17 Ago, 2017

Premier League: O Boxing Day

Diogo AlvesDezembro 25, 201612min0

Premier League: O Boxing Day

Diogo AlvesDezembro 25, 201612min0

A quadra natalícia é sinónimo de pausa em todos os campeonatos da Europa, ou em quase todos, porque em Inglaterra continua-se a jogar ao mais alto nível. Não há pausa de inverno, nem pausa nos dias depois do Natal. No dia 26 de Dezembro – uma vez mais – haverá uma jornada especial da Premier League, o tão desejado e mítico Boxing Day.

O Boxing Day é comemorado em Inglaterra e restantes países anglo-saxónicos (excepto nos EUA) no dia a seguir ao Natal – dia 26 de Dezembro – e é um feriado muito tradicional dos países anglo-saxónicos. A origem do feriado não é definitiva mas há quem diga que começou através do clero na Era Vitoriana. As igrejas colocavam uma caixa (Christmas Box) para os paroquianos doar dinheiro e bens para entregar aos mais pobres no dia a seguir ao Natal. Era também no dia 26 que os criados das famílias ricas tinham o dia de folga para visitar as suas famílias, e como prenda levavam numa caixa: Prendas, bens materiais, dinheiro e até alguns restos de comida.  Os comerciantes ofereciam aos seus empregados uma Christmas Box com dinheiro e presentes como agradecimento pelo bom trabalhado realizado ao longo do ano.

Mundialmente este feriado é mais conhecido pela jornada que há da Premier League e restantes divisões inglesas. É uma das jornadas mais vistas em todo o Mundo e em Inglaterra tem um peso muito grande por ser no dia a seguir ao Natal, mas também porque todas as famílias se deslocam aos estádios para ver os seus clubes.

1860

Tudo começou no dia 26 de Dezembro de 1860, em Sheffield. O Sheffield FC (não confundir com o Sheffield United) e o Halam, os dois clubes mais antigos de sempre, disputaram o primeiro jogo do Boxing Day, e além de ser o primeiro jogo nesta data especial, foi também a primeira vez que dois clubes se defrontaram entre si.

O jogo foi disputado no Sandygate Road, casa do Halam. O estádio nos dias de hoje ainda existe e continua a pertencer ao Halam. A vitória sorriu aos forasteiros do Sheffield FC, uma vitória por 2-0. Hoje em dia ambos os clubes actuam em divisões inferiores inglesas.

Equipa do Sheffield FC em 1860 [Foto: sheffieldfc.com]
 

De novo Sheffield

Sheffield, em South Yorkshire é uma cidade de muito futebol e tem dois clubes com uma enorme rivalidade, o Sheffield United e o Sheffield Wednesday (nos dias de hoje treinado por Carlos Carvalhal). A 26 de Dezembro de 1979 estes dois rivais defrontaram-se no Boxing Day, naquele que ficou conhecido pelo “The Boxing Day Massacre”.

O jogo foi disputado no estádio do Sheffield Wednesday, o Hillsbrough. O jogo ficou historicamente marcado pela batalha que houve entre jogadores no túnel de acesso ao relvado. A FA ordenou que ambas as equipas entrassem perfiladas no relvado – algo à época pouco usual – e as provocações e ameaças entre jogadores foi subindo de tom até que chegou mesmo a existir agressões entre jogadores.

Relativamente ao jogo dentro das quatro linhas;  os The Owls venceram por 4-0 e até hoje continua a ser a vitória mais expressiva que o Sheffield Wednesday tem sobre o seu eterno rival, o Sheffield United. Os golos foram apontados por Ian Mellor, Terry Curran, Mark Smith e Jeff King.

O azarado Brian Clough

Brian Clough foi também uma das figuras do Boxing Day, o lendário treinador que levou o Nottingham Forest a conquistar a Taça dos Campeões Europeus e subiu o Derby Couny à Premier League, teve um Boxing Day infeliz enquanto jogador do Sunderland. O avançado colidiu com o guarda-redes do Bury – Chris Harker – e lesionou-se com gravidade, uma rotura dos ligamentos cruzados.

À época Brian Clough tinha apenas 29 anos de idade e teve de retirar-se do futebol mais cedo do que seria suposto. No entanto, perdeu-se um bom avançado mas ganhou-se um treinador com muito carisma, polémico e com muito sucesso ao serviço do Derby County e do Nottingham Forest.

Enquanto treinador disputou imensos jogos no Boxing Day e esteve envolvido num dos jogos mais espectaculares do Boxing Day. O Derby County vs. Manchester United de 1970. Jogo que terminou 4-4 e foi jogado debaixo de um forte nevão. Bobby Charlton, George Best e Law faziam parte da equipa do Manchester United.

A invencibilidade de Sir. Alex Ferguson e José Mourinho

Seria impossível falar em Boxing Day e não falar em Sir. Alex Ferguson. O antigo treinador do Manchester United é o treinador com mais anos de invencibilidade no Boxing Day. Esteve desde 1992 até 2002 sem perder um jogo no Boxing Day ao serviço do Manchester United. A derrota em 2002 aconteceu com o Middlesbrough por 3-1. Foi a única derrota que Alex Ferguson teve ao serviço do Manchester United entre 1992 e 2014 no Boxing Day. Uma marca irrepreensível.

Continuando por Manchester vemos que os Reds Devils são o clube mais bem-sucedido no Boxing Day com mais de 50% das vitórias no Boxing Day. Em 91 jogos, o Manchester United venceu 50.

Quem nunca perdeu no Boxing Day foi o português José Mourinho, o treinador português ao serviço do Chelsea esteve envolvido em seis Boxing Day. Venceu quatro e empatou dois jogos. Um registo bastante bom.

Esta época irá fazer a sua estreia ao serviço do Manchester United nesta data especial e como já supracitado, o Manchester United é o clube com mais vitórias no Boxing Day. O Sunderland apadrinhará a estreia de José Mourinho ao serviço do Manchester United no Boxing Day. Jogo às 15h00 no Old Trafford.

[Foto: daylimail.co.uk]

O ano louco de 1963

1963 foi o ano onde houve mais golos e mais espectáculo dentro das quatro linhas no Boxing Day. Ao todo foram 66 golos em 10 jogos disputados naquele 26 de Dezembro de 1963. Foram várias as goleadas históricas que aconteceram naquele dia, desde o 10-1 do Fulham ao Ipswich, ao 6-1 do Burnley ao Manchester United.

O jogo com menos golos acabou por ser entre o Leicester e o Everton, apenas 2-0 para os Foxes. O Liverpool – que mais tarde se viria a sagrar campeão – não vacilou nesta ronda que é bastante importante e por vezes 3 pontos aqui são importantes para a obtenção do título, recebeu e venceu o Stoke por 6-1.

A jornada foi tão inusitada que o Blackburn – naquela jornada era líder – goleou o West Ham no mítico Upton Park – casa do West Ham – por 8-2! Algo impensável de ver nos dias de hoje.

O Chelsea bateu o Blackpool por 5-1, o Nottingham Forest empatou 3-3 com o Sheffield United e o grande rival do Sheffield United, o Sheffield Wednesday, venceu o Bolton por 3-0. Wolves e Aston Villa empataram 3-3 e o Tottenham com o West Brom empataram 4-4.

Allan Mullery marcou o nono golo do Fulham no Fulham 10-1 Ipswich [Foto: daylimail.com.uk]
 

O goleador do Boxing Day

Robbie Fowler continua a ser o melhor marcador do Boxing Day, o avançado inglês apontou 9 golos em 10 partidas. O ex-avançado de Liverpool, Manchester City e Leeds costumava-se dar bem nesta data em especial.

Os 9 golos apontados foram distribuídos por Liverpool, Manchester City e Leeds. Ao serviço do Liverpool apontou 3 golos, pelo Manchester City 2 e pelo Leeds apontou 4. Ao serviço do Leeds apontou um hat-trick na vitória por 3-0 sobre o Bolton. Entre 2001 e 2004 marcou sempre no Boxing Day.

A seguir a Robbie Fowler aparece Alan Shearer e Robbie Keane com 8 golos cada, e logo de seguida, o francês Henry que ao serviço do Arsenal apontou 7 golos no Boxing Day.

Desde 1992 até os dias de hoje

Em 1992 houve uma reformulação na Primeira Divisão inglesa e passou a chamar-se Premier League como a conhecemos nos dias de hoje. Enquanto Premier League, o Manchester United continua a ser a equipa com mais vitórias e com o maior número de jogos sem perder, como já referido. São também a equipa com mais golos, 57 no total.

De Manchester chega-nos também a informação que Giggs, Scholes e Carrick – todos jogadores do Manchester United – são os jogadores com mais vitórias no Boxing Day. São 11 vitórias no total. Uma marca notável.

Frank Lampard é o jogador com mais partidas no Boxing Day desde 1992. O antigo médio do West Ham, Chelsea e Manchester City realizou no total 17 partidas. Apontou 5 golos distribuídos entre West Ham (2) e Chelsea (3). Entre 1999 e 2001 marcou consecutivamente no Boxing Day.

O Newcastle é a equipa com os piores registos desde 1992, os Magpies são a equipa com mais golos sofridos (34) e são também a equipa que mais vezes perdeu no Boxing Day, 12 no total. O Aston Villa tem igualmente 12 derrotas no Boxing Day, sendo a par do supracitado Newcastle a equipa com pior registo.

Em 1999 pela primeira vez uma equipa na história entrou em campo só com jogadores estrangeiros no onze inicial. Foi o Chelsea treinado por Gianluca Vialli e onde brilhava Gianfranco Zola. Também Deschamps, Desailly, Albert Ferrer, Gustavo Poyet, Flo e George Weah faziam parte do plantel do Chelsea de 1999.

Apenas três equipas conseguiram passar o Boxing Day em último lugar e salvar-se da despromoção no final da época. Isto diz muito do peso que tem chegar a esta jornada em posições mais frágeis.

O Leicester em 2014/15 foi uma das sobreviventes tendo passado o Boxing Day em último lugar, no entanto fugiram à despromoção e a loucura começou aqui. Na época seguinte – como todos sabemos – foram campeões.

Sunderland e West Brom não conseguiram passar do último lugar para o primeiro de um ano para o outro, mas são a par do Leicester as únicas equipas a fugirem da despromoção estando na última posição da tabela no Boxing Day.

Chegar em 1º no Boxing Day apenas deu campeonato por nove ocasiões e apenas quatro clubes conseguiram essa faceta. O Leicester na época passada, o Blackburn Rovers em 1994/95, o Chelsea conseguiu por três ocasiões e o Manchester United por cinco vezes. Não é um dado garantido que chegar ao Boxing Day em primeiro lugar garanta o campeonato. O Chelsea esta época jogará o Boxing Day em primeiro lugar e até com uma diferença pontual bastante favorável, veremos em Maio se conseguem aumentar para quatro as vezes que chegaram em primeiro na tabela e lograram o campeonato.

Os estreantes em 2016

O Boxing Day desta época terá cinco estreantes, e o maior destaque vai para a estreia de Pep Guardiola e de António Conte. É a primeira vez que o técnico catalão e o italiano vão jogar no dia a seguir à consoada de Natal. Nos campeonatos onde tinham estado antes não há jornada depois do Natal, nem na passagem de ano. Pep Guardiola até vem de um campeonato (alemão) onde por esta altura há uma pausa de um mês devido às baixas temperaturas e neve que se faz sentir na Alemanha.

António Conte e o seu Chelsea terão um desafio complicado com o Bournemouth, em Stanford Brigde. Enquanto Pep Guardiola e o Manchester City viajarão até Hull para defrontar a equipa local.

Claude Puel, Walter Mazzarri e Bob Bradley são os restantes estreantes no Boxing Day. O treinador francês, Claude Puel, ao serviço do Southampton está em 7º lugar e chega ao Boxing Day com mais tranquilidade na tabela em relação a Bob Bradley, o norte-americano que orienta o Swansea vê-se numa situação bastante frágil para o clube, já que estão de momento na penúltima posição da tabela (19º). Por fim, Walter Mazzarri e o seu Watford estão a meio da tabela e irão abrir o Boxing Day com a recepção ao Crystal Palace (12h30).

[Foto: bleachrreport.net]
 

A próxima segunda-feira promete espectáculo, golos, emoção e muita festa, dentro e fora das quatro linhas. Há vários jogos que podem acompanhar ao longo do dia. A não perder o duelo entre Manchester United e o Sunderland. Jogo que marca o regresso de David Moyes a Old Trafford, e é a estreia de José Mourinho no Boxing Day ao serviço do Manchester United, a equipa mais bem-sucedida em toda a história do Boxing Day.

[Foto: skysports.com]


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter