Chérif Souleymane, “O Pelé dos Pioneiros”

João FreitasNovembro 5, 20202min0

Chérif Souleymane, “O Pelé dos Pioneiros”

João FreitasNovembro 5, 20202min0
É uma das lendas do futebol africano e que foi relembrado com carinho e grande destaque pela France Football por diversas vezes e João Freitas conta quem é Chérif Souleymane em mais uma História do Futebol

Em 1957, O Partido Democrático da Guiné vencia as eleições da Guiné Conacri. Liderado por Ahmed Sekou Toure e devidamente plesbicitado pelo voto popular a Guiné Conacri rejeita fazer parte da união Francesa, deixando de ser uma colónia e iniciando desta forma o período das Lutas Anti-Coloniais em África.

A nova republica da Guiné-Conacri necessitava de apoios internacionais para apoiar o seu governo e encontrou-os no “Bloco de Leste”, especialmente na URSS e da Alemanha Oriental (DDR).

A DDR encetou desde a década de 1960 uma série de programas de intercâmbios para “Auxílio e Desenvolvimento de Países Amigos”, que consistia na formação de profissionais altamente qualificados nas áreas chaves da economia como agricultura, educação, industria e medicina, mas também ao dar uma oportunidade de formação escolar a crianças.

Foi num desses primeiros programas de intercambio que o jovem Cherif chegou à Europa.

Nascido na Guiné-Conacri, Chérif mudou-se com a sua família para a DDR com apenas 16 anos, em 1960. Vivia com a sua família na cidade de Neusterlitz, onde dividia o seu tempo entre a escola, os pioneiros e o futebol. Os pioneiros eram a designação dada aos membros da Freie Deutsche Jungend (FDJ) – Juventude Livre da Alemanha Oriental (DDR).

Aos 17 anos estreia-se pelo TSV Neusterlitz (1961). Mas sua qualidade de jogo e o ingresso no curso de arquitetura, levam-no a jogar no SC Neubrandenburg durante 4 épocas. Aí joga na segunda liga da DDR e ganha a sua primeira internacionalização pela seleção da Guiné-Conacri.

Em Neubrandenburg, Cherif vira ídolo máximo sendo o grande obreiro da subida à primeira divisão da DDR deste pequeno clube da Pomerânia.

Completado o seu curso, decide voltar ao seu país, jogando no Hafia FC por 15 épocas. Ai recheia o seu palmarés: 3 Ligas dos Campeões Africanos (1972, 1975 e 1977), 12 campeonatos da Guiné Conacri – para destacar ainda mais o feito, convém destacar que o Hafia FC apenas tem 15 títulos nacionais no seu palmarés.

A cereja no topo do bolo chegou em 1972, com conquista o trofeu de Futebolista Africano do Ano pela France Football – sendo o único jogador da Guiné-Conacri a ter essa honra.

Foi muito acarinhado na DDR, sendo um dos seus grandes ídolos do futebol, ligação que sempre manteve durante toda a sua carreira e vida. O seu talento valeu lhe a alcunha entre os alemães orientais de “Pelé dos Pioneiros”. Atualmente, o Pioneiro da Guiné-Conacri é o diretor desportivo da seleção guineense sendo ídolo de proporções colossais nas populações de Conakry e de Neubrandenburg.

Foto: Der Teufel

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter