Clubes com História: Società Sportiva Lazio, as “águias” de Roma pt.4

João Ricardo PedroMarço 21, 20213min0

Clubes com História: Società Sportiva Lazio, as “águias” de Roma pt.4

João Ricardo PedroMarço 21, 20213min0
A parte 4 desta série sobre a Lazio traz-nos histórias em tempo de guerra e aventuras internacionais do clube da capital italiana!

No quarto capítulo iremos visitar a história da Lazio durante o período antes e durante a Segunda Guerra Mundial. Este período não passou despercebido na história da Lazio, a Itália foi um dos países beligerante ao lado das forças do Eixo juntamente como Alemanha e Japão.

Na capital italiana a Lazio ia dividindo o protagonismo com a Roma entre 1935 e 1940. Ambos os clubes estiveram perto de trazer o primeiro título de campeão italiano para a capital italiana, no entanto, tiveram que se contentar com o título de vice-campeão.

A Roma foi vice-campeã na temporada 1935-36, contava com figuras como Cattaneo, Subinaghi, D’Alberto e ficou apenas a um ponto de distância do Bolonha orientado por Árpád Weisz. Treinador judeu-húngaro que acabaria por ser assassinado no campo da morte de Auschwitz.

A Lazio na Taça Mitropa (Foto: Getty Images)

A equipa da Lazio não demorou muito a responder ao eterno rival, e na temporada seguinte ficou em segundo lugar do campeonato, também atrás do Bolonha que na época se afirmava como a melhor equipa de toda a Itália. A Lazio contratou Carmelo Buonocore, Giovanni Riccardi e Umberto Busani ao Alessandria – finalista da Taça de Itália na temporada anterior. O técnico da Lazio era o húngaro József Viola que foi campeão italiano na Juventus em 1925-26 enquanto treinador e jogador da Vecchia Signora. Silvio Piola principal figura da Lazio afirmava-se cada vez mais como uma das estrelas do Serie A e foi pela primeira melhor marcador do campeonato, no total marcou 21 golos.

A primeira aventura da Lazio nas competições internacionais foi na Taça Mitropa em 1937. Nesta edição participaram clubes de sete países – Áustria, Checoslováquia, Hungria, Itália, Suíça, Jugoslávia e Roménia. Cada país enviou o seu campeão nacional e as nações fundadoras enviaram três equipas cada. A Itália enviou o campeão e vice-campeão, Bolonha e Lazio, e também o Genoa – vencedor da Taça de Itália.

A Lazio eliminou na primeira eliminatória o campeão magiar, o Hungária FC (MTK Budapeste). Nos quartos de final eliminou o campeão da Suíça, Grasshopper Club Zürich. A Lazio acabou por chegar a final sem ter de jogar a meia-final da Copa Mitropa. No jogo entre o Genova e o Admira da Áustria houve várias confusões devido a várias manifestações anti fascistas em Viena, e a organização acabou por desclassificar os dois clubes e a vaga de finalista ficou para a Lazio. Na final entre a Lazio e Ferencvárosi FC, na época uma das equipas mais fortes da Europa Continental, os húngaros venceram os dois jogos, tanto em Budapeste como em Roma. Passados 62 anos a Lazio voltou a uma final europeia e desta vez venceu a Taça dos Vencedores das Taças contra o Maiorca.

Durante os tempos de guerra na Europa o campeonato italiano só foi interrompido em 1942. O primeiro título de campeão italiano havia de chegar à capital, mas para azar dos Biancazzurri, o campeão foi o eterno rival, a AS Roma. A Lazio continuou no panorama italiano como uma equipa bastante competitiva, mas quem começou a dar cartas no futebol italiano era a equipa do Torino que mais tarde ficou conhecida como o Grande Torino, inclusive levou Silvio Piola de volta para o norte de Itália.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter