27 Mai, 2018

Balanço de 2017 nas “Ondas” portuguesas: Surf, Bodyboard e Longboard

Palex FerreiraDezembro 20, 20176min0

Balanço de 2017 nas “Ondas” portuguesas: Surf, Bodyboard e Longboard

Palex FerreiraDezembro 20, 20176min0
O Surf, Bodyboard e Longboard nacionais tiveram um ano fantástico e o Fair Play apresenta o seu Balanço de 2017 nas Ondas

2017 está a um mês de findar, e em termos de resultados globais, Portugal está de parabéns outra vez, outra vez porque não é a primeira vez, no que respeita a desportos de Ondas.

Por todo o globo foi comentado as performances de portugueses em todas as modalidades, ora vejamos:

Frederico Morais. Foto: Tony Heff / WSL

SURF

Frederico Morais – Final de época no Havaí, qualifica-se em grande estilo para o circuito Máximo de surf, onde competem apenas os melhores dos melhores, o WSL – World Surf League. Foram milhares de fãs que apoiaram o final de época do Frederico Morais, no Hawaii, em Dezembro de 2016, a sua prestação foi brilhante e o resultado magnífico, tínhamos garantida a presença de mais um português entre os melhores do mundo, depois das presenças de Tiago “Saca” Pires, em épocas anteriores. Perdendo por muito pouco o título de Rookie of the year da WSL para o Australiano Connor O’Leary.

Carol Henrique Photo: Momentos Allianz

Vasco Ribeiro revalida o título de campeão nacional de surf, e foca-se em 2017), para alcançar o que persegue há uns anos, a presença entre os melhores do mundo, no WSL TOUR. Não precisa de muito, na medida que já tem um currículo recheado de títulos importantes alcançados nos últimos anos enquanto uma pérola do surf nacional, tendo mostrado muita garra no Havaí, onde ficou por pouco fora do circuito WSL 2018, mas que brevemente estará a fazer companhia ao Frederico Morais.

No feminino a luso-brasileira Carol Henrique sagra-se Campeã Europeia da WSL, e a Teresa Bonvalot, campeã europeia júnior 2017, ambas da zona de Cascais, que disputam a qualificação rumo ao circuito mundial feminino –  WSL, com outras surfistas portuguesas.

Mafalda Lopes uma júnior muito talentosa, o futuro está assegurado. Foto: WSL

Mafalda Lopes – Campeã Europeia por seleções e finalista do GroomSearch (Hossegor-França) onde terminou em 2º num evento que é Europeu, e campeã Nacional sub-16, e em 3º da LIGA MEO Open com apenas 16 anos, foi um ótimo ano para esta atleta da Caparica que é treinada há muito tempo pelo surfista caparicano Pedro Simão “Fidji”.

Camila Costa– Campeã Sub-18

Francisco Ordonhas– Sub-12

Joaquim Chaves – Campeão Nacional sub-14

Afonso Antunes – Campeão Nacional Sub-16

Francisco Almeida– Campeão Nacional sub-18

BODYBOARD

Joana Schenker Campeã Mundial 2017 de Bodyboard (Foto: João Araújo)

Joana Schenker – atleta profissional de bodyboard que chega das ondas algarvias, Sagres dedicou-se a tempo inteiro na competição e alcançou pela primeira vez um título de Campeã MUNDIAL para Portugal. Juntando dessa forma ao seu currículo salgado esse tão almejado título mundial, aos de várias vezes campeã nacional, e outros tantos. A ela mais uma vez, parabéns à campeã mundial, em português sabe melhor.

As performances de Dino Carmo e António Cardoso no circuito mundial, que terminou com a vitória de um sul-africano (Ian Campbell) seguido muito de perto pelo Pierre Louies-Costes, que é o francês mais português que existe, residente na margem sul e habitualmente um crónico a esse título que já havia ganho em 2016.

Daniel Fonseca – Campeão por seleções no EUROSURF 2017

Campeão Europeu de Bodyboard – Rodrigo Lopes

LONGBOARD

Dig Gonçalves Campeão Nacinal 2017 Longboard Photo: WSL Masurel

Diogo Gonçalves, João Dantasrespetivamente o campeão nacional 2017 e o campeão europeu por seleções fazem crer que de futuro podemos ter atletas a disputar o circuito mundial de longboard, e juntado a estes nomes como João Gama, Kathleen Barrigão entre outros.

Antonio Dantas – Campeão Sub-18

Kathleen Barrigão–Campeã Feminina

Finalmente, Portugal sagra-se na Noruega Campeão Europeu 2017, com muitos títulos pessoais a saírem deste evento que juntou algumas das melhores seleções europeias.

Não há espaço para relatar tudo o que aconteceu, para os portugueses ficarem mais contentes, mais porque nós (portugueses) tínhamo-nos sagrado Campeões Europeus em Futebol meses antes, e prova que os apoios devem ser encaminhados para outras modalidades, que tanto trazem orgulho ao país.

Parabéns a todos, e desculpem aqueles que não foram citados, mas também um especial agradecimentos, como não podia deixar de ser, aos que do outro lado organizam e trazem os melhores circuitos às praias portugueses, nome como Francisco Spínola que organiza WQS PRIME e a etapa do Mundial WSL em Peniche (Ocean Events), e Pedro Ferreira, Gonçalo Pina e Miguel Ferreira que organizam o Atlantic Surf Fest e o Longboard Gaia Pro), a eles obrigado pelo esforço.

A Federação Portuguesa de Surf tem trabalhado ferozmente, e os resultados estão à vista de todos.

Afonso Antunes Foto: Ricardo Bravo

Agradecimentos a todos os treinadores destes valores nacionais que se assumem como bastantes promissores no futuro do surf mundial.

Agradecimentos aos clubes regionais, que têm tido um bom plano de atividades para todas as modalidades e estão a marcar a evolução que os atletas nacionais estão a atingir.

Joaquim Chaves nas Maldivas. Foto: Matta.surf

#ALOHA e bom 2018


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter