FP Scouting – Bruno Lourenço (CD Aves)

João NegreiraDezembro 3, 20186min0

FP Scouting – Bruno Lourenço (CD Aves)

João NegreiraDezembro 3, 20186min0
O próximo jovem talento a ser analisado na rubrica FP Scouting é Bruno Lourenço, médio ofensivo do CD Aves. Conheça o criativo de 20 anos!

Nova análise a mais um jovem da Liga Revelação nesta rubrica FP Scouting, parceria conjunta entre o Fair Play e Talent Spy, sempre à procura de jovens talentos portugueses a querer dar o salto para palcos maiores.

Bruno Miguel Ponces Lourenço desde muito cedo que se destacava entre nos escalões de formação a começar pelo Sacavenense, mas seguiu com 10 anos de idade para o SL Benfica.

É nas águias que faz toda a sua formação até, quando chega ao escalão sénior, optando na altura por sair da Academia do Seixal rumo à Vila das Aves.

De referir que com 19 anos, quando jogava nos juniores, o médio-ofensivo assinou um contrato profissional de 3 anos com o clube da Luz, um elemento relevante para uma carreira ainda jovem.

Em 2016 foi chamado ao plantel principal por Rui Vitória, onde integrou o treino que antecedeu um jogo em Chaves.

Ainda no SL Benfica, o médio-ofensivo chegou a mostrar-se aos grandes europeus quando fez várias aparições na Youth Champions League onde exibiu-se a um bom nível, sendo peça importante na equipa nas épocas de 2014/2015 e 2015/2016.

Posto isto, podemos afirmar que Bruno Lourenço caminhava a passos largos para chegar e afirmar-se na equipa principal dos encarnados. Porém, isso não chegou a acontecer e não ficou no emblema lisboeta (nem na equipa ‘B’, nem nos sub-23).

É também importante mencionar que Bruno Lourenço vestiu várias vezes as camisolas das seleções jovens: 15 aparições pelos sub-16, 13 pelos sub-17 e 3 pelos sub-18. A partir daí, nunca mais foi chamado para representar Portugal.

Com todos estes factos, conseguimos perceber que há uma queda de rendimento de Bruno Lourenço e em parte se deve há formação de vários atletas portugueses na mesma posição.

Sempre foi um jovem com muito valor (e ainda o é) de quem se esperava muito, mas quando teve que dar o salto para uma equipa sénior, não conseguiu atingir o nível exibicional exigido nesse patamar.

Talvez não estivesse logo preparado para jogar no SL Benfica, mas quando sai para o CD Aves também não tem lugar na equipa principal e é emprestado ao Montalegre, do terceiro escalão. A ida para o clube que milita no Campeonato de Portugal agradeceu a vinda do médio-ofensivo, exibindo-se com qualidade.

Regressou à Vila das Aves em Maio de 2018 e abriu-se uma janela de oportunidade na equipa de sub-23 que ocupa neste momento o 1º lugar da Liga Revelação.

Esta Liga Revelação pode ser o caminho mais certo para os jovens, uma vez que requer mais intensidade e dinamismo do que o Campeonato de Juniores os preparando para uma equipa principal.

E é isso mesmo que parece estar a acontecer com Bruno Lourenço, com o médio-ofensivo a não falhar qualquer partida, sempre como titular e só substituído, a poucos minutos do fim, em duas ocasiões. É indispensável para manobra dos avenses revelando-se como uma das figuras de proa do emblema.

A jogar atrás do ponta de lança é exímio no passe, mas também na desmarcação. É um jogador que sabe ocupar os espaços (vemo-lo muitas vezes a oferecer linhas de passe entre linhas) tendo um sentido tático muito apurado.

Munido de uma grande técnica para bater bolas paradas, Bruno Lourenço é uma mais valia para uma equipa que queira tirar proveito destes lances. É ele quem tem a obrigação de marcar os cantos e os livres dos avenses, revelando-se um dos emblemas mais perigosos na liga sub-23.

O médio de 20 anos destaca-se, ainda pela sua contribuição defensiva. Ao jogar numa posição mais avançada, consegue vir da frente do terreno e surpreender os adversários nas suas costas e roubar-lhes a bola.

Evidencia um tempo de reacção e recuperação de qualidade, algo raro num médio mais ofensivo, o que demonstra também um grande espírito de sacrifício e sentido coletivo.

Bruno Lourenço mostra-se ser um médio-ofensivo que procura muita o controlo do esférico, não se imiscuindo de chamar a atenção para si. Sabe onde tem que se colocar para receber a bola dos companheiros e lançar a última bola para o golo.

Contudo, não é um médio de condução sistemática de bola, preferindo ser uma unidade mais de apoio e de menor risco na gestão de jogo.

Noutro sentido, Bruno ainda tem algumas lacunas a corrigir. Como já referido, não arrisca muito e isso também se observa em zonas de finalização, onde remata muito pouco e quando remata, não faz a diferença, algo que devia ser uma valência para alguém desta posição.

Com quase 1,80m, o jovem português poderia ser capaz de fazer a diferença no jogo aéreo, mas esse pormenor é uma das suas falhas.

Não obstante, Bruno Lourenço é um jovem com grande qualidade. Quando devia dar o salto, falhou, mas ao passar agora por esta Liga Revelação a sua qualidade virá certamente ao de cima para dar um novo salto.

É uma boa arma para o ataque que, para além de ajudar nas bolas paradas, ocupa muito bem o espaço e decide em pouco tempo, recuperador nato, mostra algumas características de um box-to-box de reacção rápida e de lançamento de jogo.

BOAS OPÇÕES PARA…

Leixões SC – A Liga Revelação é uma boa montra para os jovens jogadores, mas a Ledman Liga Pro não pode ser descurada. É uma boa opção para os jovens jogadores experimentarem outros contextos e jogarem com jogadores mais velhos e com mais rotação. O Leixões é uma boa opção, já que necessita de um homem para o ataque que ajude na criação de oportunidades e ofereça mobilidade, já que a equipa de Matosinhos é das que tem menos golos marcados.

FC Penafiel – Na mesma senda que o Leixões, está o Penafiel, tendo ainda menos 1 golo. Pela mesma razão, Bruno Lourenço podia ser uma ajuda ao plantel dos durienses que precisam de criatividade e mobilidade no ataque.

O golo frente ao CF “Os Belenenses” na Liga Revelação

Os Melhores Momentos no Montalegre 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter