27 Mai, 2018

Dia de vencedores antecipados

João BastosJulho 24, 20175min0

Dia de vencedores antecipados

João BastosJulho 24, 20175min0

A segunda sessão de finais em Budapeste era composta por provas que à partida já tinham os nomes dos vencedores gravados nas respectivas medalhas de ouro, e os favoritos não desiludiram

Peaty e os outros

O britânico Adam Peaty cumpriu com as formalidades e sagrou-se bi-campeão do mundo dos 100 metros bruços.

O tempo foi o seu segundo melhor de sempre, atrás do seu record do mundo obtido no ano passado no Rio de Janeiro. 57.47 é o novo record dos campeonatos do mundo e a sétima vez que Peaty baixa dos 58 segundos.

O americano Kevin Cordes com 58.79 e o russo Kirill Prigoda com 59.05 completaram o pódio.

Sjöström a uma chegada do record do mundo

Depois do record do mundo de ontem nos 100 metros livres, Sarah Sjöström vinha para os 100 mariposa à procura do seu segundo record nestes campeonatos.

Prova disso foi a saída demolidora da sueca que passou aos 50 metros com 25.67, 34 centésimos abaixo do parcial para record do mundo e tudo parecia encaminhado para que os 55.48 feitos no ano passado nos Jogos Olímpicos fossem melhorados, mas uma chegada demasiadamente deslizante deixou-a a escassos 5 centésimos do máximo mundial. 55.53 é o novo record dos campeonatos, o seu segundo melhor tempo de sempre e a 11ª vez que Sjöström baixa dos 56 segundos.

A vitória nos 100 mariposa fez dela a única tetra-campeã feminina na mesma prova…durante alguns minutos.

Emma McKeon (Austrália) e Kelsi Worrel (EUA) secundaram a sueca no pódio.

Foto: Budapest2017

A primeira em casa para a Dama de Ferro

Sjöström foi a única tetra-campeã mundial feminina na mesma prova até Katinka Hosszu nadar os 200 metros estilos. Elas que já eram as únicas tri-campeãs do mundo até ontem, quando Ledecky as igualou, passam agora para a galeria dos tetras onde já estavam Grant Hackett, Aaron Peirsol e Ryan Lochte, perseguindo agora o único penta campeão na mesma prova, Michael Phelps.

A dama de ferro não desiludiu o seu público e venceu com facilidade com o tempo de 2:07.00 à frente da surpreendente japonesa Yui Ohashi e da americana Madisyn Cox.

Para amanhã está reservado um dos mais aguardados duelos destes campeonatos quando Katinka Hosszu encontrar Katie Ledecky na prova dos 200 metros livres.

Foto: Budapest2017

Proud faz o bis para a Grã-Bretanha

Depois de ontem os americanos terem estado em destaque ao vencer 3 em 4 provas, para hoje só mesmo os 50 metros mariposa masculinos poderiam pensar em vencer, por intermédio de Caeleb Dressel, o melhor tempo das meias finais.

Mas como qualquer prova de 50 metros, esta era de desfecho imprevisível e o melhor tempo das meias finais acabou por ficar fora do pódio.

Levou a melhor o britânico Ben Proud que conquistou o ouro com 22.75 superiorizando-se ao veteraníssimo Nicholas Santos, que assegurou a segunda prata para o Brasil nestes campeonatos, e ao ucraniano Andrii Govorov.

Esta vitória de Proud, somada à vitória de Peaty, fizeram da Grã-Bretanha a nação mais titulada deste segundo dia.

Foto: Budapest2017

Os melhores 100 bruços femininos de sempre em perspectiva

Entre as quatro meias finais hoje disputadas, o maior destaque vai para a dos 100 metros bruços. Na primeira meia final, Yulia Efimova ficou a apenas 1 centésimo do record do mundo, mas não significa que vá para a final de forma tranquila já que na segunda meia final a campeã olímpica Lilly King fez o seu record pessoal, gastando apenas mais 17 centésimos que Efimova.

A juntar à festa, Ruta Meilutyte parece estar de regresso à sua boa forma e tem de ser considerada nas contas pela vitória.

Nos 100 metros costas, o chinês Xu Jiayu impressionou pela forma como desacelerou nos últimos 20 metros da prova e ainda assim terminou com o melhor tempo, nadando em 52.44. O chinês promete ser uma grande dor de cabeça para o recordista do mundo, Ryan Murphy, que se apurou para a final com o segundo tempo. Matt Grevers fez o terceiro tempo e os três foram os únicos a nadar abaixo de 53 segundos.

Quem também promete ameaçar o record do mundo amanhã é a canadiana Kylie Masse nos 100 metros costas. Hoje ficou a apenas 6 centésimos do tempo de Gemma Spofforth. A campeã do mundo em título, a australiana Emily Seebohm, vai para a final com o segundo tempo, sendo que as duas foram as únicas a nadar em 58 segundos.

A quarta meia final do dia foi a mais equilibrada, apesar de ser na prova mais longa (200 metros livres). Foram 7 nadadores a nadar em 1:45 e os três primeiros ficaram separados por apenas 8 centésimos. Foram eles Duncan Scott, James Guy e Sun Yang.

Saiba como foi o dia dos portugueses aqui.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter