Russia 2018: a imagem que ficará para a História…

Fernando SantosJulho 27, 20183min0

Russia 2018: a imagem que ficará para a História…

Fernando SantosJulho 27, 20183min0
O Muda o Teu Jogo apresenta um tema importante: civilidade. O Japão foi uma selecção extraordinária nesse ponto. É assim tão fulcral este tema?

O mundial de futebol terminou há uns dias.

A França sagrou-se bicampeã após 20 anos de interregno, batendo a Croácia na final por 4-2. Griezmann foi o melhor jogador da final, Mbappé eleito o melhor jovem, Harry Kane o melhor marcador com 6 golos, Courtois o melhor guarda-redes e Modric foi considerado o melhor jogador do torneio. Portugal caiu nos oitavos de final frente a um Uruguai que sucumbiu no jogo seguinte frente à equipa que acabaria por se sagrar vencedora. Ronaldo acabou com 4 golos e, ainda antes do campeonato terminar, tinha já sido avançado como certo no futebol italiano, mais concretamente na Juventus.

Mas a imagem mais forte deste Mundial não foi, na nossa opinião, nenhuma destas. A imagem mais forte e que perdurará por mais tempo nas nossas memórias foi-nos oferecida por uma equipa de atletas, treinadores e staff que exibiram as virtudes que todos desejamos ver no desporto!

O Japão apurou-se para os oitavos de final através do critério do fair-play, por ter menos um cartão amarelo do que a Colômbia durante a fase de grupos. Nos oitavos de final, após ter estado em vantagem por 2-0 frente à Bélgica já na segunda parte, permitiu a reviravolta dos belgas e saiu eliminado no jogo mais emocionante (para muitos, o melhor jogo!) deste Mundial. 2-3 foi o resultado final para a Bélgica.

No final dessa partida, numa mostra clara da cultura nipónica (que, a título de exemplo, educa as crianças para que sejam as próprias a manter as escolas limpas) a selecção japonesa deixou o balneário mais limpo do que o encontrou e ainda agradeceu (em russo!!!) com um singelo “Obrigado”. O mundo não esquecerá a classe dos elementos da equipa e dos seus fãs que sempre fizeram questão de limpar os espaços que ocupavam nos estádios.

Isto é “COMPOSTURA” na sua versão “gourmet”! Um dos três pilares do Alto Rendimento, a par da concentração e da confiança, apresentada numa bandeja dourada de educação e exemplo.

E tu, consegues manter a tua compostura em situações difíceis?

És um “bom perdedor”?

Consegues mostrar respeito pelos outros e pelas instalações quando sofres uma derrota dolorosíssima?

Ou deixas que o resultado dum jogo influencie o teu carácter?

Imagina que acabas de perder o jogo para o qual trabalhaste toda a tua vida. É natural que te sintas frustrado, chateado, zangado. Quando isso acontece, quantos de nós atiramos os equipamentos, gritamos e mostramos a nossa frustração estragando ou danificando coisas que não nos pertencem? Acredita que os japoneses podiam muito bem sentir e fazer o que acabámos de descrever. Mas escolheram não o fazer. Decidiram mostrar elevação e… COMPOSTURA.

Há outra equipa famosa que pratica o hábito de limpar sempre os balneários após as partidas. De facto, os neo-zelandeses All Blacks (rugby) têm como lemas: “Deixa a camisola num lugar melhor”, “Campeões fazem o extra” ou “Varre o celeiro”! E varrem literalmente os balneários como forma de mostrarem a sua HUMILDADE!!! Sim, os atletas de uma das melhores equipas desportivas de sempre fazem todos os dias isto.

Os japoneses, à semelhança dos All Blacks, mostram-nos a importância de “varrer os balneários” para “deixar a camisola num sítio melhor”. A mais alta demonstração de respeito e classe neste Campeonato do Mundo de Futebol foi, assim, dada pelo Japão.

Os resultados são como as palavras, leva-os o vento. Já a tua ética, o teu fair-play e o teu cavalheirismo seguir-te-ão para onde quer que vás.

Melhores Atletas não fazem Melhores Cidadãos. Mas Melhores Cidadãos fazem e farão sempre Melhores Atletas.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter