19 Ago, 2017

Super Liga Chinesa 2016 – Por onde andam alguns velhos conhecidos do futebol português? (Pt.1)

Ricardo LestreJulho 31, 20166min2

Super Liga Chinesa 2016 – Por onde andam alguns velhos conhecidos do futebol português? (Pt.1)

Ricardo LestreJulho 31, 20166min2

Uns com maior impacto, outros com melhores motivos para sorrir. A Super Liga Chinesa (CSL) tem brindado o mundo do futebol com contratações sonantes e muitos dos recentes negócios têm como protagonistas vários atletas familiares. Hoje, o Fair Play lança o primeiro leque de rostos bem conhecidos do futebol português que actuam na China.

JACKSON MARTÍNEZ

O caso do avançado colombiano desde que abandonou o Futebol Clube do Porto, clube que explorou, desenvolveu e projectou todas as suas qualidades para o futebol europeu, é extremamente desmoralizador e até inexplicável. Após várias épocas a um excelente nível, onde figurou em várias ocasiões no topo da lista dos melhores marcadores, Jackson trocou a formação da cidade Invicta pelo Atlético de Madrid por uma cifra a rondar os 30 milhões de euros e, consequentemente, a sua reputação sofreu uma queda acentuada. A junção de imensos factores que impediram o seu desenvolvimento futebolístico em Espanha, levou o Cha Cha Cha a rubricar um contracto com o Guangzhou Evergrande Taobao, equipa chinesa mais bem sucedida dos últimos anos. A quantia estrondosa estabelecida quer na transferência (43 milhões de euros) quer na folha salarial (12,5 milhões de euros anuais), agitou o mundo do futebol e colocou a transferência do ponta-de-lança cafetero como a terceira mais cara de sempre da Super Liga Chinesa.

Contudo, aquele que foi um tremendo golpe de marketing para o desporto na República Popular da China, traduziu-se num enorme fiasco. Para além de uma pré-temporada quase inexistente e de um início lento e algo debilitado, a nova coqueluche dos Tigres do Sul sofreu uma lesão complicada no tornozelo precisamente numa fase de maior ascensão exibicional marcada pela sequência de golos, alguns dos quais importantes na série negativa vivida até então pelo Guangzhou Evergrande. Por muito irónica que a situação possa parecer, Luiz Felipe Scolari, técnico do conjunto chinês, tirou bastante proveito do revés causado pela sua maior estrela. O ansiado regresso de Alan Carvalho, jogador recuperado de uma grave rotura de ligamentos, surgiu e o brasileiro provou ser, provavelmente, o maior talismã e um dos grandes motivos que asseguraram Felipão no cargo. Martínez conta com um total de 850 minutos (10 jogos) disputados, 3 golos e uma assistência com a camisola do Guangzhou e já expressou a sua vontade em abandonar o país. Relembrando as palavras de um ex-companheiro seu em Madrid, “Jackson acredita mais em Deus que nele próprio”, sobra uma única questão: que destino reservará Deus a Jackson Martínez?

Rating Fair Play: 1/5

Foto: ESPN
Foto: ESPN

FREDY MONTERO

A saída de El Avioncito de Alvalade suscitou inúmeras questões e motivou alguma divisão de opiniões no seio sportinguista. Em termos económicos, a proposta apresentada pelo Tianjin Teda – cerca de 5 milhões de euros – foi demasiado tentadora para os cofres leoninos que ainda viram Hernán Barcos aterrar em Lisboa como moeda de troca e totalmente livre de custos. O ponta-de-lança argentino havia desempenhado um papel fundamental na difícil temporada de 2015 do Tianjin que viu a manutenção ser assegurada apenas na última jornada. Jogadores completamente diferentes mas a verdade é que Montero cimentou, de forma bem vincada, o seu estatuto na formação comandada agora por Jaime Pacheco e já envergou, inclusive, a braçadeira de capitão. A dupla formada com Mbaye Diagne, senegalês que curiosamente chegou a ser apontado ao Sporting CP, na frente de ataque tem dado os seus frutos embora a equipa tenha vindo a demonstrar uma exagerada inconstância ao largo da época. 19 jogos em 20 disputados, 6 golos e 3 assistências fazem de Fredy Montero um elemento fulcral na estratégia do seu head coach e em todo o futebol, sobretudo o ofensivo, praticado pelos Jinmen Tigers.

Rating Fair Play: 5/5

Foto: ABOLA
Foto: ABOLA

RÚBEN MICAEL

Nome constantemente badalado na imprensa portuguesa e bem conhecido do nosso futebol, Rúben Micael terminou uma ligação de três anos com o SC Braga cheia de excelentes memórias e aceitou o aliciante convite do Shijiazhuang Ever Bright para ingressar no campeonato chinês. O próprio admitiu aos meios de comunicação sociais que os motivos da sua saída se prendiam, essencialmente, com a vertente económica. Envergando a camisola 10, o médio internacional português deu check-in na última janela de transferências da Super Liga Chinesa 2015 e efectuou cerca de 11 partidas pelo clube recém-promovido nos quais apontou um golo e uma assistência. Perante uma excelente e bem encaminhada temporada realizada sob o leme de Yasen Petrov, recentemente removido do comando técnico, a criatividade do ex-arsenalista trouxe óptimos apontamentos para dentro das quatro linhas. Actualmente, o panorama colectivo não é o ideal e a turma sediada em Hebei encontra-se numa posição delicada na tabela, porém, Micael conquistou o seu espaço: 19 jogos em 20, 2 golos e 2 assistências.

Rating Fair Play: 3/5

Foto: chinatopix.com
Foto: chinatopix.com

MARIO RONDÓN

Colega de equipa de Rúben Micael, Mario Rondón juntou-se ao Shijiazhuang Ever Bright no início de 2015 procurando alienar a perspectiva financeira com uma maior visibilidade futebolística. O atacante venezuelano somou quase todos os minutos possíveis na sua temporada de estreia (31 jogos, 6 golos e 9 assistências) e foi, indubitavelmente, um dos maiores e melhores jokers de Petrov. Excelente demonstração de um atleta que lidou com todas as adversidades de uma aventura completamente diferente da que estava acostumado, não fosse Rondón um habitué no principal escalão do futebol português. Infelizmente, 2016 está manchar um pouco a sua carreira. A lesão contraída na pré-época atrasou a sua preparação física e reduziu as opções do treinador que se viu forçado a procurar alternativas no mercado. Face à pesada concorrência, o ex-CD Nacional foi afastado da equipa principal por tempo indefinido e o seu primeiro jogo no presente ano está longe de se afirmar como um dado certo.

Rating Fair Play: 2/5

Foto: playbuzz.com
Foto: playbuzz.com


2 comments

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter