23 Ago, 2017

Kikas e mais nove!

Eduardo MenezesDezembro 7, 20163min0

Kikas e mais nove!

Eduardo MenezesDezembro 7, 20163min0

Se uma frase pode resumir os últimos dias de surf do WQS de 2016. Ela seria, Kikas e mais 9 se classificam para o WCT de 2017. O surfista Português, Frederico Morais, assombrou o mundo do surf nas duas últimas etapas do WQS 2016, chegando em 2º em ambas competições, além de liderar a Tríplice Coroa Havaina.

Se, antes das competições no Havaí, o sonho de ter um Português no tour principal parecia muito distante, Kikas fez esse sonho se tornar realidade. O surfista de Cascais apresentou um surf muito agressivo, tanto no Vans World Cup quanto no Hawaiian Pro, vencendo baterias emocionantes e muito disputadas. Chegando a duas finais, somando 16,000 pontos no ranking, colocando Portugal, novamente, na elite do surf, depois de contar com Tiago Saca Pires no WCT, durante os anos de 2008 a 2014.

No Vans World Cup, Frederico viu alguns de seus adversários caindo, heat pós heat, como Thomas Hermes (BRA), Jesse Mendes (BRA) e Evan Geiselman (USA), porém outros avançando, caso dos classificados para o tour 2017, Jadson Andre (BRA) e Jack Freestone (AUS), por exemplo. Mas, Kikas não se deixou levar pela pressão, continuou focado e surfando muito, para fazer mais uma final de WQS 10,000.

Na meia-final, a classificação para o WCT 2017 parecia mais que assegurada, porém um heat contra 3 surfistas, Tanner Gudauskas (USA), Jack Freestone (AUS) e Ezekiel Lau (HAW), que brigavam diretamente com Kikas por uma vaga no mundial 2017, serviu para consolidar e ratificar a presença do Português no tour principal do ano que vem. O surfista de Cascais deu mais um show e avançou para a grande final.

Classificação WQS 2016 - [Imagem: WSL]
Classificação WQS 2016 – [Imagem: WSL]
 

Saiba mais sobre a disputa do WQS e o modelo de classificação para o WCT. 

Parecia que nada parava o surfista Português, contudo, de novo, um dos seus adversários no próximo ano, retirou de Kikas a vitória da etapa, pelo menos dessa vez não seria a nota 7,33. O Sul-africano, Jordy Smith, confirmou sua ótima fase e com o total de 15,06 venceu o Vans World Cup, deixando Frederico em segundo lugar e precisando de uma nota 6,84 para vencer.

Frederico ficou, mais uma vez, na 2º colocação de uma etapa do WQS, atrás de um surfista do tour principal, mas isso já pouco importava. A classificação para a elite de 2017 estava mais que garantida, como também a liderança do Triple Crown e uma vaga no Billabong Pipe Masters 2016.

Se não faltou emoção para o povo Português, os nossos coirmãos Brasileiros podem dizem o mesmo. Num dia muito emocionante para Jadson Andre, um dos surfistas mais queridos do Brazilian Storm. Que passou por um ano dificílimo em 2016, uma vez que não tem um main sponsor  e está em 25º do WCT, posição que não lhe garantia na elite em 2017.

A beira de sair do WCT, o guerreiro Jadson Andre, chegou as meias-finais e conseguiu sua classificação para a elite, ficando em 8º na classificação geral do WQS. Outro Brasileiro classificado é Ian Gouveia.

Já a Europa tem muito por comemorar, pois para além de Morais, os Franceses Joan Duru e Jeremy Flores, como o Italiano Leonardo Fioravanti estarão no tour da World Surf League 2017.

#GoKikas


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter