FM 2021: cinco equipas que oferecem desafios diferentes aos amantes do videojogo

Pedro SousaDezembro 1, 20206min0

FM 2021: cinco equipas que oferecem desafios diferentes aos amantes do videojogo

Pedro SousaDezembro 1, 20206min0
O FM 2021 já está aí e precisas de um bom desafio para começar um save? O Pedro Sousa do Bola na Relva dá-te 5 boas sugestões! Vê tudo aqui!

Pedro Sousa é autor do projeto Bola na Relva e colaborador do Fair Play!


O Football Manager já chegou. Posso já dizer, para quem ainda não jogou, que esta é a melhor versão feita pelos criadores do jogo. Oferece muitas opções novas ao treinador, tornando a experiência cada vez mais perto da realidade. Por isso, deixo aqui cinco opções para iniciarem um save neste FM 2021.

Hertha Berlin

Desta lista de cinco equipas, a formação alemã é aquela que oferece as melhores condições. Para além dos 24 milhões e 500 mil euros, o Hertha Berlim tem um plantel forte para tentar alcançar os lugares europeus. Contudo, nos últimos anos, a equipa da capital germânica tem dificuldades para apresentar regularidade durante uma época.

Desde 2000, apenas alcançou em três ocasiões o 4º lugar, duas vezes a 5ª posição e três vezes o 6º lugar, tendo, inclusive, passado duas temporadas na segunda divisão. O título de campeão germânico foge desde 1931, sendo que a última conquista ocorreu em 2013, com a obtenção do título da segunda divisão alemã.

Vencer na Alemanha não é tarefa fácil (Foto: Mittle)

Portanto, para quem pretende conquistar a Alemanha, fugindo aos teóricos favoritos, o Hertha Berlim apresenta ferramentas necessárias para alcançar esse objetivo.

Previsão da imprensa: 9º lugar

Jogadores chave: Niklas Stark, Vladimir Darida, Lucas Tousart, Matheus Cunha e Krzysztof Piatek.

Jovens promessas: Omar Rekik, Daishawn Redan, Márton Dárdai e Luca Netz

PSV

Com 15 milhões para gastar logo na primeira janela de transferências, o emblema holandês pretende oferecer ao treinador uma boa margem financeira para tirar o título ao Ajax e fazer boa figura nas provas europeias. Contudo, a equipa de Eindhoven já possuiu ferramentas necessárias para competir a sério com o emblema de Amesterdão. O PSV reforçou-se bem para esta temporada e tem armas para competir internamente e fora de portas. Para além de garantir essa força logo no imediato, as camadas jovens do clube apresentam um nível altíssimo, com muitas promessas prontas para dar o salto para a equipa principal nos próximos anos.

No palmarés tem 24 títulos de campeão holandês e o último ganho foi em 2018. Possui também uma Liga dos Campeões, em 1988.

Previsão imprensa: 2º lugar

Jogadores chave: Mario Gotze, Érick Gutiérrez, Denzel Dumfries, Philipp Max, Timo Baumgartl e Donyell Malen.

Jovens promessas: Luís Felipe, Emmanuel Matuta, Noni Madueke e Richard Ledezma

Sheffield Wednesday

O Championship é um dos campeonatos mais competitivos e difíceis do mundo. Aliás, atrevo-me a dizer que é o mais difícil e competitivo. São muitas equipas histórias que disputam esta prova, no acesso à Premier League. Por isso, começar o campeonato em pé de igualdade com os concorrentes, por vezes, já é complicado, mas iniciar a prova com menos seis pontos torna a tarefa ainda mais árdua.

O Sheffield Wednesday foi punido devido a irregularidades financeiras e quem quiser iniciar um save com o emblema inglês tem de começar o percurso com menos seis pontos. Porém, isso não é o mais difícil de gerir. A falta de qualidade no plantel exige ainda mais perícia ao treinador. Impedidos de fazer um forte investimento, a equipa não tem muita profundidade e é preciso muito conhecimento de scouting para elaborar um plantel capaz de sobreviver à dureza do Championship.

A direção apresenta um orçamento de transferência de zero euros e não dá grande margem no orçamento salarial. Será preciso muita “ginástica” para resistir. No entanto, quem quiser assumir o comando dos Owls tem um grande desafio pela frente.

Previsão imprensa: 22º lugar

Jogadores chave: Adam Reach, Liam Palmer, Kadeem Harris e Barry Bannan

Jovens promessas: Alex Hunt, Liam Shaw, Isaac Rice e Osaze Urhoghide

Lusitânia Lourosa

A formação de Santa Maria da Feira quer voltar aos campeonatos profissionais e está a construir um clube capaz de atingir essa proeza. Com um plantel maioritariamente português, o Lusitânia Lourosa vê nos jogadores com bastante experiência o fator decisivo para alcançar o objetivo. A média de idades está a bater nos 29 anos. Por isso, esta equipa está estruturada para vencer no imediato. É um desafio onde o treinador tem a pressão de vencer já e, ao mesmo tempo, garantir o futuro, investindo nas camadas jovens.

Um desafio interessante em Portugal (Foto Lusitânia Lourosa)

Uma tarefa difícil, tendo em conta o pouco investimentos que as equipas do Campeonato de Portugal têm neste jogo virtual.

Previsão da imprensa: 1º lugar

Jogadores chave: Henrique, Paulo Tavares, Vítor Silva, Frédéric Maciel e Diogo Cunha

Jovens promessas: Dinis Pinto, Cajó e Ricardo Mota

Derby County

Deixo para último a equipa com que iniciei este novo Football Manager. O Derby County está há muitos anos a desejar o regresso à Premier League e tem cheirado essa possibilidade nas épocas anteriores. Contudo, este ano, os The Rams estão longe de conseguir esse feito. Olhando para o plantel, dá para observar que existe qualidade. Contudo, a tarefa não está a ser fácil na vida real e muito menos na virtual. No início do save, os cofres do clube estão a zero e é preciso vender para conseguir comprar. E aí surge outro problema. Não há muitos jogadores com valor de marcado elevado para realizar um bom encaixe.

O setor mais recuado não oferece grandes garantias, mas é o ataque que precisa, urgentemente, de reformulação. Não existe um “homem golo” e, numa prova como o Championship, é necessário ter alguém que faça a diferença em frente à baliza contrária. Não é fácil arranjar um jogador com a qualidade desejada a preço reduzido e mesmo recorrendo a empréstimos, não há muitas soluções que queiram vir para o Derby County. Deixo já uma dica. Não coloquem o Wayne Rooney nessa posição.

Porém, nem tudo está mal no Derby. Há muita qualidade nas camadas jovens e isso é uma forma de resolver alguns problemas. Poucos, mas já é algo de positivo. Outra dica, não descartem os jogadores mais experientes e não tentem colocar os jovens atletas à força no vosso onze. Pode não dar o resultado pretendido.

Para já, a vida nos The Rams não está nada fácil e muito dificilmente vou conseguir garantir a subida este ano.

Previsão imprensa: 8º lugar

Jogadores chave: Waynne Rooney, Jordan Ibe, Kamil Jozwiak, Matt Clarke, Andre Wisdom e Tom Lawrence.

Jovens promessas: Lee Buchanan, Louie Sibley, Max Bird, Jason Knight e Morgan Whittaker


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter