo emprestado.

No primeiro ano, ao Feirense e no segundo ao SC Braga, onde acaba por não convencer e não ficar nem na equipa ‘B’ do Sporting CP. Faz assim o seu primeiro ano como sénior, no Campeonato de Portugal (referente à 3ª divisão), vestindo as cores do AD Sanjoanense por 27 vezes e marcando 1 golo.

Com a criação da Liga Revelação, Luís Esteves abraçou a oportunidade e juntou-se ao plantel do Vitória SC. Um plantel competitivo que, apesar de não ter o objetivo de ser campeão, está a 2 pontos dos 1ºs classificados (Rio Ave, Sporting CP e SL Benfica).

O jogador de 20 anos não é titular absoluto, mas já conta 18 jogos e pouco mais de 1000 minutos. Os 2 golos marcados não são expressivos daquilo que, como médio-ofensivo, pode fazer.

Luís Esteves é um médio-ofensivo que se caracteriza pela procura da bola e pela oferta de linhas de passe aos colegas. É munido de um sentido tático muito grande e aparenta ser um jogador que pensa muito bem o jogo.

Com uma grande visão de jogo, “Esteves” – como foi apelidado pelos colegas – consegue colocar a bola onde quer, sabendo onde colocá-la para dar golo.

Como já referido anteriormente, gosta de descer no terreno de jogo para vir buscar jogo e ser ele o elemento de ligação. Porém, é também um médio que ocupa muitas vezes a zona de finalização e chega muitas vezes ao remate, vindo de trás.

Para além disto, o médio-ofensivo entrega-se também à parte defensiva. Em muitas transições ofensivas vemo-lo muitas vezes a tentar recuperar desde logo a bola, sendo ele ou não, a perdê-la. Esta entrega defensiva também é notória por saber posicionar-se em campo e conseguir fechar os caminhos ao adversário.

A sua grande valência parece ser essa tal perceção tática do jogo, sabendo todas as suas funções em qualquer zona do campo.

Contudo, Esteves parece deixar um pouco a desejar quando tem a bola. Tem algumas lacunas na tomada de decisão, sendo que erra muitos passes.

Para além disso, não é um jogador que possamos contar para o jogo aéreo, nem nas disputas de bola. Os seus 171 centímetros fazem dele um jogador de pés no chão.

No fundo, parece ser um jogador muito mental, que gosta de pensar o jogo e que parece ser melhor sem bola, do que com ela.

BOAS OPÇÕES PARA…

FC Penafiel – A 2ª Liga também é uma boa oportunidade para os jovens conseguirem conhecer uma outra realidade e, quem sabe, estarem até mais próximos de chegar a um patamar mais elevado. O Penafiel, jogando com um médio-ofensivo e precisando de alguém que melhore a sua manobra atacante, pode ser uma boa opção para Luís Esteves.

Académica de Coimbra – A Académica, por outro lado, pode-se interessar por Esteve por este ser um médio-ofensivo evoluído tatica e mentalmente. Apesar do bom momento, este poderia até ser um bom reforço, sendo mais uma opção para a equipa de João Alves.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter