24 Ago, 2017

Jogos Olímpicos – Natação Masculina

João BastosJulho 31, 201610min3

Jogos Olímpicos – Natação Masculina

João BastosJulho 31, 201610min3

O maior evento desportivo do mundo está prestes a começar e, como habitualmente, a natação será um dos acontecimentos maiores dentro do acontecimento que são os Jogos Olímpicos. O FairPlay faz as suas previsões sobre quem se sagrará campeão no Estádio Aquático Olímpico de natação pura.

Começamos pela antevisão das 13 provas masculinas, as quais têm como grande atractivo perceber que Michael Phelps vamos ter no Rio de Janeiro depois do regresso às piscinas em 2014.

50 metros livres: Esta é a prova mais curta do calendário olímpico e por isso, naturalmente, a mais “apertada” e imprevisível, mas ainda assim é fácil identificar um favorito. O francês Florent Manaudou é o campeão olímpico e mundial em título e líder mundial do ano nesta prova. Só lhe falta o récord do mundo que pertence a César Cielo (que não se apurou para os “seus” Olímpicos), mas que foi obtido com os fatos de “borracha”. Apesar de favorito, Manaudou não se poderá descuidar com o americano Nathan Adrian, com o jovem australiano Cameron McEvoy ou com o brasileiro Bruno Fratus.

Aposta FairPlay: Florent Manaudou (França)

100 metros livres: A Austrália é uma das principais potências na natação mundial, mas depois da geração de Thorpe, Hackett, Klim e O’Neill a natação australiana não mais se superiorizou à americana e em determinados períodos mesmo à europeia. No entanto, surge no Rio de Janeiro com aspirações legítimas a voltar a ocupar o lugar mais destacado do medalheiro. E uma das esperanças australianas dá pelo nome de Cameron McEvoy, o jovem de apenas 22 anos que este ano se estabeleceu como o segundo melhor nadador de sempre a nadar o hectómetro (e o melhor sem fatos de alta tecnologia). Para ser campeão olímpico terá de superar a experiência do campeão em título, Nathan Adrian dos EUA e do chinês campeão do mundo, Ning Zetao.

Aposta FairPlay: Cameron McEvoy (Austrália)

Cameron McEvoy
Cameron McEvoy | Fonte: imgtalent

200 metros livres: Desde Atenas’2004 (com a presença de Thorpe, Phelps, Hoogenband e Hackett) que esta tem sido a “prova rainha” da natação nos JO. Em 2008 viu Phelps a esmagar o record do mundo de um Paul Biedermann que chegou apenas em 5º e em 2012 tivemos um super Agnel que deixou o chinês Sun Yang empatado com o sul-coreano Tae-Hwan Park na prata. Em 2016 os ingredientes parecem estar lá com a presença do campeão olímpico Yannick Agnel, do ex-recordista do mundo Paul Biedermann, do campeão do mundo James Guy e do vice-campeão do mundo e olímpico Sun Yang (Park também estará presente). A questão é que neste ciclo olímpico, à excepção de Guy, nenhum dos outros nadadores apresentou grandes momentos de forma.

Aposta FairPlay: Tendo em conta que Sun Yang não vai nadar os 1500 metros, onde é recordista mundial e que já deve estar farto de bater na trave, vamos apostar no chinês.

400 metros livres: Na linha do que falamos sobre Cameron McEvoy, Mack Horton é outro nome da nova vaga australiana. Aos 20 anos vem ao Rio de Janeiro na condição de líder mundial do ano mas pode não ser suficiente para ultrapassar os campeões olímpicos de 2012 (Sun Yang) e 2008 (Tae-Hwan Park), para além do vice-campeão do mundo James Guy e do campeão europeu Gabriele Detti.

Aposta FairPlay: Sun Yang (China)

Sun Yang of China gestures after the men's 1500m freestyle heats at the Aquatics World Championships in Kazan, Russia, August 8, 2015. REUTERS/Michael Dalder
Sun Yang | Fonte: Reuters

1500 metros livres: Até Maio deste ano, apenas Sun Yang tinha superado a lenda dos 1500 metros, Grant Hackett, mas durante os Campeonatos da Europa o italiano Gregorio Paltrinieri não só repetiu a façanha, como aproximou-se bastante do record do mundo de Yang. A ansiedade para ver um duelo Yang/Paltrinieri era grande, mas depois de uma suspensão por doping em 2014, Yang não mais voltou a fazer tempos da sua valia nesta prova e não se vai apresentar no Rio. Assim, a passadeira para o ouro está estendida ao italiano que deve, no entanto, contar com a oposição de Mack Horton e do americano Connor Jaeger.

Aposta FairPlay: Gregorio Paltrinieri (Itália)

100 metros costas: O campeão de Londres 2012, Matt Grevers, não se conseguiu apurar, mesmo tendo feito o quarto melhor tempo do ano nos trials norte-americanos. Este facto diz bem da valia dos dois representantes dos EUA nesta prova: David Plummer e Ryan Murphy, 1º e 2º melhores tempos em 2016. Os dois americanos têm forçosamente de ser considerados favoritos à prova, assim como o campeão do mundo em título, o australiano Mitchell Larkin ou o vice-campeão mundial e campeão europeu, o francês Camille Lacourt.

Aposta FairPlay: David Plummer (EUA)

200 metros costas: Se nos 100 metros a nossa aposta recai sobre Plummer, na prova mais longa de costas, acreditamos que Mitch Larkin será rei e senhor. Apesar da proximidade de marcas entre Larkin e o americano Ryan Murphy, o australiano é campeão do mundo em título e tem-se mantido em grande plano. Atenção ainda ao japonês Ryosuke Irie. À semelhança da prova de 100, o campeão olímpico em título, o americano Tyler Clary, também não superou os adversários “caseiros” nos trials.

Aposta FairPlay: Mitchell Larkin (Austrália)

Mitchell Larkin | Fonte: Bestswim
Mitchell Larkin | Fonte: Bestswim

100 metros bruços: Esta poderá ser a prova masculina de aposta mais segura. Apesar de ter uma partida, viragem e percurso subaquático dignos de um amador, isso não impede Adam Peaty (Grã-Bretanha) de ser recordista do mundo da distância. É, inclusivamente, o único ser humano capaz de nadar 100 bruços abaixo dos 58 segundos. O que faria com partidas e viragens ao nível dos adversários? Se para o ouro Peaty é candidato único, para a prata o campeão olímpico em título Cameron van der Burgh (África do Sul) também é o candidato mais forte. van der Burgh é o aposto de Peaty, parte e vira muito bem, o que o faz ser melhor nadador de piscina curta. Depois surge Kevin Cordes (EUA) e Giedrius Titenis (Lituânia).

Aposta FairPlay: Adam Peaty (Grã-Bretanha)

200 metros bruços: Ao contrário dos 100 metros, os 200 serão das provas mais abertas quanto à definição do campeão: Marco Koch (Campeão do mundo alemão), Daniel Gyurta (campeão olímpico húngaro), Josh Prenot (americano, líder mundial do ano e segundo melhor de sempre) e Kevin Cordes (vice-campeão do mundo americano) são grandes candidatos à vitória, não sendo de descartar os britânicos e os japoneses.

Aposta FairPlay: Apesar de ser o nadador com menos currículo, apostamos em Josh Prenot (EUA) com a possibilidade forte de bater o record do mundo e ser o primeiro nadador a nadar abaixo dos 2’07.

100 metros mariposa: Os 100 mariposa é uma das três provas individuais que Michael Phelps irá nadar e será um teste de fogo para o campeoníssimo que chega com o melhor tempo de inscrição, mas que tem forte concorrência do húngaro Laszlo Cseh, que este ano se especializou bastante no estilo de mariposa e do campeão do mundo Chad le Clos (África do Sul). Joseph Scooling, da Singapura ou o americano Tom Shields também podem estragar os planos da Phelps, mas por aqui ninguém se atreve a apostar contra o 22 vezes medalhado olímpico.

Aposta FairPlay: Michael Phelps (EUA)

Michael Phelps
Michael Phelps

200 metros mariposa: O filme pode ser outro mas os protagonistas são os mesmos. Esta é a prova onde Phelps atingiu o seu primeiro record do mundo. Le Clos foi o único nadador que venceu Phelps nesta prova numa grande competição (em Londres 2012) e Cseh venceu le Clos há um ano nos mundiais de Kazan. Os dados estão lançados para uma prova memorável – previsivelmente – entre três dos maiores nadadores da história da natação.

Aposta FairPlay: Michael Phelps (EUA)

200 metros estilos: Terceira prova que Phelps chega com o melhor tempo de inscrição, e à semelhança das outras duas vai encontrar adversários de peso. O compatriota e velho rival Ryan Lochte, campeão do mundo em título e o japonês Kosuke Hagino são os principais concorrentes a vencer o ouro. Nesta prova participarão os dois representantes da natação portuguesa Diogo Carvalho e Alexis Santos, ambos com aspirações legítimas a alcançar as meias-finais.

Aposta FairPlay: Michael Phelps (EUA)

Alexis Santos e Diogo Carvalho | Fonte: Record
Alexis Santos e Diogo Carvalho | Fonte: Record

400 metros estilos: Com a ausência dos dois anteriores campeões olímpicos (Lochte – 2012 e Phelps – 2008), os japoneses Daiya Seto e Kosuke Hagino deverão disputar o ouro entre si. Num segundo plano de favoritos surge o americano Chase Kalisz e o húngaro David Verraszto. Alexis Santos também competirá nesta prova que acontece no primeiro dia de competições.

Aposta FairPlay: Kosuke Hagino (Japão).

Conheça também as previsões FairPlay nas provas femininas e estafetas.


3 comments

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter