“A nossa Equipa!” – A participação portuguesa nos World Games e Cadet Challenge

Francisco FigueiredoAgosto 11, 20193min1

“A nossa Equipa!” – A participação portuguesa nos World Games e Cadet Challenge

Francisco FigueiredoAgosto 11, 20193min1
Portugal participou em provas europeias de relevo nesta temporada. A análise à representação lusa nos World Games, Cadet Challenge e ao futuro que correu pelas Quinas no Fair Play

Tenho escrito alguns documentos sobre as dinâmicas federativas e orientações metodológicas ligadas à Patinagem de Velocidade, que nem sempre são bem recebidos. Porque geralmente todos querem a mudança, mas ninguém quer mudar. É natural, é mais cómodo. Deixamos tudo como está, ao menos já sabemos com o que contamos.

Tenho proposto algumas alterações, apontado algumas ideias, deixado algumas sugestões, mas sempre na perspetiva de fazer crescer uma modalidade que gosto, e que muito preferia ver desenvolvida de outra forma.

Mas nunca em momento algum o interesse nacional ode ficar refém de interesses sempre menores, de clubes ou associações. E aí, a Seleção Nacional é o pontificar de toda uma política desportiva de uma Federação.

Assim, uma equipa que representa o meu país é sempre a minha equipa, independentemente de ter estado de acordo ou não com os princípios subjacentes à formação da equipa, processos de trabalho ou elementos selecionados. Se a equipa está escolhida, passa a ser a minha equipa. Sem reservas!

A NOSSA equipa participou, no final do mês de julho, nos World Games 2019 de Barcelona, evento que contou com todas as modalidades sob a égide da World Skate. Portugal esteve presente na Patinagem de Velocidade, Patinagem Artística e Hóquei em Patins, onde nos sagrámos campeões mundiais. Na Patinagem Artística obtivemos também títulos e na Velocidade estivemos bem perto de alcançar, pelo menos, medalhas. Sempre a torcer pela equipa das quinas!

Estivemos neste fim de semana presentes no Cadet Challenge 2019 em Oostende, e mais uma vez a equipa portuguesa continua a ser a minha equipa, apesar de ter estado presente com atletas do meu clube.

E no final de Agosto estaremos em Pamplona, nos Campeonatos da Europa de Juvenis, Juniores e Seniores, onde continuarei a torcer para que Portugal seja a melhor equipa em pista. Importa que todos os atletas presentes, bem como os demais amantes da modalidade, percebam que o importante não é ser o melhor português em pista, mas sim que Portugal seja a melhor equipa possível independentemente de quem a representa. Esse espírito deve prevalecer, sob pena de não conseguirmos retirar todo o potencial dos elementos que compõem a Seleção Nacional.

Os portugueses são conhecidos pelo mundo fora devido à sua resiliência e capacidade de trabalho. É apenas isso que se pede: que façamos tudo pelas cores que envergamos, sem olhar a clubites e quezílias anteriores. Teremos tempo para esgrimir argumentos e afinar projetos / estratégias. Neste momento, somo uma equipa só: PORTUGAL!

Acrescento Fair Play: Portugal conquistou várias medalhas nos torneios, com especial incidência no Cadet Challenge com Francisca Henriques (estreia em grande, com a conquista de um bronze e prata), Jéssica Rodrigues (duas pratas), Diogo Marreiros (como sempre de Ouro) e Miguel Bravo (bronze). 


One comment

  • juan Rodrigues

    Setembro 2, 2019 at 8:12 pm

    OLÁ é só para ” corrigir” ou deixar um pequena observação . No Cadet Challeng a JÉSSICA RODRIGUES também fez a sua estreia pela seleção de PORTUGAL. OBRIGADO.

    Reply

Responder a juan Rodrigues Cancelar resposta


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter