21 Nov, 2017

O Open 17.1 chegou e tem que se lhe diga

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 24, 20173min0

O Open 17.1 chegou e tem que se lhe diga

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 24, 20173min0

Depois das conversas de balneário, opiniões, bitaites, futurologias, palpites e suposições pré-Open, finalmente aconteceu:  Dave Castro, director dos CrossFit Games, anunciou o primeiro WOD, desta sequência de 5 desafios que centenas de milhares pessoas, a nível mundial, vão fazer nas semanas que se seguem.

É um couplet, junção de dois exercícios com uma gradação crescente de repetições de um deles. Chama-se 17.1 e vem vestido de:

Dumbbell Snatches…

Dumbbell Snatches [Imagens: The CrossFit Games]

…e Burpee Box Jump Overs

Burpee Box Jump Overs [Imagens: The CrossFit Games]
For time (time cap 20 mins):
10 dumbbell snatches
15 burpee box jump-overs
20 dumbbell snatches
15 burpee box jump-overs
30 dumbbell snatches
15 burpee box jump-overs
40 dumbbell snatches
15 burpee box jump-overs
50 dumbbell snatches
15 burpee box jump-overs

Dave Castro já tinha avisado que as boxes deveriam equipar-se de halteres com 15kg para mulheres e 22kg e meio para homens.  E como o prometido é devido, damos-lhes logo utilidade no primeiro WOD do Open.

Para ter alguns insights sobre como potenciar a nossa performance neste desafio, falamos com Nuno Tobias, Head Coach da Matchbox CrossFit:

 
Nuno Tobias, [Imagem: Matchbox CrossFit]
“O 17.1 é um WOD de resistência cardiovascular. Mais do que força, exige capacidade metabólica e nesse sentido o segredo para qualquer atleta que tenha maior dificuldade será sempre manter um ritmo estável e “descansar” nos burpee box jump overs. Parece impossível mas não é. Executar o movimento de forma consistente, mas com um ritmo controlado (em modo lazy burpee, por exemplo) vai permitir que o batimento cardíaco baixe o suficiente durante esse movimento para recomeçar os dumbbell snatches seguintes.  O facto dos snatches com os halteres irem aumentando em número de repetições a cada volta, torna este desafio tão mental quanto o é físico. Já tivemos atletas a fazer o WOD e conseguir terminar por ter alguém por perto a “gerir” os descansos.  Quer queiramos, quer não, quando o desafio tem uma forte componente psicológica o apoio dos colegas e amigos faz toda a diferença.”

O vídeo da CrossFit Internacional permite executar os dumbbell snatches em modo “touch & go”, ao trocar o halter de mão quando entramos na fase descendente do movimento.  Uma pessoa com uma boa capacidade metabólica pode apostar nisto para ganhar alguns segundos, contudo, a não ser que seja algo que se consegue manter ao longo do WOD inteiro, o tempo que se ganha acaba por dificilmente compensar o cansaço acumulado do “touch & go”.

Boa sorte a todos os atletas do Open… daqui a nada está na hora de começar as conversas de balneário, opiniões, bitaites, futurologias, palpites e suposições pré-17.2. Afinal, sem estes preâmbulos sociais empolgantes, participar não tinha metade da piada ;).

Acompanhe o FairPlay e não perca nossas dicas sobre o próximo desafio! 

Links úteis:

Movimentos e padrões a serem seguidos:

https://games.crossfit.com/workouts/open/2017/17.1#movementStandards

Descrição dos exercícios e scorecard:

https://project6-drupal.s3.amazonaws.com/cfg_open2017_event_17_1-10ednhsy6ewhd6.pdf


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS




Newsletter


Categorias


newsletter