24 Nov, 2017

Figueira Beach Rugby Stories Vol. 8 – Ovale Rugby c/ Lionel Laugier

Francisco IsaacJunho 22, 201714min0

Figueira Beach Rugby Stories Vol. 8 – Ovale Rugby c/ Lionel Laugier

Francisco IsaacJunho 22, 201714min0

Lionel Laugier, presidente do European Beach Rugby Association (EBRA) e director do Ovale Rugby, a equipa mais bem sucedida no espectro Europeu da variante, é o nosso foco de interesse para mais uma semana sobre o Figueira Beach Rugby. O volume VIII da melhor etapa de Beach Rugby do Mundo

França… terra do rugby champagne, do Top14 e de alguns dos melhores jogadores do Mundo da modalidade, é também “casa” de uma das melhores equipas de todo o sempre do Beach Rugby: o Ovale Beach Rugby.

Os franceses foram campeões em 2016 e têm imposto um domínio acérrimo na variante nos últimos anos. Com uma leveza nos pés, a velocidade dos franceses é estrondosa, para além da dos pormenores e detalhes que estes jogadores conseguem produzir, o Ovale vem à Figueira para tentar “ditar” a lei… algo que não o conseguiu em 2016.

A Academia Pedro Leal conquistou o torneio do ano passado frente aos Les Minots… uma equipa com jogadores ex-Ovale, já que em 2016 houve uma “breve” cisão entre jogadores e técnicos que quase precipitou para um desfecho “complicado”.

Mas aí estão eles de volta à Figueira, para tentarem conquistar uma prova que já teve seu “cunho” em 2015, quando levantaram o título de campeões.

Para quem desconhece o rugby do Ovale Beach Rugby avisamos que são extremamente rápidos em construir jogadas de ataque… o offload é só um pequeno “pormenor” numa longa lista de combinações de ataque, de fintas e de formas de ganhar a frente ao adversário.

Nas asas da Figueira (Foto: Getty Images)

As fintas às vezes parecem ser um pouco mirabolantes, estranhas e “cómicas”, mas perguntem a vários adversários que sofreram esse mal e questionem se ficaram com os “rins” (e joelhos) intactos no final.

A forma de jogar dos franceses é completamente diferente da dos portugueses ou italianos, com os primeiros a serem exímios na defesa, com os transalpinos a serem uma força bruta no contacto. Os franceses optam por fantasiar os areais com uma estratégia de ataque animada, rápida e explosiva.

Depois assumem uma postura muito característica no ataque, recheada de uma “agressividade” (não no sentido de violência, mas sim de capacidade de impacto e reacção imediata ante o portador da oval) que cria dificuldades a quem tenta passar pela barreira do Ovale.

Lionel Laugier foi um dos visionários do Beach Rugby europeu e é um dos “pais” do Ovale Beach Rugby, o que demonstra uma “paixão” pela modalidade e variante. O Fair Play conseguiu “conquistar”

fpO beach rugby está cada vez mais popular a cada ano que passa… que pensas do Figueira Beach Rugby ?

Sim, temos visto um grande crescimento desde a criação da Associação Europeia de Beach Rugby e o  Beach Rugby  da Figueira da Foz é um dos principais torneios.

fpQue pode a AEBR  dizer-nos sobre o futuro do beach rugby? Haverá  cooperação com o World Rugby?

O Beach Rugby Five tem um futuro brilhante já que este ano a Rugby Europe está a organizar o primeiro Campeonato de Beach Rugby Five European Nations em Moscovo. A colaboração entre a World Rugby e a EBRA será reiterada novamente este ano, no seguimento da organização, em 2014 e 2015, de um campeonato de Beach Rugby Five no Brasil, de maneira a promover a modalidade para os Jogos Olímpicos.  

fpPara além de ser o presidente da AEBR és também director da  Ovale Beach Rugby. Quais são os planos da tua equipa para este ano? A Ovale conquistará a Figueira novamente?

As nossas equipas masculinas e femininas estarão a competir em La Hague, Figueira da Foz, Barcelona, Lignano e em casa no Master de Marseille.

O meu papel como presidente é acompanhar os organizadores e verificar que as nossas especificações organizacionais são respeitadas e é por isso que irei com o meu amigo e árbitro, Guillaume Borenzstejn, ao primeiro Beach Rugby britânico .

fpQue esperas este ano? Mais equipas, jogadores e fãs numa das mais bonitas prais portuguesas?

O Beach Rugby Five da Figueira da Foz é um dos maiores torneios da nossa série da EBRA e estou convencido que o secretário geral da EBRA, Rui Loureiro ,criará um torneio com equipas fantásticas e um grande número de fãs.  

fpFala-nos um pouco da Ovale. Quão bons são? Virá alhum jogador das divisões francesas de XV? E como treinam?

A equipa Ovale Beach Marseille tem estado sob reestruturação desde o ano passado e teremos para o torneio da Figueira novos jovens jogadores com um bom futuro pela frente. A maioria do jogadores estão na quarta e quinta divisão francesa e muitos deles têm muito talento na areia.  

fpO que faz de uma equipa boa no beach rugby? E se puderes dar algum conselho para as novas equipas, o que seria?

O que faz com que uma equipa sejas melhor que as outras é praticar um jogo de evitar o contacto, uma solidariedade colectiva e um pouco de loucura!  

O meu conselho seria treinar com os colegas um mês e meio antes do torneio. Mas a magia verdadeira acontece quando se fazem as coisas por prazer.

fpEstão  a AEBR e a Figueira  preparadas para o próximo passo? Poderá o Beach Rugby ascender ao mesmo nível de interesse que os XV’s e os 7’s?  

Temos estruturado as equipas da EBRA para estarem preparadas e começarem oficialmente a série de 2017. O reconhecimento não é fácil mas o nosso trabalho com a EBRA deverá ser reconhecido este ano.

fpDeixa uma mensagem para os nossos leitores que estão à espera de ver a Ovale Beach Rugby e a série da AEBR.

Desejo ao meu amigo Rui  e à equipa dele uma grande organização do Figueira Beach Rugby 2017 e série EBRA  2017. É um verdadeiro prazer para os meus jogadores participar no torneio da Figueira. A série EBRA terá cinco torneios (La Hague, Figueira, Barcelona, Lignano e Marseille) e  três no âmbito da  British Beach Rugby,  Cayman Beach Rugby e Curaçao Beach Rugby. Este ano tivemos o cuidado de ter diferentes datas para os diferentes torneios em Junho e Julho.  

DICA DA SEMANA: A dica da semana foi dada por Lionel Laugier como puderam perceber… evitar ir sempre ao contacto, “fugindo” de placagens e agarrões que precipitem a vossa equipa perder a bola para o adversário. Por isso é que equipas como o Ovale ou os Les Minots estão muito tempo (3-4 segundos de cada vez, mais ou menos) sem ir ao contacto, trabalhando numa sucessão de passes, mexendo a oval, passando-a mesmo antes de chegar ao adversário, aplicando um “pé de dança”, cansando assim a “muralha” que querem tanto ultrapassar. No entanto, isto “puxa” pela capacidade da equipa em saber “bailar” sem perder a oval e fazer com que ela se mantenha viva… uma defesa que goste de pressionar, tenha resistência física e saiba agarrar/placar com eficiência poderá ser um “perigo” total para esta táctica… não podem falhar em momento algum.

2015… a história repete-se em 2017? (Foto: Luís Cabelo Fotografia)

VERSÃO INGLESA | ENGLISH VERSION

France… land of rugby champagne, of the super Top14 and “home” of some of the best players in the world, it is also were Beach Rugby was “born”. The Ovale Beach Rugby team (from Marseilles) have the pleasure to be reckoned as one of the very best teams in Beach Rugby.

In 2016 the Ovale team were crowned champions of the EBRA Series (European Beach Rugby Association), showing sheer domain in the beach arenas with some of the best plays that you could see. Light feet, beautiful and almost prefect handling, MACH 5 speed, the French will spread “fear” in Figueira.

Unfortunately, in 2016 there was no Ovale in Figueira due to the fact of a “small” separation between some players and coaches of the Marseilles team. Les Minots (who had some former players and coach from Ovale) finished 2nd, loosing to Academia Pedro Leal/GD Direito.

Now it’s time for Ovale to retake Figueira as they did back in 2015. Their superb attacking skills will “destroy” even the strongest “walls” of defense, as we explained before. Their gameplay goes beyond being quick or having superb handling skills, it’s their strategy on attack that makes them a true menace.

Nas asas da Figueira (Foto: Getty Images)

Avoid going to contact… it is one of the prime rules for the Ovale team. Juggle the ball around, playing it around, making their “foe” completely nervous and eager to go for a “jump” tackle… it will be a certain try if that happens.

It’s a way of play utterly different from the Italians or Portuguese teams, as the French like to be flamboyant, creating fantastic plays and scoring thrilling tries. Don’t think they can’t tackle, as they can be a very aggressive team, making the life of the other teams very hard.

Fair Play had the pleasure to talk to Lionel Laugier, boss of both the Ovale and of the EBRA Series. One of the great legends of the Beach Rugby scene, Lionel Laugier had time to spare to talk about the Beach rugby fever that is crossing the whole World, while explaining the main goals for the Ovale French team.

fpSo Beach Rugby  is getting bigger each year… what do you think about Figueira Beach Rugby?

Yes we have realized since the creation of the European Beach Rugby Association a beautiful growth and the Beach Rugby Five of Figueira da Foz is one of the main tournament.

fp. What can EBRA tell us of the future of Beach Rugby? Will there be cooperation with World Rugby?

The Beach Rugby Five has a bright future as this year we again discussed with Rugby Europe, which is organizing this year’s first Beach Rugby Five European Nations Championship in Moscow.

The collaboration with World Rugby and EBRA is expected to be established again this year as World Rugby has already organized in 2014 and 2015 a Beach Rugby Five in Brazil for the promotion of Rugby at the Olympics.

fp. Besides being the EBRA President you are the Ovale Beach Rugby director. What are your team planning to do this year? And will Ovale conquer Figueira once again?

Our women’s and men’s Ovale Beach teams will be competing in La Hague, Figueira da Foz, Barcelona, Lignano and at home the Master of Marseille.

My role as President will be mainly to accompany the organizers to respect our organizational specifications and that is why I will go with Guillaume Borenzstejn my Friend referee for the first British Beach Rugby this weekend.

fp. What are you expecting this year? More teams, players and fans in one of the most beautiful beaches in Portugal?

Figueira da Foz Beach Rugby Five is a major tournament of our EBRA series and I am convinced that EBRA Secretary General Rui Loureiro will have at heart to make a good tournament with beautiful teams, a large number of fans, including Rui Loureiro and his teams have the secret!

fp. Tell us a bit about Ovale. How good are you, will there come any player from the French XV divisions and how do you practice.

The team Ovale Beach Marseille has been under reconstruction since last year and we will have for the tournament of Figueira new young players very promising for the future. The majority of the players are in the 4th and 5th French Division and many of them are very skilled on the sand.

fp. What does make a good beach rugby team? And if you could give some advice to new teams what would that be?

What makes one team better than another is the practice of a game of avoidance to touch on the sand, collective solidarity and a bit of madness!

If I have a board was to train properly together with his teammates a month and a half before the first tournament on the sand to touch. And the real magic recipe is that you have to take pleasure.

fp. Is EBRA and Figueira prepared for the next step? Will Beach Rugby ascend to the same level of interest as the XV’s or 7’S?

We have structured the EBRA teams to be well in place and officially start the 2017 series. Recognition is not easy but our work with the EBRA should be recognized this year.

fp. Leave a special message for our readers who are waiting to see Ovale Beach Rugby team and the EBRA Series.

I wish my Friend Rui and his equipments a beautiful organization Beach Rugby Five Marseille 2017. The EBRA Series 2017. This is a real pleasure for my players to participate Figueira Beach Rugby Five tournament. The EBRA series will feature 5 tournaments (The Hague, Figueira, Barcelona, Lignano and Marseille) and 3 in the British Beach Rugby, Cayman Beach Rugby and Cayman Beach Rugby. This year we were careful to have different dates for each tournament in June and July.

TIP OF THE WEEK: Lionel Laugier provided the tip of the week, if you read closely the small conversation we had with the EBRA Series boss: avoid contact, don’t go carelessly to the tackler, look for space and pass the ball. Teams like Ovale or Minots work away from the tackle area for several seconds, always looking for an opportunity to go in with speed and escape the defense. For this to go well you really have to be good with ball in hands and a good physique capability to endure this type of harsh but productive type of gameplay. If you fail to acquire this qualities, a good defense will “crush” you and get the ball. So muster your skills, be quick and train really hard in the upcoming week… Figueira awaits.

2015… a história repete-se em 2017? (Foto: Luís Cabelo Fotografia)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter