“Cromos” Nottingham Forest: Garry Birtles e Alf-Inge Haaland

Pedro PereiraAbril 20, 20203min0

“Cromos” Nottingham Forest: Garry Birtles e Alf-Inge Haaland

Pedro PereiraAbril 20, 20203min0
O Nottingham Forrest já teve uma marca profunda na Premier League e relembramos dois jogadores que deixaram marca por lá: Garry Birtles e Alf-Inge Haaland

Caderneta dos Cromos recorda dois jogadores que passaram pelo Nottingham Forrest, tendo cada uma algumas histórias diferentes para contar… de Garry Birtles que falharia no United a Haaland que foi arrumado por um atleta dos Red Devils.

BIRTLES E UMA MUDANÇA ERRADA

Gary Birtles foi um profícuo goleador inglês dos anos 70 e 80. Com ele na frente de ataque do Notthingham, o clube venceu as duas Taças dos Clubes Campeões Europeus, antiga Liga dos Campeões, em 79 e 80. Na final de 1980, chegou mesmo a fazer a assistência para o golo solitário contra o Hamburgo. Mas nem tudo foram rosas na sua carreira. Em 1980 foi contratado pelo Manchester United e a mudança para um enorme clube foi abrupta para ele. Com a pressão de ter sido uma contração sonante, Gary lutava, rematava, cabeçeava mas a bola não entrava na baliza adversária. Nessa época, participou em 28 jogos sem conseguir marcar uma única vez.

Por isso, Gary chegou a confessar um comentário delicioso que chegou a ouvir dos adeptos dos Reds nas ruas de Manchester: “As pessoas encontravam-me nas ruas e diziam-me: ‘se tivesses sido a disparar o tiro no John Lennon, ele ainda estaria vivo'”.

HAALAND VERSUS KEANE

O nome Haaland não vos é estranho. É o jogador jovem mais falado dos últimos tempos (pelas boas razões). Hoje fez mais dois golos pelo Dortmund. Chama-se Erling Braut Haaland. Antes dele, havia o cromo da imagem: Alf-Inge Haaland, seu pai.

Alf-Inge teve uma carreira muito interessante, tendo passado pelo Nottingham Forrest, ainda com Clough no comando. Passou pelo Leeds United e pelo Manchester City. Em 2003, terminou a carreira e só voltou a jogar passados 8 anos. Porquê? Por causa dessa entrada assassina no vídeo (swipe left). Já a devem ter visto algures no Youtube. O autor dessa atrocidade é Roy Keane e a vítima é Haaland.

Tudo começou num jogo entre o Leeds e o Manchester United. Num lance à entrada da área do Leeds, Roy Keane decide trocar os pés a Haaland, central que tentava proteger a bola até à linha de fundo, dando-lhe uma pancada por trás. Karma is a bitch, dizem por aí, e Keane lesiona-se nesse lance, tendo sido obrigado a ser substituído. Passados 3 anos e meio, Keane volta a defrontar Haaland. Na sua autobiografia, revelou que esperou aquele todo tempo para reencontrar Haaland e poder vingar-se.

Sem piedade, o irlandês foi directo ao joelho do norueguês. Das entradas mais assassinas e violentas do futebol. Vergonhosa. Halland, que não se lesionava há mais de 8 anos, nunca mais conseguiu fazer 90 minutos completos. Reformou-se no final dessa época e só voltou a jogar em 2011 para jogar pelo Rosseland BK, clube da terceira divisão norueguesa. Esperemos que o filho nunca apanhe um atrasado mental como o Keane.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter