Arquivo de Nicolas Almagro - Fair Play

fucks.jpg?fit=735%2C490&ssl=1
André Dias PereiraMaio 28, 20182min0

É preciso recuar até 1982 para encontrar o último vencedor húngaro de um torneio ATP. Balasz Taroczy, ex-top 12, foi o autor da proeza em Hilservum (Holanda). Ali conquistou a última de suas 13 conquistas. De então para cá instalou-se uma espécie de maldição, aliada a gerações menos frutíferas. Attila Balázs é exemplo disso mesmo. Aos 29 anos de idade e 188 do ranking, vive o melhor momento de sua carreira. Nunca venceu qualquer título.

É por isso que a vitória Marton Fucsovics, este sábado, no ATP Genebra se tornou histórica. O húngaro, 26 anos de idade, quebrou a maldição de ausência de títulos no circuito para a Húngria que perdurava há 36 anos.

O húngaro precisou apenas de 1h07 para levar de vencido o alemão Peter Gojowczyk por duplo 6-2. Fucsovics converteu seis ases. Já Gojowczyk, que procurava o seu segundo título na carreira, venceu 52% dos pontos jogados com seu primeiro serviço contra 91% de aproveitamento do húngaro.

Fucsovics começou a jogar ténis aos 5 anos de idade e cedo começou a se destacar. Venceu, em 2003, o campeonato nacional, na sua faixa etária, e o Nike Junior Tour. O seu primeiro grande sucesso ocorreu em 2009, ao vencer, em duplas, o US Open Boys. Já como senior, venceu, em 2013, dois Challanger. Em 2016 alcançou o seu primeiro Major. Foi no US Open, perdendo na primeira ronda para Nicolas Almagro. O ano passado venceu mais dois Challanger e foi figura de proa da Húngria, na Taça Davis, ao apurar o seu país para o Grupo Mundial. Já este ano ganhou o seu primeiro jogo em Major. Foi contra Radu Albot, no Australian Open.

Wawrinka pode ficar fora do top-100

Em Genebra Fucsovics eliminou Albert Ramos Viñolas, Frances Tiafoe, Stan Wawrinka e Steve Johnson, antes da final. A atravessar uma das fases mais difíceis da carreira, Wawrinka, ex-top 3, ocupa actualmente a 25ª posição do ranking. Caso não alcance, pelo menos, as meias finais de Roland Garros, poderá ficar fora do…top-100. Depois de um longo período de ausência, por lesão, e uma recuperação difícil, é pouco crível que o suíço possa sequer de se aproximar do feito de 2015, quando venceu em Paris. Já Marton Fucsovics com o triunfo de Genebra ascence ao 45º lugar do ranking ATP, a sua melhor classificação de sempre.

 

Martin Fucsovic faz história em Genebra

 


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS