“Cromos” especiais do futebol mundial pt.2: Tomas Repka, Kun Agüero e Savage

Pedro PereiraJaneiro 4, 20223min0

“Cromos” especiais do futebol mundial pt.2: Tomas Repka, Kun Agüero e Savage

Pedro PereiraJaneiro 4, 20223min0
Repka, Savage e Aguero jogaram todos em Inglaterra, e hoje são relembrados pela Caderneta dos Cromos neste artigo especial

TOMAS REPKA, O BIG TOM DOS HAMMERS

Nasceu no dia 02 de Janeiro de 1974. Certamente está a festejar num modo que qualquer atleta de Cristo reprovaria. Tomas Repka foi jogador bad boy sem misericórdia. Colecionava cartões amarelos, vermelhos e confusões.

Há episódio gravado sobre ele no Podcast da Caderneta (link em baixo). Jogou maior parte da sua carreira no Sparta de Praga. Passou pela Fiorentina e pelo West Ham. Foi internacional checo e para além de construir uma carreira bonita, também teve episódios de pura loucura. Só levantando o véu das histórias que conto no podcast, ele foi contratado pelo West Ham e foi expulso no seu primeiro jogo. Cumpriu castigo no segundo. No terceiro, voltou a jogar e foi expulso novamente. A partir daí, foi sempre a subir.

Encantou os seus adeptos por nunca virar a cara à luta. Saiu de Inglaterra como Super Tom (Repka). Há mais histórias no episódio do Podcast “Conversa de Cromos”. É episódio curtinho.

Vai lá dar uma conferida e dá uma moral.

UM KUN QUE GOSTAVA DE KUM KUM

Os pais de Aguero viviam numa favela de Buenos Aires quando descobriram que iriam ter uma criança. A mãe, tinhas 17 anos na altura. Pouco tempo antes de nascer, uma tremenda inundação matou cerca de meia centena de pessoas e desalojou milhares. Com isto, a família mudou-se para o local onde nasceria Agüero: Florencio Varela.

Pequenino, nascido numa família de poucos recursos, usava a TV de um vizinho para se entreter. Na TV Argentina, passava um desenho animado japonês chamado Kum Kum Mountain. Entretido e fascinado com o mundo de Kum Kum, repetia incessantemente “Kum Kum”. Carinhosamente, o seu vizinho baptizou-o de Kun. Pegou. Kun é mais famoso que Kum Kum. Kun tornou-se num dos maiores jogadores de futebol do seu tempo.

A FAMÍLIA SAVAGE NO PASSADO, PRESENTE E FUTURO DE INGLATERRA

Robbie e Charlie Savage, pai e filho, que às vezes são confundidos quando se vêem fotografias de ambos lado-a-lado. Hoje, o segundo estreou-se pelo Manchester United enquanto o pai estava a comentar a partida. Mais uma nota curiosa neste enredo: o primeiro contrato profissional de Robbie, o pai, foi no Manchester United em 1992. Incrível, não é? Mais incrível é a forma como Robbie reagiu à estreia do filho.

Mas a melhor história de Robbie é esta: em 2002, o Leicester (clube de Robbie) recebeu o Aston Villa para o campeonato. Robbie ia ser titular apesar de ter uma lesão. Essa lesão obrigou-o a tomar antibiótico antes do jogo. Já estavam as equipas quase prontas para entrar em campo, possivelmente à espera dos árbitros quando dá uma volta demoníaca à barriga de Robbie. Procurou uma, duas, três casas de banho. Todas ocupadas. Espreitou para o balneário do árbitro e estava livre. Nem é tarde nem é cedo. Pediu licença e já sentado na sanita pedia desculpa aos árbitros que ainda estavam a terminar de se preparar para o jogo que ia começar dentro de minutos.

Pareceu um episódio apenas muito caricato na altura. Mas acabou por não ser. O Leicester puniu-o com o não pagamento de duas semanas de trabalho e 10.000 pounds de multa. Uma dor de barriga que saiu cara.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter