22 Mai, 2018

2 em 2 para Diana Durães

João BastosJulho 25, 20174min0

2 em 2 para Diana Durães

João BastosJulho 25, 20174min0

Terceiro dia de eliminatórias com três portugueses em acção. Os benfiquistas Diana Durães e Miguel Nascimento e o sportinguista Guilherme Pina fizeram as honras lusas na Duna Arena

Três companheiros de selecção que são também três companheiros de treinos no Centro de Alto Rendimento de Rio Maior representaram as cores nacionais na terceira sessão de eliminatórias dos mundiais húngaros. Três nadadores com muitos pontos em comum mas com desempenhos diferentes no dia de hoje.

A primeira a entrar em acção foi Diana Durães nos 200 metros livres. Depois do fantástico desempenho na prova de 400, a expectativa para a prova mais curta era grande, dado que o tempo de passagem no domingo não tinha ficado longe do record nacional.

Por outro lado, Diana tinha admitido ao Fair Play que a sua preparação incidiria sobretudo nas provas de 400 e 800, onde teria melhores hipóteses de uma boa classificação, daí que a prova de 200 pudesse não corresponder ao que consegue fazer nas provas mais longas.

Mas assim não foi. Desde logo com uma saída muito rápida, Diana passou aos 100 metros 1.02 segundos mais rápida que a sua passagem no Meeting Internacional de Lisboa, quando estabeleceu o record nacional de 2:01.78. No final concretizou o seu segundo record nacional absoluto estabelecido em Budapeste com o tempo de 2:01.48. Apesar de não ter mantido a diferença de 1 segundo para o anterior record nacional, os seus parciais foram dos mais consistentes entre as participantes na prova (59.24/1:02.24), o que constitui um bom indicador para a prova de 800 metros que será nadada na sexta-feira.

Na prova que põe em confronto Ledecky, Hosszu e Pellegrini, a nadadora portuguesa classificou-se no 26º lugar. A meia final fechou em 1:58.68, um tempo (ainda) fora do alcance de Diana.

Foto: FPN

Logo em seguida foi a vez de Miguel Nascimento nadar os 200 metros mariposa na pista 1 da série da 3, que contava com o bronze olímpico Tamas Kenderesi na pista 4. A prova não correu de feição ao português que logo aos 50 metros já fez uma passagem superior ao seu record pessoal em quase 1 segundo. Apesar dos restantes parciais terem sido bastante consistentes, o tempo final distou quase dois segundos do seu melhor.

A marca de 1:59.02 deu a Miguel o 23º lugar. A meia final fechou em 1:56.71, um tempo que estaria no horizonte das possibilidades do nosso mariposista…mas não foi desta.

Nascimento tem nova oportunidade já amanhã na prova de 100 metros livres, a prova mais concorrida dos campeonatos com 120 nadadores inscritos.

Foto: FPN

A fechar a jornada, nadou Guilherme Pina na prova de 800 metros livres. Como o nadador do Sporting confidenciou ao Fair Play, esta é uma prova que não assenta nas suas características, de tal forma que o seu record pessoal é um tempo de passagem para os 1500.

E de facto nas provas de 800, Pina nunca consegue ser tão regular nos seus parciais como na prova de 1500, onde é um verdadeiro relógio suíço. Por isso, o facto de hoje ter ficado dois segundos acima do seu record pessoal não deve ser tomado como indicador para o que irá fazer na prova mais longa, para onde estão apontadas todas as suas baterias.

O tempo de 8:08.96 deu a Guilherme o 25º lugar final, numa prova cuja final fechou em 7:50.97.

Foto: FPN

Na jornada de amanhã, para além de Miguel Nascimento nos 100 metros livres, teremos em acção o semifinalista olímpico dos 200 estilos, Alexis Santos, na “sua” prova. Irá na primeira das três séries com cabeças de série, aquela que se espera que sirva de veículo para voltar a nadar à tarde.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter