Sport Lisboa e Benfica – Mudanças importantes após seca de dois anos

José NevesOutubro 11, 20187min0

Sport Lisboa e Benfica – Mudanças importantes após seca de dois anos

José NevesOutubro 11, 20187min0
O Sport Lisboa e Benfica perdeu um dos jogadores mais marcantes da última década do clube, mas nem por isso apresenta menor ambição na conquista do ceptro de campeão nacional.

O Sport Lisboa e Benfica teve, em 2015-16, uma época de grande sucesso, em que conquistou o Campeonato Nacional e a Liga Europeia, mas desde o sucesso dessa época as águias apenas triunfaram nas taças Continental e Intercontinental, disputadas graças à vitória na Liga Europeia.

Depois de perder um campeonato na última jornada em 2016-17, na última época o Benfica pretendia recuperar o título perdido, mas acabou por falhar após uma derrota caseira – a única derrota em todo o campeonato – frente ao Sporting por 4-7, na jornada 24.

Destaque na época transacta para a dupla de goleadores João Rodrigues e Jordi Adroher, com ambos os jogadores a chegar à marca dos 40 golos marcados no campeonato. O internacional espanhol fez golo por 40 vezes, já o capitão da selecção portuguesa foi o melhor marcador de todo o campeonato com 49 golos, marcando 11 nas derradeiras duas jornadas.

João Rodrigues deixa o Benfica após 9 temporadas (Foto: Catarina Maria)

Para a nova época o Benfica é uma de três equipas que aposta num plantel com mais de 10 jogadores, registando-se três saídas e quatro entradas.

De saída da Luz nesta temporada destaca-se o principal goleador das últimas temporadas, João Rodrigues. O avançado de 28 anos deixa os encarnados depois de nove temporadas, rumando ao Barcelona. Ao serviço do Benfica, João Rodrigues conquistou 3 campeonatos, 3 taças, e 2 supertaças, juntando ainda, a nível internacional, 2 Ligas Europeias, 1 Taça CERS, 3 Taças Continentais e 2 Intercontinentais. Apesar das últimas duas temporadas terem sido de decepção para a equipa do Benfica, Rodrigues liderou a lista de melhores marcadores nestas duas últimas épocas, com 52 golos em 2016-17, e 49 em 2017-18. Agora, com a saída de João Rodrigues, maior responsabilidade na marcação de golos recaí sobre Jordi Adroher, o único avançado interior no plantel.

Outro jogador que abandona a Luz, e que marcou a história recente do clube é Guillem Trabal. O guardião catalão chegou ao Benfica em 2013-14, vindo do Reus, e nas cinco temporadas ao serviço das águias – quatro delas como titular absoluto na baliza – Trabal venceu 2 campeonatos, 2 taças, 1 Liga Europeia, 2 Continentais e 1 Intercontinental. O internacional espanhol, que ao serviço da sua selecção conquistou 6 Mundiais e 6 Europeus, foi peça chave em todas as conquistas do Benfica neste período temporal, mas na temporada passada perdeu espaço na equipa de Pedro Nunes, que apostou em Pedro Henriques para a titularidade na baliza. Aos 39 anos o veterano guarda-redes continua a sua carreira em Itália, ao serviço do Valdagno, naquela que será a sua primeira aventura em terras transalpinas.

A terceira saída é a de Tiago Rafael, o defesa/médio natural de Turquel representou o Benfica durante 7 temporadas, divididas em duas passagens, a primeira entre 2008-09 e 2010-11, a segunda de 2014-15 até à temporada transacta. Nesta segunda passagem pelo Benfica, onde chegou oriundo do HC Turquel, Tiago Rafael foi habitual suplente, mas um jogador muito importante na rotação defensiva da equipa. Apesar de ter sido oficializado como reforço da equipa do Turquel para a próxima temporada, Tiago acabou por rescindir o contacto ainda antes da pré temporada se iniciar para assinar pelos espanhóis do Reus.

Na porta de entrada, para substituir Trabal como número 2 da baliza encarnada, está Marco Barros. O guarda-redes de 33 anos defendeu a baliza do Turquel nas últimas 7 temporadas, e destacou-se como um dos melhores e mais regulares guarda-redes da primeira divisão. Regressa ao Benfica depois de ter jogado de águia ao peito na época 2008-09, tendo na altura sido habitual suplente de Carlos Silva.

Para o ataque, e fazendo o caminho contrário de João Rodrigues, chega o internacional argentino Lucas Ordoñez. O reforço mais sonante do Benfica para esta época defendeu as cores do Barcelona nas últimas três épocas, antes havia representado os italianos do Valdagno e do Follonica, e os espanhóis do Liceo, Vic e Tenerife. Campeão do Mundo pela Argentina em 2015, o avançado apontou 19 golos na OK Liga da temporada transacta, e apesar de ser um avançado de características totalmente diferentes daquelas de João Rodrigues, poderá ser uma grande mais valia pelos seus dotes técnicos.

Para as posições mais recuadas chegam mais dois jogadores, um deles actual campeão do Mundo e da Europa de selecções, Albert Casanovas. O defesa/médio espanhol de 33 anos chega proveniente do Reus, única equipa que representou no seu país, tendo já passado por Portugal e pela Oliveirense, durante duas épocas. Um dos jogadores com maior eficácia em lances de grande penalidade do hóquei europeu e mundial, Casanovas é um defesa/médio de grande pendor ofensivo, encaixando bem no estilo de jogo do Benfica de Pedro Nunes, que sempre privilegiou o ataque em detrimento da defesa.

Por fim, outro dos reforços para as posições mais recuadas é o jovem português Xavier Cardoso. O jogador de 23 anos finalizou a sua formação, e estreou-se na primeira divisão na equipa do Valongo, onde se destacou na temporada passada não só pela segurança defensiva que deu à equipa, mas também por ser um dos elementos que mais participava na construção de jogo ofensivo. Com apenas 23 anos, o internacional pelas camadas jovens português fará dupla com outro jovem de características defensivas no banco das águias, Vieirinha, uma dupla de jogadores em quem os responsáveis encarnados depositam grandes esperanças não só para o presente, mas, principalmente, para o futuro do clube.

Lucas Ordoñez (ex.Barcelona) é reforço sonante para o ataque encarnado (Foto: Víctor Salgado/FCB)

A pré temporada do Benfica, em termos de resultados, não foi a melhor. Ainda que tenha apenas averbado uma derrotano terreno do HC Turquel por 3-4, logo na primeira partida de preparação – a equipa das águias perdeu frente Marinhense na final do torneio Eurocidade, de Valença, no desempate por grandes penalidades após um empate a 3. Também nas meias finais da Elite Cup a Oliveirense se superiorizou ao Benfica nas grandes penalidades, após um 6-6 no tempo regulamentar. Ainda assim há a notar as ausências de Carlos Nicolia e Lucas Ordoñez de grande parte dos últimos jogos de pré-época – nenhum deles participou na Elite Cup – dois elementos por onde passará grande parte do jogo ofensivo das águias nesta temporada.

O campeonato do SL Benfica inicia em grande com uma visita ao terreno do eterno rival Sporting, o adversário que na temporada passada infligiu às águias a sua única derrota em toda a prova. A estreia no Pavilhão da Luz está marcada para a 2ª jornada, com a recepção a outro Sporting, desta feira o de Tomar.

O Benfica nas últimas duas temporadas nem sempre correspondeu frente aos adversários directos na luta pelo título, tendo perdido o campeonato nas duas épocas anteriores em jogos frente ao Sporting. Esta temporada o início de campeonato será um verdadeiro teste de fogo à capacidade da equipa de Pedro Nunes neste tipo de jogos, uma vez que o Benfica enfrenta o Sporting na 1ª jornada, a Oliveirense na 3ª, e o FC Porto na 4ª. Uma série de resultados negativos nestas três partidas pode atrasar o Benfica de forma irremediável do 1ª lugar da tabela.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter